25.9 C
Uberlândia
terça-feira, julho 16, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasControle de psilí­deo deve ser intensificado no período de chuvas

Controle de psilí­deo deve ser intensificado no período de chuvas

 

Pluviometria elevada colabora com aumento da população do inseto e dos riscos de contaminação de HLB  

Chuvas frequentes como as que ocorreram em janeiro, com média de distribuição em 23 dias do mês, tornam necessária a intensificação do controle de psilídeo Diaphorina citri, inseto transmissor de HLB (huanglongbing/greening), pois colaboram com a ocorrência de um pico no surgimento de brotações nos pomares. Essa fase de desenvolvimento das plantas é a preferida do inseto para se alimentar e reproduzir, o que impacta em maior infestação e contaminação nos pomares.

Em janeiro choveu em média 306 milí­metros em todo o parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais, 28% a mais do que a média histórica que é de 239 milí­metros, de acordo com informações da Somar Meteorologia. Nesse mesmo período, o Alerta Fitossanitário do Fundecitrus, que monitora o índice de presença do inseto em nove regiões do parque citrícola, apontou a presença de ao menos um psilí­deo para cada 10 armadilhas monitoradas pelo sistema e 27% das plantas estão com brotos novos.

De acordo com o pesquisador do Fundecitrus Renato Bassanezi, os citricultores precisam estar atentos à presença de brotos e de psilídeos no pomar. “O momento é propício para que o psilídeo se multiplique e transmita a bactéria para as plantas, por isso é necessário intensificar o controle“, diz.

Um dos agravantes para essa situação é a diminuição do período residual das pulverizações. Resultados inicias de um estudo do Fundecitrus que está em desenvolvimento apontaram que chuvas a partir de cinco milímetros já afetam a eficiência das aplicações para o controle do inseto.

“A ocorrência de chuvas todos os dias dificulta a aplicação, tanto no aspecto operacional quanto no efeito, pois lava os produtos. O indicado é que sejam feitas reaplicações logo após um período de chuvas seguidas para não deixar as plantas desprotegidas e assim diminuir as chances de infecção“, afirma o pesquisador do Fundecitrus Marcelo Miranda.

Devido à essa situação e aos dados do Alerta Fitossanitário, o Fundecitrus emitiu alertas de pulverizações conjuntas de 6 a 13 de fevereiro para os citricultores que participam do sistema em todas as regiões monitoradas, com o objetivo de aumentar a eficiência das aplicações e diminuir a incidência do inseto nos pomares. Para mais informações acesse: http://www.fundecitrus.com.br/alerta-fitossanitario

ARTIGOS RELACIONADOS

Quais os métodos eficazes contra a mosca-branca?

Autores Anderson Gonçalves da Silva Doutor e professor da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), campus Paragominas (PA) e coordenador do Grupo de Estudos...

Feromônios – Ferramentas úteis ao controle da lagarta falsa-medideira

Luana Karolline Ribeiro Graduanda em Agronomia - Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) lukarolline@icloud.com Fabiano Pacentchuk Engenheiro agrônomo, mestre em produção Vegetal e doutorando em Agronomia "Unicentro fabianopacentchuk@gmail.com Um dos maiores...

Crotalária – Antagonismo no controle eficiente de fitonematoides

  Rafael Henrique Fernandes Engenheiro Agrônomo, mestre em Agronomia (Produção Vegetal) e doutorando em Fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) rafael.fernandes@ufv.br Darlan Ferreira Borges Engenheiro Agrônomo, mestre em...

Os nutrientes e ácidos húmicos essenciais à cana

Sandro Roberto Brancalião PhD. em Agronomia e pesquisador do IAC brancaliao@iac.sp.gov.br A combinação de fertilizantes fluidos especiais para o tratamento nutricional da cana-de-açúcar tem sido apontada por...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!