Correia Neto: Premiada como inovação no setor florestal

0
223
Créditos: Correia Neto

Lançado na ExpoForest, maior feira florestal dinâmica das Américas, o SIS BGC (Sistema Inteligente e Sustentável para produção de Berços Germinadores Compostáveis) vem atraindo o interesse de empresas que buscam aprimorar seu modelo de produção de mudas.

E agora será implantado no viveiro do Multi Mudas Brasil um centro de pesquisa e desenvolvimento de soluções dedicado a este mercado, que tem como um dos objetivos ser o mais moderno e tecnológico do País.

O sistema SIS BGC produz tubetes biocompostáveis (BGCs) que podem ser plantados junto com as mudas e que, portanto, eliminam a necessidade da logística reversa. Consequentemente, uma série de etapas da produção são eliminadas, gerando a economia dos custos correspondentes.

Além disso, o BCG ajuda no fortalecimento das plantas, pois promove maior enraizamento e evita problemas como choque pós-plantio, destorroamento do substrato e estresse hídrico, comuns na operação de retirada das mudas dos tubetes na hora do plantio a campo.

Os 5 pilares do BGC

Luiz Neto, pesquisador que inventou o BGC, enumera os 5 pilares que orientaram seu produto: resistência mecânica, inércia, fragmentação, compostabilidade e degradação: “Pesquisamos por muitos anos até chegar ao modelo do BGC. Testamos em viveiros de vários portes, alguns entre os maiores do Brasil. Nosso tubete BGC precisaria ser inerte, ou seja, não acrescentar nem retirar nada da planta. Então descartamos a celulose e focamos nossa pesquisa em algo que permitisse ao recipiente ter a resistência necessária para o trabalho no viveiro e que depois tivesse fácil fragmentação, compostagem e degradação, o que permitiria o plantio junto com a muda”.

Luiz Neto conta que o sistema foi projetado para ser eficiente tanto na produção de mudas quanto na viabilidade de sua implantação nos viveiros brasileiros: “Precisávamos criar algo que fosse um grande avanço para a agricultura, mas que também fosse viável e lucrativo para quem implantá-lo. Uma solução que custasse milhões em equipamentos não estava nos planos. Por isso projetamos o SIS BGC para ser completamente compatível com os equipamentos que os viveiros já têm em sua estrutura. Se o viveiro precisasse comprar novas bandejas, por exemplo, seria um investimento a mais a fazer. O SIS BGC usa as bandejas que o viveiro já tem, seja do sistema convencional ou seja de algum sistema paper pot. Esse recurso economizado fica no bolso do viveiro para aplicar em outras melhorias para seu negócio”.

No final de 2019, o SIS BGC foi reconhecido pelo Prêmio Top Engenharias, evento anual ligado à UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), pela grande contribuição ao Agronegócio / Setor Florestal.

“Estar entre homenageados como Usiminas, Arcelor Mittal, Pöyry, Bradesco, GE, já no primeiro ano após o lançamento do SIS BGC, é demonstração clara de que nosso caminho está correto e que a responsabilidade só aumenta. Então precisamos estar preparados para fazer ainda mais”.

Referência em qualidade

No intuito de oferecer mais a seus clientes, a empresa está implantando o sistema no Multi Mudas Brasil, tornando-se a principal tecnologia deste centro de pesquisas e desenvolvimento. Isso possibilitará ver na prática os resultados do SIS BGC antes mesmo de sua implantação, servindo como referencial para quantificar os resultados a serem atingidos em cada empresa parceira.

Para Caio Marçal David, gerente geral do Multi Mudas Brasil, o SIS BGC é perfeito para o conceito da empresa, porque a ideia é apresentar soluções inovadoras para cada etapa da produção de mudas. E o SIS BGC abrange a maior parte destas etapas, destacando-se pela economia e velocidade que proporciona à operação do viveiro.