20.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasDia Mundial da Água: boas práticas agrícolas para o uso consciente

Dia Mundial da Água: boas práticas agrícolas para o uso consciente

A água, enquanto recurso natural, é indispensável à vida na terra e fundamental para a agricultura.

Crédito Depositphotos

Por Andreza Kerr Fantine
Lider de Stewardship para a Corteva Agriscience na América Latina

A água, enquanto recurso natural, é indispensável à vida na terra e fundamental para a agricultura. Sem dúvidas, o cenário ideal para uma lavoura seria que chovesse a quantidade exata, no período exato, umedecendo, exatamente, a área de terra onde a plantação está se desenvolvendo. Isso não acontece e nunca acontecerá, afinal estamos falando de fatores climáticos, não controláveis. 

Diante desse cenário, podemos afirmar que a água é um bem escasso e que todos nós temos o dever de preservar e usar de forma eficiente, de modo a garantirmos a nossa sobrevivência e a sustentabilidade dos sistemas agroalimentares. No Dia Mundial da Água, comemorado em 22 de Março, temos a oportunidade de dialogar e de compartilhar tecnologias e  boas práticas que contribuam para o uso consciente dos recursos hídricos. 

Ao longo dos anos, a utilização da água nas propriedades rurais foi evoluindo e atualmente, estão disponíveis soluções que visam a economia do recurso hídrico sem deixar de atender as demandas das produções. As diferentes técnicas de agricultura irrigada são alternativas para reduzir o uso de água no campo sem diminuir a produtividade. A metodologia usa tecnologias e equipamentos que fornecem a quantidade necessária de água no solo, de acordo com a cultura que está sendo cultivada.  

Essa distribuição não acontece ao acaso, não se trata de molhar a terra apenas, ela é planejada. Essa combinação de fatores faz com que os recursos hídricos não sejam desperdiçados, que o solo não fique encharcado e que as plantas possam crescer saudáveis, tendo disponíveis os nutrientes necessários. As tecnologias disponíveis atualmente se tornam aliadas dos produtores que precisam usar a água em prol do desenvolvimento da lavoura. 

Desde as primeiras técnicas de irrigação até o presente, muitas evoluções aconteceram e grande parte delas são pensadas para que a eficiência produtiva seja mantida e conciliada com a sustentabilidade ambiental. Acredita-se que as inovações na irrigação continuarão acontecendo e o Brasil tem um grande potencial de crescimento de área irrigada. 

O Relatório da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) indica que a irrigação no país pode crescer 45% até 2030. Mas, conforme o Atlas da Irrigação, a área irrigada no país chega atualmente a 8,2 milhões de hectares, apenas 3% da área produtiva ocupada pela agropecuária. O que ainda é pouco, frente ao desafio de produzir alimentos de forma sustentável e em quantidade suficiente.

Para os próximos anos, com a internet e a tecnologia interligando a propriedade do começo ao fim, espera-se que o produtor consiga gerenciar de forma ainda mais inteligente a irrigação a partir de dados coletados sobre o solo, o clima e as condições de cultivo. A agricultura digital no agronegócio significa mais eficiência, rapidez e comprometimentos com as melhores decisões para que se mantenha os bons resultados e a sustentabilidade, uma vez que não há um caminho alternativo para lidar com o estresse hídrico se não com o auxílio da irrigação. Então, o que precisa ser feito é o uso inteligente da água, levando em consideração que cada propriedade merece um estudo isolado do solo, do clima e dos requisitos das culturas para implementar o melhor sistema de irrigação. Com uma gestão de recursos hídricos competente, consciente e aberta para incorporar os novos conceitos e tendências, é possível trazer segurança hídrica para todos. 

ARTIGOS RELACIONADOS

Corteva Agriscience participa da 5ª edição do Digital Agro

Empresa destacará soluções tecnológicas sustentáveis para o produtor rural.

Fosfito x podridão da base em pupunha

Eduardo Jun Fuzitani Pesquisador científico do Polo Regional Vale do Ribeira - APTA edufuzitani@apta.sp.gov.br   A podridão da base do estipe (PDE) ataca plantas jovens e adultas...

Tudo que a floresta produz

As florestas plantadas ocupam uma área de 10 milhões de hectares (IBGE). O Brasil lidera o ranking global de produtividade florestal, com uma média de 35,7 m³/ha/ ano para os plantios de eucalipto e 30,5 m³/ha/ano de pinus (Indústria Brasileira de Árvores, 2016).

Pulverização da cebola – Erros que podem ser fatais

A aplicação de defensivos não se resume apenas em aplicar produto, mais sim na combinação de vários fatores (cultura, praga, doença, planta invasora, produto, equipamento e ambiente). Tendo em vista esses fatores, podemos dizer que vários erros ocorrem durante o processo de aplicação de defensivos na cebola e em outras culturas, de um modo geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!