18.1 C
São Paulo
sexta-feira, agosto 12, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Eficiência da Beauveria contra tripes do feijoeiro

Eficiência da Beauveria contra tripes do feijoeiro

Janaina Marek

Engenheira agrônoma, mestre e doutoranda em Produção Vegetal – Universidade Estadual do Centro-Oeste

janainamarek@yahoo.com.br

Dione de Azevedo

Engenheiro agrônomo ” Cooperativa Agroindustrial Bom Jesus

dione.azevedo@hotmail.com

Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

O tripes do feijoeiro (Caliothripsphaseoli, ordem Thysanoptera e família Thripidae), é uma das pragas que causa danos severos à produtividade da cultura, prejudicando seu desenvolvimento. Em altas infestações, este inseto causa grandes prejuízos, acarretando em significativas perdas de produtividade.

Em busca de novas alternativas de controle, a utilização de fungos entomopatogênicos, como Beauveriabassiana, tem sido eficiente no controle de tripes em cultivos de feijoeiro.

Como identificar a presença de tripes na cultura

O ciclo de vida destes insetos é em média de 15 dias. Tanto ninfas quanto adultos sugam a seiva das plantas hospedeiras.

Pesquisadores na região de São Paulo avaliaram a suscetibilidade de ocorrência de tripes em cultivares de feijão em diferentes estações de crescimento (16 cultivares no inverno e 19 cultivares no verão) e observaram que na estação seca todas as cultivares foram suscetíveis.

Os autores afirmam que as ninfas de tripes preferem infestar as folhas da parte inferior das plantas de feijão e, nas cultivares testadas, a ocorrência do inseto não foi influenciada pelas condições climáticas (temperatura, umidade relativa ou chuva).

Outro resultado observado foi que no inverno houve menor infestação de tripes, tendo maior ocorrência aos 60 dias após a emergência, enquanto que no verão a infestação ocorreu antes, dos 32 aos 46 dias após a emergência (Boiça Júnior et al., 2015).

Sintomas do ataque por tripes

Os tripes atacam folhas, sementes e frutos. Os principais sintomas do ataque desta praga são a presença de pontuações esbranquiçadas na superfície superior das folhas (adaxial), resultantes da sucção do conteúdo celular.

Situações de infestações severas no início do desenvolvimento das plantas de feijão podem causar a seca das folhas. Outro sintoma comumente observado é o bronzeamento das folhas decorrente da alimentação do conteúdo celular, além de provocar o escurecimento dos frutos e grãos, devido às picadas do inseto.

As fases em que são observados maiores ataques da praga são no crescimento vegetativo, floração e frutificação, uma vez que o local de reprodução são as folhas.

Pesquisas têm evidenciado a eficiência da aplicação de Beauveria bassiana no controle de pragas do feijoeiro - Crédito Ana Maria Diniz
Pesquisas têm evidenciado a eficiência da aplicação de Beauveria bassiana no controle de pragas do feijoeiro – Crédito Ana Maria Diniz

Danos

Os danos causados por tripes podem ser de duas maneiras:

ÃœDanos diretos: para se alimentar da planta, o tripes perfura os tecidos vegetais para extrair a seiva com seu estilete (aparelho bucal sugador labial triqueta = com três estiletes). Ao perfurar o tecido vegetal, o inseto rasga o local para sugar a seiva extravasada e o tecido vai se tornando ressecado. Desta forma, ocorre a redução da área fotossinteticamente ativa da planta. Por isso, no tecido atacado é possível observar a formação de pontuações brancas, oriundas da alimentação do inseto. Além deste dano, o tripes também pode apresentar toxicidade na saliva, e assim provocar o desenvolvimento de uma galha ou de lesões pontuadas prateadas.

ÃœDanos indiretos: os tripes podem ser vetores de vírus e, neste caso, o dano proporciona maiores prejuízos.

A adoção do controle biológico tem se mostrado alternativa viável Crédito Ana Maria Diniz
A adoção do controle biológico tem se mostrado alternativa viável Crédito Ana Maria Diniz

Utilização de biopesticidas

O desenvolvimento de novas estratégias de controle da praga em cultivos protegidos vem se tornando necessário em função dos problemas acarretados pelo uso constante de inseticidas químicos.

Várias pesquisas têm evidenciado a eficiência da aplicação de Beauveriabassianano controle de pragas em diferentes culturas, como é o caso do controle de mosca-branca em feijoeiro.Por isso, atualmente tem-se avaliado a eficiência deste biopesticida para o controle de tripes do feijoeiro.

  1. bassiana é um fungo entomopatogênico que ocorre naturalmente nos solos de todo o mundo. Por isso é comumente denominado de inseticida microbiano, biopesticida, agente entomopatogênico ou entomopatógeno. Todos estes nomes se referem ao mesmo agente de controle.

Alguns produtos à base de B. bassiana também controlam outros alvos, como: mosca-branca (Bemisia tabaci), broca do café (Hypothenemushampei), ácaro-rajado (Tetranychusurticae) e gorgulho do eucalipto (Gonipterusscutellatus).

Modo de ação

Os fungos, ao infectarem o tripes, provocam lentidão nos movimentos, o corpo do inseto incha e fica coberto pelo fungo, reduzindo e cessando a alimentação.

Muitos pesquisadores descrevem a ação deste fungo como uma doença que ocorre na praga, denominada de parasitismo, em que os esporos (conídios) do fungo germinam na superfície da praga, penetram seu tegumento e colonizam os órgãos internos. Então ocorre a liberação de toxinas que reduzem a mobilidade do inseto. Com isso, ele para de se alimentar e morre.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de abril 2018 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Grãos Eficiência da Beauveria contra tripes do feijoeiro