26.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosVigorFert - Nutrição vegetal de ponta

VigorFert – Nutrição vegetal de ponta

Fotos Ana Maria Diniz
Fotos Ana Maria Diniz

Essa foi a primeira vez que a VigorFert participou da Fenicafé com estande, o que antes acontecia com parceiros. Especializada no segmento de nutrição vegetal, a empresa tem uma linha de fertilizantes organominerais peletizados de aplicação via solo que gera uma série de benefícios para a planta, pois em um único pellethá todos os macro e micronutrientes, aminoácidos, ácidos orgânicos e a matéria orgânica.

Objetivo

Para Renato Maia, coordenador de vendas da VigorFert, a importância de se fazer presente na Fenicafé é pela divulgação da empresa e dos produtos. “Essa tecnologia de organomineral via solo é relativamente nova e muito promissora, principalmente para a cafeicultura.Muitos produtores já ouviram falar, mas não tiveram a oportunidade de conhecer e se aprofundar no conhecimento da tecnologia“, pontua.

A vantagem do organomineral via solo é o fornecimento de todos os macro e micronutrientes, matéria orgânica, aminoácidos, ácidos orgânicos, tudo em apenas duas ou quatro aplicações, o que depende da carga.

Isso otimiza o maquinário e o tempo do produtor, além de reduzir drasticamente a perda de nutrientes no solo, um gargalo grande quando o fertilizante comum não tem  nenhum tipo de proteção.

“Atualmente, 90% do mercado usa o fertilizante comum, comprado de misturadoras de adubo. Essas são as matérias-primas apenas misturadas e jogadas no solo, sem nenhum tipo de proteção contra perdas. Então o fósforo será fixado em grande parte eo nitrogênio e o potássio terão grandes perdas por lixiviação e volatilização. Por outro lado, quando são envolvidos com a matéria orgânica e peletizados, há essa proteção e liberação gradual do nutriente, nutrindo melhor a planta ereduzindo perdas/prejuízos, porque o produtor acaba usando, se muito, apenas 30% do fósforoe 60% no nitrogênio que ele compra“, exemplifica Renato Maia.

Ele afirma ainda que estas características fazem com que o fertlizante da VigorFert seja denominado de “fertilizante especial“ porque são vários elementos protegidos e tudo num mesmo pellet, ou seja, uma evolução dos fertilizantes comuns.

Para o produtor

A VigorFert oferece a todos os seus clientes assistência técnica de ponta. Com ela, os resultados observados com o uso dos fertilizantes organominerais são a melhora da estrutura do solo pela matéria orgânica, otimizaçãode produtividade sem aumento de custo, porque ao contrário do que muitos pensam, não é um produto muito mais caro. “O seu custo-benefício é muito interessante“, confirma Renato Maia.

“Por ser protegido com matéria orgânica, ele é muito mais barato do que a maioria dos fertilizantes especiais importados. Isso porque a matéria orgânica é nacional e faz o mesmo efeito da maioria dos fertilizantes protegidos, que são bem mais caros“, acrescenta.

A empresa

A VigorFert é uma empresa do Grupo JC, que produz a matriz orgânica de origem vegetaleoferece proteção para o fertilizante. “Temos desenvolvido, junto com a Universidade Federal de Uberlândia e Universidade Federal de São Paulo, essa matriz orgânica e a forma de fazer esse pelletde forma que ele tenha liberação gradual e todos os benefícios agronômicos.Quando desenvolvemos o produto e avaliamos em testes de campo e científicos, começamos a montagem de fábrica“, relata Renato Maia.

A fábrica/indústria da VigorFert tem três anos, mas o Grupo JC há mais de 20 anos desenvolve outras linhas de produtos. São sete unidades no Brasil, sendo que a fábrica matriz de organomineral foi inaugurada em 2016 em Uberlândia (MG).

“A ideia é construirmos outras unidades fabris de organomineral nas outras unidades – duas em Goiás, duas em Minas Gerais, duas em São Paulo e uma no Rio Grande do Sul. Cada uma dessas unidades terá uma fábrica de organomineral para atender o mercado regional à sua volta. É nessas unidades que estão nossas matrizes orgânicas de origem vegetal. Ao invés de transportarmos a matriz orgânica, construímos as fábricas e fazemos os adubos lá“, detalha o profissional.

Essa matéria você encontra na edição de abril 2018 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Café especial – tendência que não para de crescer

Se você é um entusiasta de café, e tem alguns aparelhos para extração em casa, vale entender qual o método e escolher a granulometria correta.

Dia 14/10,  engenheiros agrônomos lançam livro sobre a evolução do agro nos últimos 50 anos

Obra mostra a evolução da agropecuária nacional e destaca a atuação dos 200 engenheiros agrônomos formados pela Esalq/USP em 1967 Muitas transformações ocorreram na agricultura...

Silício ajuda na prevenção da ferrugem do cafeeiro

Cássio Pereira Honda Filho Engenheiro agrônomo, mestrando em Fisiologia Vegetal " Universidade Federal de Lavras e membro do Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem...

Alltech Crop Science chega ao Chile focada em soluções sustentáveis para os desafios da agricultura

Presente em 38 países, a empresa também anunciou recentemente a instalação de um laboratório próprio de fermentação na Costa Rica A Alltech Crop Science, divisão...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!