28.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesEvento no Maranhão vai mostrar tecnologias que diversificam culturas na agricultura familiar

Evento no Maranhão vai mostrar tecnologias que diversificam culturas na agricultura familiar

Foto: Carlos Santiago

Nos próximos dias 1 e 2 de fevereiro, no município de Magalhães de Almeida-MA (Distrito Custódio Lima), a Embrapa Cocais – em parceria com a Ambev, a Cooperativa dos Produtores do Tabuleiro de São Bernardo – – COOPRODUTASB e o Governo do Estado do Maranhão – vão promover dois eventos para mostrar soluções tecnológicas sustentáveis que contribuem para a diversificação de culturas na agricultura familiar, geração de renda e segurança alimentar.

Um deles é o dia de campo Manejo do Consórcio Rotacionado para Inovação na Agricultura Familiar – CRIAF, que será realizado na manhã do dia 1º de fevereiro e será voltado para assistentes técnicos, professores, estudantes, extensionistas e produtores familiares. Segundo o coordenador do evento, o analista da Embrapa Cocais Carlos Santiago, o objetivo é mostrar que o CRIAF envolve o cultivo das culturas alimentares do arroz, feijão, milho e mandioca em consórcio, com possibilidade de rotação de culturas como práticas de sustentabilidade ambiental e segurança alimentar para o desenvolvimento da agricultura familiar do Maranhão.

“É um policultivo das culturas mais produzidas pelos agricultores familiares para consumo familiar e comercialização in natura ou processados e subprodutos. Esse conjunto tecnológico que compõe o CRIAF representa tecnologias sustentáveis que fazem parte das soluções para redução do fogo na agricultura, no combate à pobreza e redução da fome, por meio da produção diversificada de alimentos”. A tecnologia da Embrapa Cocais será tema da palestra “Manejo do CRIAF – Consórcio e rotação de culturas  –  fatores para a diversificação e obtenção de altas produtividades com as culturas alimentares da mandioca, arroz, feijão e milho”, a ser ministrada por Santigo.

Como parte da programação do dia de campo, também haverá palestra sobre “Melhoramento genético na cultura da mandioca”, a ser realizada pelo pesquisador Guilherme Abreu, da Embrapa Cocais. “Serão abordadas as principais características avaliadas em programas de melhoramento genético da mandioca e os participantes poderão conferir experimentos instalados no local”, adiantou.

Também serão apresentados resultados preliminares do projeto executado pela Embrapa, em parceria com a AMBEV, COOPRODUTASB e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST. Espera-se, ao final do pojeto, a recomendação de duas ou três variedades de alta produtividade de raízes e alto teor de amido em diferentes condições edafoclimáticdas no estado para melhorar a produtividade dos mandiocultores.

“Procura-se produtividade acima de 30 toneladas por hectare e teor de amido igual ou maior a 30%. O trabalho de avaliação das características agronômicas dos genótipos e definição de tecnologias para maximizar o potencial das lavouras e raízes repercutirá também na quantidade dos demais produtos de mandioca, como a farinha”, complementa o pesquisador.

O evento trará ainda o tema “PROJETO AMBEV – Parceria, ação social e benefícios para o produtor”, a serem abordados pelas palestrantes Antônia Daniela (AMBEV) e Suzane Bittencourt Lopes (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural-AGERP). Antônia Daniela, engenheira agrônoma, fará  apresentação das metas de sustentabilidade da Ambev, focando em ações desenvolvidas nas comunidades parceiras do Projeto Magnifica do Maranhão e o impacto positivo gerado com o projeto de pesquisa em parceria com a Embrapa Cocais. “O objetivo desse trabalho é contribuir com uma agricultura mais inclusiva e sustentável”.

Suzane Lopes, engenheira agrônoma e extensionista da AGERP, trabalha diretamente com os agricultores da Cooperativa do Perímetro Irrigado onde existem os trabalhos da Ambev com a Embrapa Cocais. Ela vai tratar da comercialização de mandioca para Ambev e benefícios e oportunidades que os agricultores tiveram a partir desse processo. “Também irei falar sobre a melhoria na produção no campo para se adaptar ao que a Ambev exige em termos de qualidade da matéria-prima. E ainda sobre o trabalho da AGERP dentro do perímetro com os agricultores da cooperativa e associação existente no local, experimentos instalados, projetos e resultados”.

Mecanização na cultura da mandioca

No período da tarde do dia 1º de fevereiro e durante todo o dia 2 de fevereiro, será a vez do segundo evento, a ser realizado na Cooperativa dos Produtores Rurais do Tabuleiro de São Bernardo, no Povoado Alto Alegre: o curso “Mecanização na cultura da mandioca”, uma das atividades do projeto de pesquisa da Embrapa Cocais/Ambev. Entre os participantes, assistentes técnicos, professores, estudantes de ciências agrárias, extensionistas, agricultores familiares. O instrutor é o professor Marcos Roberto da Silva, da Universidade Federal do Recôncavo Baiano.

Entre os temas a serem abordados estão sistema mecanizado de produção de mandioca, noções sobre conservação do solo e da água na produção de mandioca, sistemas de manejo – convencional e conservacionista. Durante todo o dia do segundo dia do curso, será a parte prática. Os participantes farão seleção de material propagativo para plantio mecanizado, regulagem e manejo de plantadora adubadora, aplicarão implementos agrícolas para manejo fitossanitário, manejo de plantas daninhas e adubação de cobertura e implementos auxiliares para a colheita.

“Vou apresentar o estado da arte de máquinas agrícolas empregadas na produção de mandioca, desde implementos de plantio mecanizados a manuais, bem como conceitos de conservação do solo e da água e técnicas utilizadas no sistema de produção de mandioca. É de suma importância o preparo de solo de forma correta, as regulagens da quantidade de fertilizantes e sementes por área e detalhes na prática do plantio mecanizado, bem como do material propagativo para o plantio e estabelecimento da cultura. Todos esses passos facilitam o tempo de plantio e de colheita e reduzem o custo de produção. É o diferencial do manejo mecanizado”, explica Marcos Roberto.

ARTIGOS RELACIONADOS

Estratégias de racionalização de fertilizantes

O uso racional de fertilizantes em tempos de crise será tema do painel que a Embrapa Soja, em parceria com a Sociedade Rural do Paraná...

Trigo no Cerrado é tema de live nesta segunda, na Agrobrasília Digital

No primeiro dia da Agrobrasília Digital, realizada de 6 a 10 de julho, a Embrapa promove um debate online sobre as oportunidades para o crescimento do trigo na região central do Brasil.

Pecuaristas buscam soluções para driblar escassez de insumos

O ano de 2021 tem sido desafiador para todos os setores da economia devido à pandemia ...

Novo padrão chinês da soja

A proposta do novo padrão chinês da soja, que está em discussão na Organização Mundial ....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!