16.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMercadoExportações de café brasileiro atingem 2,7 milhões de sacas em novembro

Exportações de café brasileiro atingem 2,7 milhões de sacas em novembro

Receita cambial no período registrou US$ 460,6 milhões

 

Café em grãos
Café em grãos

Em novembro, as exportações de café do Brasil apresentaram um recuo de 3,2% na comparação com o mês anterior, segundo relatório divulgado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Com isso, o total de sacas exportadas no período foi de 2.785.853, com receita cambial chegando a US$ 460,6 milhões e o preço médio em US$ 165,34.

No acumulado do ano civil (janeiro a novembro de 2017), o Brasil registra um total de exportação de mais de 27,7 milhões de sacas, o que representa uma queda de 10,7%, na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita cambial também teve um declínio, alcançando US$ 4,7 bilhões.

Entre as variedades embarcadas, o café arábica correspondeu por 88% do volume total de exportações (24.349.627 sacas), seguido pelo solúvel com 11,1% (3.061.467 sacas) e robusta com 0,9% (239.871 sacas).

“O mercado de exportação de café segue dentro do previsto. Os embarques apresentam números dentro do esperado e devem finalizar o ano civil com 30/31 milhões de sacas. O primeiro semestre de 2018 não deve apresentar surpresas, com a performance da exportação brasileira seguindo tranquila. Já no meio do ano, com a entrada da nova safra, deve haver retomada do ritmo de mais ofertas e mais fluxo nesse mercado“, afirma o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Principais destinos

No acumulado do ano civil, os Estados Unidos seguem na liderança do consumo do café brasileiro, com 19,9% de participação (5.509.455 sacas). A Alemanha aparece na sequência com 17,5% (4.844.924 sacas). Ainda figuram no ranking: Itália com 9,5% (2.617.294 sacas), Japão com 6,7% (1.852.330 sacas) e Bélgica com 5,8% (1.591.736 sacas).

No período, a Turquia ganha destaque com crescimento nos embarques recebidos do Brasil, respectivamente de 13,4% (849.612 sacas).

Diferenciados

Os cafés diferenciados chegaram a 4.432.580 no acumulado do ano civil (de janeiro a novembro de 2017). Os principais destinos, no período, foram: Estados Unidos (994.702 sacas), Alemanha (619.199 sacas), Bélgica (525.912 sacas), Japão (427.643 sacas) e Itália (398.017 sacas).

Preços

 

No ano civil (de janeiro a novembro de 2017), o preço médio foi de US$ 169,9, um crescimento de 8,6%, na comparação com o mesmo período no ano passado, quando a média havia ficado em US$ 156,45.

 

Portos

De janeiro a novembro de 2017, o Porto de Santos liderou a concentração da maior parte das exportações, com 84,8% (23.470.783 sacas). O Porto do Rio de Janeiro aparece na sequência, com 11% dos embarques (3.035.924 sacas).

O relatório completo está disponível no site do Cecafé: http://www.cecafe.com.br/

Sobre o Cecafé

Fundado em 1999, o Cecafé ” Conselho dos Exportadores de Café do Brasil ” representa e promove ativamente o desenvolvimento do setor exportador de café no âmbito nacional e internacional. A entidade oferece suporte às operações do segmento por meio do intercâmbio de inteligência de dados, ações estratégicas e jurídicas, além de projetos de cidadania e responsabilidade social. Atualmente, possui 139 associados, entre exportadores de café, produtores, associações e cooperativas no Brasil, correspondendo a 95% dos agentes desse mercado no país.

 

Contatos para imprensa:

 

CDN Comunicação

Juliana Portugal (11) 3643-2942 juliana.portugal@cdn.com.br

Erick Paytl (11) 3643-2919  erick.paytl@cdn.com.br

Rodrigo Ferrari (11) 3643-2734 rodrigo.ferrari@cdn.com.br

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Conheça o nutriente que auxilia na produtividade e no teor de proteína da soja

  Estudo aponta que o uso de molibdênio associado à aminoácidos específicos pode potencializar os resultados na colheita O manejo nutricional no ciclo da soja é...

Fertilizantes foliares complexados com aminoácidos: evolução em nutrição

  Luis Fernando Gundim Engenheiro agrônomo e consultor especialista em HF luis.fernando@ciadaterra.com   Para toda a planta, os aminoácidos (a.a.) são fontes diretas de substrato para suas reações...

O fosfito, a produtividade e a floração do maracujazeiro

Keize Pereira Junqueira Doutora em Fitopatologia e pesquisadora da Embrapa O fosfito de potássio é considerado um indutor de resistência a doenças e seu efeito no...

Cobre é benéfico para a cultura da cebola

  Claudinei Kurtz Engenheiro agrônomo, doutor em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas e pesquisador da Epagri " EE Ituporanga kurtz@epagri.sc.gov.br   O cobre é um micronutriente...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!