15.2 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosFertilizantes organominerais tornam os nutrientes disponíveis para a planta

Fertilizantes organominerais tornam os nutrientes disponíveis para a planta

Jorge Otavio Mendes de Oliveira Junek

Mestre em Agronomia, professor da Uniaraxá, consultor e pesquisador

jorge.junek@gmail.com

 Crédito Luize Hess
Crédito Luize Hess

A matéria orgânica é uma necessidade à fertilidade dos solos brasileiros na sua maior parte. Isto ocorre porque os solos brasileiros, principalmente no Cerrado, têm baixa capacidade de troca de cátions, característica que a matéria orgânica é capaz de alterar positivamente por conta da sua presença no solo.

O aumento da matéria orgânica eleva a CTC do solo, portanto, a fertilidade é potencializada. Ocorre que a matéria orgânica, diferente dos minerais, é consumida, tornando o solo novamente pobre com o passar do tempo. Assim, de maneira geral, não encontramos restrições ao uso de matéria orgânica, pelo contrário, sempre estamos tentando adicioná-la, uma vez que a mobilização do solo, a aplicação de nitrogênio e outras práticas acabam por consumir este recurso.

Neste sentido, a adubação organomineral, que associa a matéria orgânica diretamente com os fertilizantes químicos comumente utilizados na prática da agricultura, se torna interessante.

No solo

Se a aplicação a lanço de matéria orgânica altera a capacidade de troca de cátions (CTC), então esta mesma matéria orgânica irá alterar a CTC no sulco de aplicação do fertilizante.

Acontece que quando aplicamos a matéria orgânica a lanço, estamos fazendo isso em área total. Quando aplicamos localizado, estamos aumentando a concentração desta matéria orgânica por volume de solo. Ou seja, aplicando a lanço estamos produzindo um tipo de benefício já comprovado, mas quando utilizamos localizado, outro tipode benefício é alcançado.

Acontece que não é apenas a aplicação da matéria orgânica que ocorre,mas a aplicação de NPKMO, ou seja, de NPK mais a matéria orgânica (MO), associados em um mesmo grânulo.

Não confunda

As formas de composição destes grânulos diferem, dependendo das técnicas empregadas,portanto, é necessário entender isto para não incorrer no erro dedizer que produtos semelhantes são iguais.

Voltando ao caso da associação entre NPK e matéria orgânica, podemosdizer que a matéria orgânica, por conta da proximidade com o fertilizantequímico, melhora as condições da fertilidade, potencializando ofertilizante químico. Lógico, com limites bem definidos para a potencialização.

O fato não exclui a necessidade de químicos, mas reduz a necessidade, dependendo do caso, o que vale dizer que podemos utilizarmenos químicos para chegar ao mesmo resultado final.

 A adubação organomineral melhora o solo - Crédito Luize Hess
A adubação organomineral melhora o solo – Crédito Luize Hess

Interação

Os mecanismos de interação dos organominerais ainda estão sendo melhorentendidos, contudo, seus resultados vêm produzindo efeito de utilização cada vez melhores no campo. E, vamos combinar, não há melhorteste que a prática da agricultura e seus resultados.

Manejo

Diferentes estilos de agricultura foram desenvolvidos, entre eles, a utilização de produtos químicos foi a mais bem sucedida, com osgrânulos de NPK, os quais são aplicados via máquinas, o que torna o trabalho muito mais eficiente.

Foi essa a grande sacada da técnica que, pensada e desenvolvida,adicionou ao grânulo de NPK a matéria orgânica, aproximandoa necessidade de matéria orgânica à vontade de melhorar a fertilidade.

Assim, não existe mais a barreira entreaplicar matéria orgânica a lanço, em área total, e aplicar de forma localizada agregada aos fertilizantes químicos. Lógico, a primeiranão tem limites como na segunda. Mas a segunda nos abre outras possibilidades, e é isso que estamos testando no campo nesse exatomomento.

A nutrição da planta

A matéria orgânica é fundamental para o aumento da capacidade de trocade cátions dos solos brasileiros, geralmente pobres. Trocando em miúdos,a matéria orgânica aumenta a capacidade do solo de reter os elementos,assim, melhorando a fertilidade do solo.

É importante entender que domesmo modo que afeta positivamente o excesso, também pode provocarnecessidades extras de alguns elementos, como no caso do nitrogênio,por exemplo. Em solos ricos em matéria orgânica, a utilização de nitrogênio se dá de forma mais intensa que em solos com baixa presença de nitrogênio.

A utilização de organominerais leva uma quantidadede matériaorgânica muito pequena, no entanto, estáassociada aos produtos químicos, o que tem dado bons resultados, a despeito de toda discussão. Lógico que as necessidades de cadasolo influenciam os resultados, e para cada caso há necessidade de se teruma recomendação estudada, portanto,a opinião de um agrônomo é fundamental.

Essa matéria completa você encontra na edição de abril 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Ativadores da biota do solo melhoram a adubação

Os ativadores da biota do solo são aliados poderosos na melhoria da adubação.

Técnica para aplicação de micronutrientes no tomateiro via marcha de absorção

Leandro Hahn Engenheiro agrônomo, doutor e pesquisador em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas na Estação Experimental de Caçador (SC), Epagri e professor da...

Sensores indicam nitrogênio disponível na planta

Diego Henriques Santos Engenheiro agrônomo da CODASP - Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo dihens@bol.com.br A Agricultura de Precisão (AP) é um conjunto de tecnologias que...

Viveiro de mudas de cafeeiro a pleno sol

Do ponto de vista fitotécnico, o sucesso do processo produtivo começa a partir da seleção de mudas que irão compor a lavoura cafeeira, sendo determinantes para o bom desenvolvimento e sanidade de plantas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!