Inicio Revistas Grãos Fertirrigação traz múltiplas vantagens ao canavial

Fertirrigação traz múltiplas vantagens ao canavial

0
292

Osvaldo Arce de Brito

Engenheiro agrícola, gerente de projetos e consultor técnico na HidroEng Consultoria em Fertirrigação e Irrigação

osvaldo@hidroeng.com.br

 

Créditos HidroEng
Créditos HidroEng

O uso de fertilizantes dissolvidos na própria água de irrigação, a chamada fertirrigação, traz vários resultados positivos ao canavial, como economia em adubação mineral; melhoria contínua no condicionamento do solo; ganhos de produtividade e de longevidade; destinação final racional da vinhaça; garantindo assim um sistema de produção com maior sustentabilidade.

Fertirrigação + vinhaça

A fertirrigação utilizando a vinhaça como fertilizante é uma operação agrícola já consolidada nas usinas de produção de açúcar, etanol e energia elétrica, em função da disponibilidade do subproduto vinhaça pós o processamento da cana-de-açúcar.

A fertirrigação utilizando a vinhaça, que apresenta em sua composição água, matéria orgânica e alguns nutrientes, destaque para o potássio, tem a capacidade de suprir parte do déficit hídrico da cultura na fase pós-colheita (época do tratamento de fertirrigação), auxiliando no restabelecimento da cultura em um novo ciclo fisiológico, melhorias contínuas do condicionamento do solo e suprir total ou parcialmente a necessidade da cultura em relação a alguns nutrientes.

Cuidados

Primeiramente, se faz necessário a análise do solo x ciclo da cultura para definição da dosagem a ser aplicada. No caso da vinhaça, é o potássio que define essa dosagem, mas é importante verificar a legislação estadual sobre o Plano de Aplicação de Vinhaça (PAV), o qual define os limites de dosagem em função da concentração da vinhaça e extração da cultura. Operacionalmente, se faz necessário:

– Que a vinhaça esteja resfriada;

– Conhecimento do teor de potássio;

– Planejamento das áreas atendidas x produção de vinhaça;

– Domínio sobre o projeto de transporte por adutoras, canais, etc.

– Aferição e conhecimento sobre os equipamentos de aplicação (sistemas de irrigação);

– Capacitação da equipe operacional de fertirrigação.

 

A técnica de fertirrigação utilizando a vinhaça permite uma destinação final racional a esse subproduto - Créditos HidroEng
A técnica de fertirrigação utilizando a vinhaça permite uma destinação final racional a esse subproduto – Créditos HidroEng

Check-list

É necessário um planejamento das áreas atendidas versus a produção de vinhaça, ou seja, a liberação de área deve ser feita em função da produção de vinhaça. É importante, também, fazer a checagem dos volumes de produção x sistema de transporte x sistema de aplicação. O produtor ainda deve definir as frentes de aplicação e de montagem de sistemas móveis compatíveis com cada projeto e produção de vinhaça.

Manejo

O manejo deve obedecer à dosagem pré-definida, com a aplicação logo após a colheita. Quanto menor o intervalo entre a colheita e a aplicação, melhores são os benefícios, principalmente referentes a minimizar o déficit hídrico.

Investimento

O custo de implantação de sistemas de transporte via adutora e sistema de aplicação via aspersão por carretel enrolador varia em função da topografia e distribuição das áreas. Os valores dos investimentos podem variar de R$ 1.500 a R$ 3.000 por hectare.

O custo operacional do sistema mencionado pode variar de R$ 0,80a R$ 1,30 por metro cúbico aplicado em um hectare.

Viabilidade

A técnica de fertirrigação utilizando a vinhaça permite uma destinação final racional a esse subproduto, caracterizando reciclagem de nutrientes (não necessitando da compra de formulação mineral referente ao potássio e redução de outros nutrientes, a exemplo do nitrogênio).

Melhorias contínuas no condicionamento do solo e a melhor absorção pela cultura de nutrientes traz como consequência direta o aumento de produtividade (TCH) e de longevidade (pelos menos um corte a mais).

Essa matéria você encontra na edição de janeiro 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

SEM COMENTÁRIO