23.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioMercadoGira recebe aporte e espera movimentar mais de R$ 1 bilhão em...

Gira recebe aporte e espera movimentar mais de R$ 1 bilhão em operações de crédito na safra deste ano

Solução revoluciona a cadeia de crédito do agronegócio com a oferta de uma plataforma de acompanhamento da produção, que envolve conhecimentos jurídicos e agronômicos

Com a proposta de fazer uso da tecnologia para revolucionar a gestão de recebíveis para agroindústrias, distribuidores de insumos agrícolas, cooperativas e tradings, a GIRA (Gestão Integrada de Recebíveis do Agronégócio) acaba de receber um aporte do fundo Venture Brasil Central, gerido pela Cedro Capital. Com o investimento, a agritech atinge R$ 6 milhões em captação para expandir sua capilaridade no país e na América Latina. Depois de rodar 2017 em estágio piloto, movimentando R$ 85 milhões em operações de crédito, a expectativa para a nova safra com a nova versão da plataforma é atingir um volume superior a R$ 1 bilhão.

“Proporcionamos mais segurança para os agentes de crédito e menor custo para os produtores vinculando as operações à garantia de produção agrícola, dentro de um padrão de conhecimento jurídico e agronômico que permita confiabilidade dos indicadores de risco“, afirma Gianpaolo Zambiazi, CEO da GIRA.

Uma das principais inovações da startup mineira é a utilização de um novo tipo de CPR – Cédula de Produto Rural, que já traz consigo os indicadores agronômicos, o que permite um grande ganho sistêmico na estruturação das operações de crédito, beneficiando produtores e concessores de crédito. A ideia é mitigar o risco do investimento e proporcionar mais versatilidade ao produtor para fazer suas operações de financiamento.

Segundo Alessandro Machado, sócio da Cedro Capital, a solução inovadora da GIRA atende a uma demanda latente do mercado que é o compromisso com a produtividade. “Acreditamos que o uso da tecnologia e mão de obra qualificada na mitigação de riscos e definição assertiva dos indicadores de performance deverá contribuir muito para que o setor de agronegócios atinja patamares ainda mais elevados de resultados em toda sua cadeia produtiva“.

Atualmente, a GIRA já possui mais de 1100 cadastros de engenheiros agrônomos, técnicos agrícolas e advogados aptos a fazer a coleta e análise de informações sobre áreas em todo o país que apresentem um potencial de produtividade, além de levantar indicadores de risco. “O que fazemos basicamente é replicar o modelo do UBER para o agronegócio. Nosso sistema localiza engenheiros agrônomos ou advogados cadastrados em uma determinada área. O vistoriador escolhido vai até o local, faz as evidências da situação da lavoura, seguindo um protocolo de coleta de dados e dá o seu parecer. A partir destas evidências, conseguimos classificar o risco e comunicar ao credor a situação fática, o que permite com que ele tome uma decisão com base em informações reais e pontuais. O vistoriador, por sua vez, ganha pontos que são convertidos em créditos“, explica Gianpaolo.

Nova versão da plataforma ” Depois de rodar 2017 em estágio piloto, a GIRA acaba de lançar sua plataforma 1.5 para a safra deste ano. Além de ser mais intuitiva, a nova versão traz um método de gestão baseado em blockchain, permitindo a integração de todos os processos internos de aprovação das operações. O sistema também adota uma nova sistemática de gestão da informação com novas opções em dash board e integração com outros sistemas por meio de suas APIs.

ARTIGOS RELACIONADOS

Por que o ESG sem o G não funciona?

Para se ter uma ideia da importância da tecnologia nesse processo, a automatização do processo de cálculos da remuneração variável se tornou um dos requisitos, os chamados SOXs, para todas as empresas listadas nas bolsas de valores dos EUA.

Peculiaridades que só a madeira nobre tem

A madeira nobre pode ser entendida por suas características peculiares estéticas (com aspectos interessantes de cor ou desenho), pela pouca abundância, porque normalmente o...

Silício em café traz mais produtividade e menos doenças

  VandimilliAraújo Lima Graduanda em Agronomia - UFLA Daniela Andrade Mestre em cafeicultura/analista em Planejamento e Gestão Agrícola da AC Café daniela.agronomia@outlook.com   A partir de 2004 o silício (Si) foi...

Sojicultores com maiores produtividades na safra 2018/19 serão premiados em Londrina

O manejo eficiente das lavouras de soja, com o uso correto dos produtos e investimento em tecnologia, contribui para o aumento de produtividade. A BASF faz...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!