28.7 C
Uberlândia
sábado, fevereiro 24, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesGirassol previne incêndios no campo

Girassol previne incêndios no campo

Crédito CNA

O inverno é marcado por ser um período do ano em que o clima é mais seco. Consequentemente, há um aumento na incidência de queimadas, que são provocadas tanto pelo ser humano quanto pelo próprio meio ambiente e faíscas que sai do escapamento das colheitadeiras (máquinas agrícolas). Elas acontecem nas áreas de florestas, regiões rurais e entornos de rodovias e estradas.

Para os produtores rurais, essas queimadas podem gerar grandes prejuízos. O produtor Homero Fuzaro, após ver seus vizinhos perderem sua produção com queimadas no ano passado, procurou se prevenir. A fazenda Passarinho, localizada na zona rural de Uberlândia (MG), possui 400 hectares, hoje produz 150 hectares de milho, 150 hectares de sorgo e agora passou a produzir 40 hectares de girassol.

Esta última cultura é feita em 30 metros na bordadura da lavoura. O girassol veio como tática para evitar que pegue fogo na palhada do milho e no sorgo, e quem explica melhor essa técnica é o produtor. “Todo inverno é muito seco, a minha área de produção faz divisa com a estrada e ferrovia, uma área de risco para minha produção, então se acontecer algum incêndio perto, fica difícil agir rapidamente, o fogo entra na palhada e toma conta. Então, plantei girassol em volta da minha lavoura de milho e sorgo com o intuito de fazer uma cerca natural”.

Homero começou plantando o milho, depois o sorgo e por último o girassol. Trata-se de uma cultura precoce, e mesmo sendo o último a ser plantado será o primeiro a ser colhido, comparando com o sorgo e o milho, portanto, é preciso saber a hora certa para plantar.

Ele colheu seu girassol no início do inverno e explica o motivo: “Quando eu colho o girassol, ele deixa só o caule lenhoso, que dificulta alastramento do fogo. Mas, se o fogo pegar na palha seca do milho, aí o incêndio vai longe, chega a uma velocidade de até 20 km por hora, que coloca em risco toda a lavoura”, alerta.

Próximo passo

Após a colheita do girassol, as outras culturas permanecem no campo por 30 dias, em média, período de alerta para os possíveis incêndios, que antes eram uma grande preocupação para o produtor. “Claro que perigo sempre corremos, mas aqui, como eu fiz a borda com o girassol, o risco diminui bastante. Além disso, me gerou uma atividade econômica significativa”, assegura.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nitrogênio de liberação lenta ou controlada

A batata apresenta cadeia de produção crescente. A maior parte da produção brasileira ...

Manejo de nematoides em batata

A batata é uma espécie da família Solanaceae, considerada a hortaliça mais importante cultivada ...

Cultivo de alho

A podridão-branca, ou mofo-branco do alho e cebola, causada pelo fungo Sclerotium cepivorum ...

Planejamento é fundamental para sucesso da fruticultura

A viabilidade, em qualquer empreendimento na fruticultura, está diretamente ligada ao controle dos custos e ao manejo adequado, enquanto se faz todo o possível para ter um pomar bem formado, com regularidade produtiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!