17.7 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiHíbrido BRS 3046 amplia mercado do milho verde

Híbrido BRS 3046 amplia mercado do milho verde

Crédito: Israel Filho
Crédito: Israel Filho

As sementes do primeiro híbrido de milho verde, o BRS 3046, desenvolvido pela Embrapa e batizado de Saboroso, já estão no mercado disponíveis aos produtores. Ele é recomendado para as regiões Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e o Estado do Paraná (norte, nordeste e oeste), para plantios em safra e safrinha. Pode ser também usado na produção de grãos e de silagem.

Muito importante para os pequenos e médios produtores, o Saboroso, além de trazer a marca Embrapa, chega para ampliar o mercado consumidor do milho verde in natura e da culinária. Com ele, a elaboração de pratos como pamonha, mingau, canjica, curau, bolos e tortas ganha força, porque tem um excelente rendimento.

O BRS 3046 é um milho superior agronomicamente a outros híbridos disponíveis no mercado. Ele pode ser plantado durante todo o ano; é superprecoce e com florescimento masculino em 60,5 dias; tem grãos de cor amarelo alaranjado; espiga com comprimento médio de 18 centímetros; e produtividade média de 30 mil a 40 mil espigas por hectare. É resistente a algumas doenças, como por exemplo, a ferrugem comum.

Àfrente

Coordenado pelo pesquisador Paulo Evaristo de Oliveira Guimarães, da Embrapa Milho e Sorgo, com sede em Sete Lagoas (MG), o desenvolvimento desse híbrido levou  nove anos e teve a participação de cientistas tarimbados de pelos menos seis unidades da Embrapa instaladas no Centro-Oeste, Sudeste, Norte e Nordeste.

Na região meio-norte, os testes com as linhagens que deram origem ao BRS 3046 foram conduzidos pelo pesquisador Milton Cardoso, no período de 2007 a 2016. Foram instalados experimentos em Teresina e Bom Jesus, no Piauí, e nos municípios de Mata Roma e São Raimundo das Mangabeiras, no Maranhão.

As sementes do híbrido podem ser encontradas nos distribuidores Plantmax Sementes (telefone (85) 3032-4894, e-mail plantmax@terra.com.br) e Mhatriz Pesquisa Agrícola (telefone (64) 3571-3463, e-mail mhatrizpesquisa@gmail.com).

Essa matéria você encontra na edição de março2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Casos de morte súbita são relatados em pomares de citrus

Citricultores das regiões norte e noroeste do Estado de São Paulo relataram nos meses de julho e agosto o aparecimento de novos casos de...

Mosca-das-frutas – Uma ameaça à fruticultura

  Ademilson de Oliveira Alecrim Engenheiro agrônomo, mestrando em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras " UFLA e membro do Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas...

Cultivo de berinjelas em estufas

  Adriano Edson Trevizan Delazeri Consultor sênior da Hidroponic Consultoria em Hidroponia contato@hidroponic.com.br As berinjelas são vegetais perenes de vida curta, são herbáceas e suas hastes necessitam de...

Alga x Phytophtora em pimentão

Tiago Henrique Engenheiro agrônomo tiago@agronomo.eng.br   A Phytophthora capsici é umas das doenças fúngicas mais importantes na agricultura brasileira, atingindo em torno de 20 espécies sensíveis, sendo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!