27.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosImportância da irrigação para garantia do pegamento da florada

Importância da irrigação para garantia do pegamento da florada

A florada é a fase fenológica mais vulnerável ao estresse climático, podendo ocorrer perdas expressivas em produtividade, a depender das condições climáticas.

Daniela Andrade
Consultora e especialista em Gestão Agrícola
daniela.andrade@eldoradoterra.com.br

A produção de café é fortemente sensível à variabilidade climática, pois cada estágio de desenvolvimento da planta requer condições climáticas específicas para atingir a máxima produtividade. O estresse climático, como a falta de água, temperaturas extremas ou eventos climáticos adversos, podem resultar em perdas significativas na produtividade das lavouras.

Foto: Shutterstock

Na fase de florada, essa sensibilidade é evidente, principalmente no que diz respeito à polinização e ao desenvolvimento dos grãos. A escassez de água, por exemplo, representa um risco significativo, pois pode resultar na queda prematura das flores e na formação inadequada dos grãos.

Além disso, a falta de água aumenta a suscetibilidade da cultura a pragas e doenças, o que tem um impacto prejudicial direto na qualidade e na quantidade da colheita. Portanto, saber qual é o nível de déficit hídrica ou de temperatura que pode prejudicar sua lavoura e quais as medidas de manejo a serem tomadas para reverter o cenário pode fazer grande diferença, resultando no sucesso, ou não, de sua fazenda.

Impactos do déficit hídrico

A precipitação insuficiente durante a fase de florada do cafeeiro representa um dos maiores desafios para os produtores de café, e seus impactos na produção são bem descritos em pesquisas agrícolas de muitas faculdades.

Durante a florada, a escassez de água compromete a formação dos grãos de café. A falta de umidade adequada prejudica o desenvolvimento das flores, levando a uma menor quantidade de frutos, pois as flores não se desenvolvem.

O déficit hídrico também pode levar ao aborto das flores, resultando na queda delas antes mesmo de serem polinizadas, o que diminui ainda mais a quantidade de frutos que se desenvolverão.

Mesmo que a flor se torne grão, essa formação em condições de estresse hídrico pode levar a grãos menores, de qualidade inferior e até mesmo de forma irregular. Isso impacta negativamente a qualidade do café colhido, diminuindo seu valor no mercado.

A irrigação adequada se destaca como uma solução eficaz para minimizar esses impactos, garantindo que as plantas recebam a quantidade necessária de água para um florescimento saudável e uma produção de café consistente e de alta qualidade.

Solução eficaz

A irrigação bem planejada permite que os agricultores tenham maior controle sobre as condições ambientais, reduzindo o risco de perdas catastróficas devido a eventos climáticos imprevisíveis, como secas ou chuvas excessivas, e contribuindo para a sustentabilidade a longo prazo das plantações de café.

Entretanto, é importante reconhecer que o estresse hídrico induzido via irrigação pode, em algumas circunstâncias, levar à floração mais uniforme e homogênea nas plantações de café, e esse é um aspecto que tem chamado a atenção de alguns produtores.

No entanto, é fundamental destacar que esse manejo requer uma abordagem altamente especializada e direcionada, sob a orientação de um técnico experiente que compreenda profundamente as dinâmicas do solo e das plantas.

Nesse contexto, a ideia por trás desse manejo é induzir deliberadamente o estresse controlado nas plantas, levando-as a entender que é benéfico abrir todos os seus botões florais de maneira uniforme.

Esse processo demanda uma compreensão meticulosa da relação entre a disponibilidade de água no solo, as necessidades da planta e a época ideal para implementar o estresse hídrico. Portanto, embora essa prática tenha o potencial de proporcionar uma floração mais uniforme, é importante ressaltar que sua implementação exige conhecimento técnico avançado e um acompanhamento rigoroso para garantir o sucesso da estratégia, visto que qualquer erro pode resultar em impactos adversos na produção, como um abortamento geral das flores, e na qualidade do café.

O que fazer?

Além do florescimento, o produtor também tem que se atentar para garantir o pegamento da florada do café. Para isso, é essencial adotar práticas de irrigação específicas durante a fase de florada.

Entre as abordagens recomendadas, está o controle via irrigação, podendo ser via gotejamento, que é considerada como a mais eficiente e econômica, ou via pivô, quando se tem um recurso maior de água.

Na era da tecnologia, a irrigação está cada vez mais moderna e trazendo inovações para o setor. Então, um dos recursos que otimiza e melhora o manejo da água é a utilização dos sensores para monitorar o teor de umidade no solo, permitindo um controle preciso das necessidades hídricas das plantas.

Além disso, é fundamental estabelecer um programa de irrigação adaptado às condições locais, levando em conta fatores como o clima, o tipo de solo e a idade das plantas. Com uma abordagem cuidadosamente planejada e personalizada, os produtores de café podem promover um florescimento saudável, maximizando assim a produtividade e a qualidade dos grãos colhidos.

Tecnologias

O uso de plataformas e software de irrigação também auxilia no monitoramento e compilação de dados para melhorar a tomada de decisão para a plantas. A escolha do momento e da quantidade de irrigação desempenha um papel fundamental na promoção do pegamento da florada no cafeeiro, o que pode ser facilitado pelos dados.

Foto: Shutterstock

O equilíbrio é a chave, pois o fornecimento inadequado ou excessivo de água pode afetar negativamente o florescimento e a formação dos grãos de café. Portanto, a adoção de práticas de irrigação adequadas, personalizadas e baseadas em monitoramento preciso desempenha um papel crítico na otimização da produção de café, contribuindo para a consistência da colheita e a qualidade dos grãos.

Momento ideal de irrigar

Os produtores de café podem e devem utilizar várias estratégias e recursos para monitorar o clima e determinar o momento ideal para iniciar a irrigação durante a florada.

Confira algumas das abordagens mais eficazes:

1. Estações meteorológicas locais: na propriedade particular ou utilizando dados de estações públicas próximas à fazenda, as quais fornecem informações valiosas sobre o clima, incluindo a temperatura, umidade relativa, velocidade do vento e precipitação.

2. Sensores de umidade do solo: instalados no solo, podem fornecer informações em tempo real sobre o teor de umidade do solo. Isso permite que os produtores monitorem de perto as condições do solo e determinem quando a irrigação é necessária, com base em parâmetros predefinidos.

3. Previsões meteorológicas: o acesso a previsões meteorológicas confiáveis é essencial. Os produtores podem utilizar serviços meteorológicos locais ou aplicativos de previsão do tempo para obter informações sobre as condições climáticas previstas para os próximos dias e semanas. Isso ajuda a planejar a irrigação com antecedência.

4. Consultoria de especialistas: consultar agrônomos ou técnicos especializados em cafeicultura pode ser extremamente benéfico. Eles podem oferecer orientações com base em sua experiência e no conhecimento das condições locais.

5. Monitoramento visual: ainda o mais comum, produtores também podem realizar inspeções visuais das plantas e flores para avaliar o estado de hidratação. Folhas murchas e flores caídas podem indicar a necessidade de irrigação.

6. Uso de tecnologia avançada: drones e satélites podem fornecer dados mais abrangentes sobre as plantações de café e as condições climáticas.

É importante destacar que a combinação de várias dessas abordagens pode fornecer uma visão mais abrangente e precisa das condições, ajudando os produtores a determinar o momento ideal para iniciar a irrigação durante a florada ou outras fases do desenvolvimento.

Estratégias

A implementação de tecnologias e métodos inovadores relacionados à irrigação tem revolucionado a cafeicultura, oferecendo soluções mais eficientes e sustentáveis para otimizar o pegamento da florada nas plantações de café.

Técnicas como a irrigação por gotejamento de precisão, sensores de umidade do solo conectados e sistemas de irrigação por aspersão inteligentes possibilitam uma gestão hídrica mais precisa, adequando o fornecimento de água às necessidades específicas das plantas durante o florescimento. Além disso, a integração de tecnologias como drones, imagens de satélite e modelos de previsão auxilia os produtores na tomada de decisões informadas. Essas inovações não apenas promovem a eficiência no uso da água, mas também contribuem para um cultivo de café mais sustentável e produtivo, assegurando um florescimento saudável e a qualidade

ARTIGOS RELACIONADOS

Tecnologias de irrigação são mais produtivas, mas requerem bom planejamento

Com agricultura irrigada produtividade por hectare pode até dobrar, mas até chegar a essa patamar, produtor precisa ficar atento às etapas de estudo e de licenciamento.

Plantio mecanizado garante maiores índices de precisão

Carlos Eduardo Silva Volpato Doutor em Máquinas e Mecanização Agrícola e Florestal e professor do Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Lavras(UFLA) volpato@deg.ufla.br Larissa Natasha de...

O efeito estimulante das algas marinhas

  Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Míldio exige variedades de alface resistentes

Gerarda Beatriz Pinto da Silva Doutora e pós-doutoranda - Faculdade de Agronomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) gerardabeatriz@hotmail.com MaikeLovatto Mestrando em Agronomia " UFRGS A alface...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!