29.3 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosInseticida biológico contra Helicoverpa atinge bom resultado

Inseticida biológico contra Helicoverpa atinge bom resultado

 

Produto biológico contra helicoverpa - rédito Lúcia Vivian
Produto biológico contra helicoverpa – rédito Lúcia Vivian

Desde que a Helicoverpa armigera foi detectada nas lavouras brasileiras, os prejuízos acumulados ultrapassam a casa dos bilhões ” principalmente na cultura do algodão. As perdas são decorrentes tanto da redução da produção, uma vez que a praga ataca as partes reprodutivas (flores e vagens nas culturas da soja e do feijão; flores e maçãs no algodoeiro e espigas no milho), quanto no custo operacional financeiro, com o uso mais intenso de inseticidas e máquinas.

Em função disso, diversos produtores estão buscando produtos alternativos para o controle da Helicoverpa armigera. Um deles é o inseticida biológico Hz-NPV CCAB, que é resultado de uma formulação exclusiva tendo como base duas estirpes distintas e altamente virulentas de baculovírus de Helicoverpa.

O produto está atualmente registrado emergencialmente no Brasil pelo Consórcio Cooperativo Agropecuário Brasileiro (CCAB). Controla as lagartas da subfamília Heliothinae, que incluem ainda a Helicoverpa spp. e a lagarta da maçã do algodão (Heliothisvirescens). Na última safra, mais de 700.000 hectares foram tratados com o Hz-NPV CCAB.

“Antes trabalhávamos dia e noite com o pulverizador e agora temos certa tranquilidade com as infestações de Helicoverpa“, comenta Rony Reimann, agricultor de Luís Eduardo Magalhães (BA). Ele recorda que antes fazia o controle somente com inseticidas químicos.

O agricultor Odacil Ranzi, também do oeste baiano, afirma que há um alto índice de eficiência associado a uma baixíssima toxidade, tanto para o ambiente quanto para organismos não alvo. “Aplicamos o vírus na soja plantada em pivô nesta safra, após dois dias da aplicação já percebemos que as Helicoverpas já haviam parado de comer e a partir do quarto dia começaram a morrer“, comemora.

 

Essa matéria você encontra na edição de janeiro da revista Campo & Negócios Grãos. Clique aqui para adquirir já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Algas no controle da antracnose do feijoeiro

Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e pesquisador da Epagri/Estação Experimental de São Joaquim felipemoretti113@hotmail.com   O feijão (Phaseolusvulgaris L.) é um dos...

Organominerais: Como eles se comportam no solo?

Autores Fernando Simoni Bacileri Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Agronomia - Universidade Federal de Uberlândia (UFU) ferbacilieri@zipmail.com.br Roberta Camargos de Oliveira Doutora em...

Exportações de algodão: As maiores da história

AutorMilton Garbugio Presidente da Abrapa e produtor rural miltongarbugio@gmail.com Na safra 2018/19, a perspectiva é que o Brasil produza 2,9 milhões de toneladas de pluma,...

Jaguacy Brasil lança Avocados em bowl colecionável em 6 divertidas versões

  Embalagens: Avocado Baby com 800g, Bowl exclusivo para colecionar com 500g e Avocado Clam Shell com 500g   Avocado Bowl A Jaguacy Brasil criou bowls...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!