21.6 C
Uberlândia
sábado, maio 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosIrrigação: como mitigar o estresse do cafeeiro?

Irrigação: como mitigar o estresse do cafeeiro?

Saiba como a gestão hídrica pode impulsionar a produtividade e qualidade dos grãos de café, além de mitigar os impactos do estresse climático

Crédito: Luize Hess

Túlio de Paula Pires
Engenheiro agrônomo – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
tuliopiresagro@gmail.com
Marina Scalioni Vilela
Engenheira agrônoma, doutora em Fitotecnia – UFLA e professora visitante – IF Sul de Minas
marinasvp3@gmail.com

A produtividade do cafeeiro está diretamente ligada às condições climáticas, visto que a escassez hídrica afeta a produção, o abortamento da floração, enchimento de grãos, crescimento de raiz, abortamento foliar dentre outros prejuízos.

A irrigação impacta diretamente na produtividade, visto que fornecer água para a planta diariamente deixa as mesmas mais vigorosas, podendo assim amenizar o déficit hídrico causado pela falta de chuva.

Essencialidade

A irrigação tem um papel fundamental na maior produtividade do cafeeiro, não apenas colocando água, mas também para a fertirrigação, quimigação e nematização, que de certa forma pode reduzir o tráfego de máquinas na lavoura, assim reduzindo a compactação do solo.

A irrigação por gotejamento é a mais usada, sendo também a mais recomendada, pois as irrigações localizadas são mais eficazes na utilização da água, fornecendo em menores volumes do que sistemas de pivô.

A irrigação não é realizada ao longo de todo o ano, porém, durante períodos que anteveem a florada, o déficit hídrico controlado pode favorecer uma florada mais homogênea.

Benefícios para o café

As plantas dependem de forma significativa de água para sobreviver, seja originada da chuva ou de outros meios. A irrigação fornece água em pequenas quantidades, sendo também realizada diariamente, tornando o ambiente mais agradável ao desenvolvimento do cafeeiro.

A irrigação mais adequada para o cafeeiro é aquela que atinge a capacidade de campo para que a planta recupere a água demandada pela evapotranspiração.

Otimização da produção

A irrigação sendo feita de forma correta pode contribuir muito para o aumento da produção do cafeeiro, visto que não é simplesmente aplicar água na planta, mas uma questão de manejo.

Portanto, o cafeicultor deve se atentar ao manejo correto, visto que o incremento de produtividade corresponde ao uso assertivo da irrigação. Os estresses causados pela falta chuva ocasionam perda de produção. Com a irrigação, o produtor pode otimizar a produção, visto que o benefício da irrigação em momentos de seca e déficit hídrico é satisfatório.

Eficiência hídrica

Para a instalação da irrigação, o produtor deve procurar seu engenheiro agrônomo para auxiliar na elaboração do projeto para corresponder ao que realmente deve ser irrigado. O principal da irrigação é a disponibilidade de água, procurar os direitos de outorga da água, como também alinhar com o projetista a melhor lâmina de água para execução do projeto.

A maioria dos projetos de irrigação no atual cenário da cafeicultura não tem eficiência hídrica e não corresponde à demanda do cafeeiro, deixando a desejar no melhor uso da técnica.

Rumo à qualidade

A irrigação pode impactar a qualidade de várias formas. A primeira é pela maior concentração de açúcares nos grãos, que consequentemente influenciam na produção por apresentarem maior tamanho de peneiras, além de açúcares totais, polifenóis e maior atividade da enzima polifenoloxidade, ligada diretamente à qualidade de bebida.

Outro ponto importante é que lavouras em condições hídricas adequadas apresentam menor incidência de cercosporiose, que afeta a qualidade de bebida.

Casos específicos

O período em que a planta é mais exigente em água normalmente coincide com o de maior precipitação. Porém, em situações de déficit hídrico, a irrigação deve ser acionada, sobretudo nos períodos de expansão rápida e granação dos frutos.

Em lavouras em formação, o fornecimento de água deve ser constante. Dependendo da região, o período seco corresponde aos meses de abril a setembro. O déficit hídrico induzido pode auxiliar na homogeneidade da florada, sendo realizada entre os meses de julho a agosto, dependendo da região.

Mitigação do estresse climático

O manejo correto do cafeeiro pode trazer grandes benefícios ao cafeicultor. A utilização de plantas de cobertura, vegetação espontânea, que visam cobrir o solo, tende a armazenar mais água, assim, também diminuindo a evapotranspiração.

Pode-se utilizar, também, produtos fisiológicos, como aminoácidos, estimulantes e protetores solares, que visam amenizar o estresse causado pela insolação.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nematoides fitoparasitas da bananeira

Luciano da Silva Souza Raul Dantas Vieira Neto Pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura   Os nematoides são microrganismos tipicamente vermiformes que, em sua maioria, completam o ciclo...

Gesso deve ser aplicado a lanço

Ao aplicar gesso em superfície, e devido à sua maior solubilidade, não há necessidade de incorporação do produto     O gesso apresenta solubilidade em água 150...

26º Prêmio Ernesto Illy tem vencedores de três regiões mineiras

Campeões do tradicional concurso de qualidade do café vêm do Cerrado Mineiro, Chapada e Matas de Minas Minas Gerais demonstrou a excelência de seus cafés...

Utilização de maturadores na cultura do café

Felipe Santinato Engenheiro agrônomo, doutor e consultor " Santinato&Santinato Cafés Ltda fpsantinato@hotmail.com O amadurecimento dos frutos de café não é uniforme. Trata-se de um processo influenciado pelas...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!