25.6 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 15, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasIrrigação tem que ser reconhecida como atividade de utilidade pública, afirma Assis

Irrigação tem que ser reconhecida como atividade de utilidade pública, afirma Assis

O presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Francisco Sérgio de Assis, destacou a luta de muitos anos da cafeicultura irrigada para ser reconhecida como uma atividade de utilidade pública

Francisco Sérgio de Assis
Divulgação

O presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Francisco Sérgio de Assis, destacou a luta de muitos anos da cafeicultura irrigada para ser reconhecida como uma atividade de utilidade pública. “O Projeto de Lei já passou pela Câmara dos Deputados e agora está no Senado. Mas agora parece que o PL está na gaveta. Então gostaria de reiterar aqui esse pedido junto aos nossos políticos presentes na Feira, para levantarem esta bandeira”.

Assis participou da abertura da 26ª edição da Fenicafé – Feira Nacional da Cafeicultura Irrigada, que acontece em Araguari, no Triângulo Mineiro. 

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), para a geração de um posto de trabalho na indústria, o investimento necessário é de 90 mil dólares. Já o valor da criação de um posto de trabalho na agricultura irrigada é de apenas cinco mil dólares. “Então, a irrigação é muito importante para o Brasil, e para Minas Gerais, que é a caixa d’água do país, mas temos que enfrentar esta burocracia, que nos impede de produzir ainda mais”, assinalou Assis. 

O Projeto de Lei 1765/22 classifica como de utilidade pública as barragens para irrigação, represas e todos os sistemas de captação de água vinculados às atividades agrossilvipastoris (prática de combinar florestas com agricultura e pecuária), conforme informações da Agência Câmara de Notícias.

A proposta também considera de interesse social as obras de construção de barragens, represas e sistemas de captação e distribuição de água para irrigação e atividades agrossilvipastoris. (Com Fábio Rübenich – Agência SAFRAS)

A Fenicafé  segue até sexta-feira (31/03) no Parque de Exposições Ministro Rondon Pacheco, em Araguari, no Triângulo Mineiro. Assim como em 2022, a Fenicafé faz parte da Café Agro, que soma mais de uma semana de atrações com a Expo Araguari.  O evento é promovido pela Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA) e a Federação dos Cafeicultores do Cerrado com apoio da Embrapa Café e Prefeitura Municipal de Araguari.

ARTIGOS RELACIONADOS

Irrigação aumenta eficiência da adubação nitrogenada no feijoeiro

A irrigação é necessária para atender as necessidades hídricas do feijoeiro, que pode variar entre 300 a 500 mm no ciclo, dependendo das condições...

Bicho-Mineiro: “Come quieto“ e devasta seu cafezal

  Por Flávio Irokawa, Engenheiro Agronômo gerente de Marketing de H&F da FMC Agricultural   Bebida saboreada há mais de mil anos pela humanidade e que cada...

Cafeicultura mundial: Em ritmo acelerado

Globalmente, os três maiores produtores de todos os tipos de café são o Brasil, o Vietnã e a Colômbia, que agora respondem por quase 70% da produção mundial. Há uma década esses três países respondiam por um pouco menos de 60% da produção mundial.

Técnicas de aplicação de herbicidas em lavouras de café

As técnicas de aplicação de herbicidas em lavouras de café desempenham um papel crucial no controle eficaz de plantas daninhas, garantindo um ambiente saudável e produtivo para o cultivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!