24.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosLiberação de macrobiológicos via drone

Liberação de macrobiológicos via drone

Drone – Crédito: Koppert

O uso de drones na liberação de agentes de controle macrobiológicos proporciona aos produtores rurais um controle biológico mais eficiente, considerando a qualidade da aplicação, a redução de custos, a melhora na produtividade e o menor tempo de operação. A Koppert, em parceria com empresas de drones, estão utilizando esta tecnologia no campo.

De acordo com o CEO da Geocom, uma das empresas parceiras, Gláucio Carrit Antiga, as vantagens de se utilizar drones nas aplicações são inúmeras, principalmente: qualidade da aplicação; rapidez; atendimento à flutuação das pragas e custo mais baixo. “A tecnologia do drone inclui um mecanismo dosador preciso, capaz de distribuir de forma exata o agente biológico na área a ser controlada; os drones são capazes de cobrir grandes áreas, e é possível efetivar o controle em momentos de pico”, explica.

Resultados em campo

Um dos principais benefícios oferecido ao produtor, além do custo menor de aplicação, é o aumento da rentabilidade ao final da safra. “O agricultor gasta menos e também os resultados de produtividade serão melhores”, orienta  Gláucio Antiga. Em cana-de-açúcar, por exemplo, a cada 1% de redução do índice de infestação da broca, o produtor tem cerca de R$ 100/ha a mais no bolso.

Um exemplo prático desta última safra foi um comparativo feito em áreas no município de Alto Alegre (RS), que utilizavam o controle convencional e outras onde foram aplicadas o Trichogramma pretiosum para o controle de lagartas em lavouras de milho. “Diferente do manejo convencional que utilizou cinco aplicações de inseticidas para o controle de lagartas, o biológico realizou apenas uma dispersão de vespas para todo o ciclo da cultura do milho, gerando uma redução de cerca de R$ 250,00 por hectare. Se for somado a economia de cerca de R$ 400,00 por hectare na escolha da semente, é possível ter uma redução no custo total de, aproximadamente, R$ 650,00 por hectare com o uso dessa tecnologia, sem reduzir a produtividade da lavoura”, explica outro parceiro da Koppert, Cristiano Gotuzzo, diretor executivo da Geoplan Soluções em Agronegócio.

[rml_read_more]

Segundo o gerente de vendas Centro-Sul da Koppert, Rodrigo Rodrigues, a utilização dos drones permite a liberação em grandes áreas de culturas como soja, milho e algodão, com rendimento de 200 a 350 ha/dia, além de não utilizar a infraestrutura de equipamentos do produtor.

Samir Rodrigo Fin, CEO da Agrovoa, também parceira da Koppert, explica que os drones têm uma espécie de “caixa preta”, onde ficam armazenadas todas as informações sobre a aplicação, como quantidade de produto por hectare e área alcançada. “Esses dados são essenciais para o planejamento e acompanhamento pelo cliente, o que garante uma adesão maior ainda à essa tecnologia”, finaliza.

A receptividade dos parceiros e clientes para a aplicação via drone passou da fase de conhecimento, e se tornou a forma de aplicação padrão. “No campo, todos reconhecem essa forma de aplicação como sendo muito vantajosa e percebem que é a agricultura 4.0 no dia a dia das propriedades”, conta Rodrigues.

Portfólio

A Koppert possui em seu portfólio três produtos macrobiológicos: o GalloiBug (Trichogramma galloi), para controle da broca-da-cana; o de PretioBug (Trichogramma pretiosum), indicado para seis tipos de lagarta; e o PodisiBug (Telenomus podisi), que controla cinco tipos de percevejos nas mais variadas culturas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Agronegócio brasileiro

Recém-empossado presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aumenta a pressão para o cultivo sustentável

Drones otimizam resultados em usinas de Cana

Por Lucas Bastos* A agricultura está cada dia mais adepta à tecnologia digital, pois efetivamente podem melhorar a produtividade, aumentar a lucratividade e diminuir...

Pressão de pragas sugadoras tem aumento na safra 2019-20

O estudo anual BIP Milho – Business Inteligence Panel, da Spark Consultoria Estratégica, detectou aumento na pressão de pragas sugadoras sobre a cultura do milho na safra 2019-20.

Guia virtual orienta produtores

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou na terça-feira (31) uma nova edição

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!