Inicio Revistas Grãos Magnésio é esquecido nos programas nutricionais no cafeeiro

Magnésio é esquecido nos programas nutricionais no cafeeiro

0
255

Renato Passos Brandão

Engenheiro Agrônomo, Mestre em Solos e Nutrição de Plantas e Gestor Agronômico do Grupo Bio Soja

Crédito Rafael Rocha
Crédito Rafael Rocha

O magnésio é o quarto nutriente mais absorvido pelo cafeeiro, superado apenas pelo nitrogênio, potássio e cálcio, e é praticamente igual ao fósforo e enxofre. Entretanto, é um nutriente esquecido nos programas nutricionais do cafeeiro.

De maneira geral, os cafeicultores acreditam que a aplicação do calcário dolomítico seja suficiente para o fornecimento de doses adequadas de magnésio ao cafeeiro. Entretanto, em muitas situações, é necessária uma adubação complementar com este nutriente para a manutenção dos teores adequados no solo e no cafeeiro.

Neste artigo será abordada a importância do magnésio na nutrição do cafeeiro e o manejo nutricional deste nutriente.

Teor de magnésio nos solos

Anualmente, o laboratório de solos da Procafé em Varginha (MG) realiza cerca de 15.000 análises de solo, a maioria delas proveniente de lavouras cafeeiras ou de solos que serão cultivados com café.

Num primeiro momento, a maior preocupação dos cafeicultores é com o fósforo e o potássio. Entretanto, o nutriente mais limitante à cultura do cafeeiro é o magnésio (Tabela 1). Cerca de 84% dos solos analisados pela Fundação Procafé em 2012 estavam com a saturação de magnésio abaixo da faixa adequada ao cafeeiro. Os solos com baixo teor de P representam apenas 32% do total analisado e aqueles com baixa saturação de potássio eram apenas 24%.

Com o agravamento da deficiência do magnésio ocorre a queda prematura das folhas do cafeeiro - Crédito Miriam Lins
Com o agravamento da deficiência do magnésio ocorre a queda prematura das folhas do cafeeiro – Crédito Miriam Lins

Tabela 1. Resultados da análise química de solo em amostras recebidas no laboratório da Fundação Procafé em 2012

 

Parâmetros do solo

Média de ocorrência de resultados na amostragem do solo (%)
Baixo Adequado Alto
pH em água (<5,5; 5,5 a 6,3 e >6,3) 52 40 8
Fósforo em mg/dm3 (<10, 10 a 20 e >20) 32 29 39
Saturação de cálcio em % (<40, 40 a 50 e >50) 64 27 9
Saturação de magnésio em % (<15,15 a 20 e >20) 84 11 5
Saturação de potássio em % (<3, 3 a 5 e >5) 24 59 17
Saturação de bases em % (<50, 50 a 60 e >60) 57 33 10

Extrator: Fósforo em Mehlich-1.

Fonte: Matiello et al., 2013.

Absorção de magnésio

O magnésio é absorvido pelas plantas na forma do íon bivalente (Mg2+) e é influenciado pelos demais cátions do solo, Ca2+ e K+. A absorção do magnésio é prejudicada pelo excesso de cálcio no solo, mas muito mais pelo potássio.

Segundo Matiello et al. (2013), a saturação de magnésio nos solos adequada ao cultivo do cafeeiro situa-se entre 15 e 20%, a saturação de potássio entre 3 e 5% e a saturação de cálcio entre 40 a 50%.

Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

Funções do magnésio

O magnésio é constituinte da clorofila (2,7% do seu peso molecular), pigmento responsável pela coloração verde das plantas. Exerce papel fundamental na fotossíntese e na produção de fotoassimilados, necessários à obtenção de altas produtividades na cultura do cafeeiro.

O magnésio está envolvido com o metabolismo do fósforo no cafeeiro. É “carreador“ do fósforo, aumentando a absorção deste nutriente pelo cafeeiro, melhorando a eficiência agronômica dos fertilizantes fosfatados.

É o nutriente que ativa o maior número de enzimas no cafeeiro, dentre as quais as enzimas relacionadas com a síntese de carboidratos e outras envolvidas na síntese dos ácidos nucleicos.

Atua diretamente na qualidade da bebida do café. Lavouras com deficiências de magnésio são menos produtivas e produzem bebidas de pior qualidade. O baixo suprimento de magnésio ao cafeeiro compromete o fluxo de carboidratos das folhas para os grãos, prejudicando a sua granação.

Sintomas de deficiência do magnésio

O magnésio é um nutriente móvel no floema do cafeeiro. Portanto, os sintomas da deficiência ocorrem nas folhas velhas, com redução no teor de clorofila e amarelecimento dos espaços entre as nervuras das folhas (clorose internerval). Entretanto, as nervuras das folhas do cafeeiro permanecem verdes (Figura 1).

Foto 03 - O manejo da nutrição com magnésio no cafeeiro tem início com a realização da análise de solo - Crédito Cristiano Soares de Oliveira
O manejo da nutrição com magnésio no cafeeiro tem início com a realização da análise de solo – Crédito Cristiano Soares de Oliveira

Essa matéria completa você encontra na edição de dezembro 2015  da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

SEM COMENTÁRIO