21.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 24, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosProdutos alternativos são avaliados no manejo da ferrugem e cercosporiose em cafeeiro

Produtos alternativos são avaliados no manejo da ferrugem e cercosporiose em cafeeiro

 

Roberto Santinato

rsantinatocafeicultura@hotmail.com

Felipe Santinato

fpsantinato@hotmail.com

Santinato & Santinato Cafés Ltda

 

Crédito Cristiano Soares de Oliveira
Crédito Cristiano Soares de Oliveira

Em anos de alta incidência, a ferrugem desfolha o cafeeiro, derruba os frutos no chão e reduz o crescimento vegetativo. No ano seguinte, a queda de produtividade pode ser de 30 a 50%, fazendo desta a doença extensivamente de maior prejuízo para a cafeicultura brasileira.

Os danos são mais graves em fase de viveiro e em plantas jovens, promovendo desfolhamento e raquitismo. Em plantas adultas, além da desfolha, quando ocorre nos frutos chega a causar perdas de até 20% no peso deles, que caem (boa parte) e não permitem a prática do descascamento (CD) em decorrência da junção da parede dos frutos com a semente.

Condições para a doença

A ferrugem encontra as melhores condições para seu desenvolvimento em temperaturas de 24°C, índice de molhamento elevado (UR acima de 80%) e chuvas intermitentes. Além disso, essa doença prefere ambientes fechados, adensados e altos.

Já a cercosporiose é mais constatada sob temperaturas de 22 a 28°C, sendo a cercóspora amarela (clara) mais intensa em temperaturas ao redor de 26-28°C, enquanto a escura (que não possui halo amarelo) ocorre mais no período de inverno (22°C). A cercóspora prefere lavouras mais largas, e ocorre frequentemente em faces do sol da tarde.

A ferrugem ocorre em maior proporção em lavouras altamente produtivas e/ou mal nutridas (desequilíbrio nutricional). Por outro lado, a cercóspora prefere lavouras com deficiência de N e/ou desequilíbrio entre N/K.

Prevenção

Para prevenir as doenças do cafeeiro, o produtor deve investir na boa nutrição (químicos + orgânicos), não deixar ocorrer déficit hídrico, e executar planos de controle de ambas as doenças com triazois associados às estrobirulinas (Epoxyconazole ou Cyproconazole e Pyraclostrobina, Picoxystrobina e Azoxytrobina).

Além disso, deve-se proceder duas a três aplicações de cobre intercaladas, preferencialmente hidróxidos. Recentemente alguns fosfitos de cobre têm entrado nas pulverizações no lugar dos hidróxidos, desequilibrando menos as pragas. Entre eles está o acetato de cobre.

Tem se destacado, também, o glucona de cobre, que além de cobre apresenta o ácido glucônico, precursor dos aminoácidos. O glucona de cobre substitui os hidróxidos convencionais. Além, disso, verificou-se, com sua aplicação, um menor desequilíbrio de pragas e a obtenção de maior renda do café, provavelmente devido aos aminoácidos ativados.

O glucona de cobre pode ser aplicado conjuntamente com qualquer triazol + estrobirulinas, ou intercalado, com bons resultados no cafeeiro.

Sintomas de ferrugem na lavoura cafeeira - Crédito Cristiano Soares de Oliveira
Sintomas de ferrugem na lavoura cafeeira – Crédito Cristiano Soares de Oliveira

Aplicações de glucona de cobre (cu 6,8% + ácido glucônico 5%) na substituição de outras fontes de cobre em programas fitossanitários para controle da ferrugem e cercosporiose

Nos programas fitossanitários para controle da ferrugem e cercosporiose do cafeeiro inclui-se uma fonte de cobre com ação dupla, fúngica auxiliar no controle de doenças e fonte de cobre nutricional.

Com o lançamento do glucona de cobre no mercado, com propriedades nutricionais e auxiliares no controle de doenças do cafeeiro, instalou-se o presente estudo objetivando avaliá-lo em relação a fontes de cobre tradicionais, como Produto F, Produto B e Produto E, em associação com os fungicidas Produto A, Produto C e Produto D.

O experimento foi instalado em lavoura de café da cultivar Catuaí Amarelo 82, espaçada em 3,7 c 0,7 m, 12/13 anos de idade, solo LVA, 820 m de altitude e declividade de 3%. Os tratamentos estudados foram expressos na Tabela 1. Os mesmos foram delineados em blocos ao acaso, com quatro repetições, em parcelas de 30 plantas, sendo úteis as seis centrais.

Avaliou-se a incidência de ferrugem e cercosporiose de fevereiro a julho. As aplicações dos fungicidas foram realizadas em dezembro, fevereiro e abril de 2015. Os dados obtidos foram submetidos à ANOVA e quando procedente ao teste de Tukey, ambos a 5% de probabilidade.

Resultados e conclusões

A ferrugem elevou-se de forma significativa ao longo dos meses, chegando à incidência prejudicial ao cafeeiro no último mês avaliado. No ano de 2015 a ferrugem, que comumente começa a ocorrer em dezembro, atrasou o seu início, de forma que as incidências nas avaliações iniciais foram baixas.

Não houve diferença entre os tratamentos fitossanitários estudados. Dessa forma, o glucona de cobre, em sua menor dose, pode substituir os padrões cúpricos existentes no mercado.

Essa matéria completa você encontra na edição de dezembro 2015  da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Três novas cultivares de café IAC têm ganhos de produtividade

  Elas estão entrando no lugar de outros materiais, como IAC Mundo Novo e IAC Catuaí, que ocupam 90% dos cafezais brasileiros, mas são suscetíveis...

Dia 14/10,  engenheiros agrônomos lançam livro sobre a evolução do agro nos últimos 50 anos

Obra mostra a evolução da agropecuária nacional e destaca a atuação dos 200 engenheiros agrônomos formados pela Esalq/USP em 1967 Muitas transformações ocorreram na agricultura...

Nutrição do café em tempos de estresse

Juliano Gullo de Salvo Engenheiro agrônomo, mestre em Solos e Nutrição de Plantas e coordenador técnico da Green Has do Brasil juliano.detec@greenhb.com.br Eurípedes Gomide da Costa Jr. Engenheiro...

DuPont e Tchê Produtos Agrícolas premiam estudantes da rede municipal de Buritis (MG)

Crianças ganharam bicicletas pelos trabalhos sobre boas práticas agrícolas e meio ambiente, desenvolvidos durante o projeto DuPont Escola As escolas municipais João da Pena Lobo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!