18.1 C
São Paulo
segunda-feira, agosto 15, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Adubação da batata - Por onde começar

Adubação da batata – Por onde começar

Crédito Luize Hess
Crédito Luize Hess

As quantidades de corretivos e fertilizantes a serem aplicadas devem ser adequadas a fim de permitir o bom crescimento e desenvolvimento da batata. Doses abaixo do necessário limitam o desenvolvimento da planta.

Por outro lado, o excesso pode ocasionar o desenvolvimento anormal da planta, seja devido à toxidez, salinidade, inibição da absorção de determinado nutriente pela presença excessiva de outro, ou mesmo crescimento excessivo das hastes, quando se aplica muito N, por exemplo.

Exigências nutricionais

O conhecimento das quantidades de nutrientes extraídos do solo pela cultura da batata é de suma importância para o manejo adequado da adubação.

A batateira é uma planta de crescimento/desenvolvimento rápido e bastante exigente em nutrientes. Dependendo do nível de produtividade, as quantidades de nutrientes extraídas e exportadas podem variar, embora não haja, necessariamente, uma relação direta entre esses fatores, pois podem existir diferenças na eficiência de utilização dos nutrientes por influência de outros fatores tais como cultivar, teor de água no solo, solo, clima, espaçamento e sanidade.

Crédito Luize Hess
Crédito Luize Hess

As quantidades aproximadas de nutrientes necessárias para a batata encontram-se na Tabela 1.

Tabela 1. Quantidades de nutrientes extraídas do solo pela cultura da batata para produção de uma tonelada de tubérculos.

Macronutrientes (kg) Micronutrientes (g)
Nitrogênio 2,4 ” 8,2 Boro 1,4 ” 9,0
Fósforo 0,3 ” 1,2 Cobre 0,6 ” 3,9
Potássio 3,7 ” 13,3 Ferro 32,9 ” 136,6
Cálcio 0,4 ” 3,0 Manganês 5,4 ” 24,1
Magnésio 0,2 ” 0,9 Zinco 3,4 ” 12,0
Enxofre 0,2 ” 1,5

Fonte: Fernandes &Soratto (2012).

Acúmulo de nutrientes

Aproximadamente 78% do fósforo (P), 68% do potássio (K), 65% do nitrogênio (N), 65% do enxofre (S), 33% do magnésio (Mg) e 9% do cálcio (Ca) absorvidos pela batateira são acumulados nos tubérculos.

Quanto aos micronutrientes, cerca de 49% do cobre (Cu), 45% do boro (B) e 41% do zinco (Zn) absorvidos pela cultura ao longo do ciclo são acumulados nos tubérculos, enquanto a absorção de ferro (Fe) e manganês (Mn) representa 20% e 11%, respectivamente, do total absorvido pela planta de batata.

 Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

Manejo

O momento adequado da aplicação, bem como a época e dose de cada nutriente também é importante para o equilíbrio nutricional da planta para a obtenção de elevada produtividade.

Considerando um ciclo de 90 a 110 dias, a absorção máxima de N, P, Ca, Mg e S ocorre na fase inicial de enchimento dos tubérculos (45 a 70 dias após o plantio – DAP).

Já o K tem sua absorção mais concentrada entre 40 e 60 DAP. A fase de maior demanda por B ocorre logo após o início da formação de tubérculos, entre 35 e 50 DAP, enquanto a maior exigência por Fe e Mn inicia-se a partir dos 45 DAP e vai até 65 DAP. O Cu e o Zn são absorvidos em maiores proporções na segunda metade do ciclo da cultura.

Existe uma época crítica em que a cultura da batata necessita de praticamente todos os nutrientes disponíveis em quantidades relativamente altas, que vai desde o início da formação dos tubérculos, três a quatro semanas após a emergência, até próximo ao final do ciclo.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Análises são primordiais

A fase de enchimento de tubérculos é crítica, em que a disponibilidade de nutrientes e de água no solo deve ser elevada, pois, nesse período, a acumulação de matéria seca e a absorção de nutrientes são muito rápidas.

A análise de tecidos vegetais, realizada em laboratório, é um meio eficiente de monitorar o estado nutricional das plantas e, também, ajuda a calibrar as necessidades de fertilizantes na cultura da batata. Por meio dela, deficiências potenciais podem ser detectadas cedo o suficiente para o tratamento dos distúrbios nutricionais durante a estação de crescimento.

Quase todas as partes da planta de batata têm sido utilizadas para avaliar o estado nutricional, tais como: folíolos, pecíolos, folhas, caules, raízes e tubérculos. O pecíolo tem sido um dos órgãos mais utilizado, embora ele não seja o mais adequado para todos os nutrientes e em todas as situações.

Pecíolos são, muitas vezes, mais sensíveis a mudanças na concentração de macronutrientes do solo, enquanto lâminas foliares são mais sensíveis às diferenças nos níveis de micronutrientes. Verifica-se que, de modo geral, o estado nutricional das plantas é mais bem refletido pela quantificação dos teores dos nutrientes nas folhas do que em outras partes ou órgãos.

Para interpretação dos resultados das análises das partes da planta, podem-se utilizar diversos critérios, como: nível crítico, faixa de suficiência, etc. Porém, no Brasil, a interpretação pelo critério da faixa de suficiência dos nutrientes nas folhas, utilizando tabelas, ainda é o método mais difundido.

Como a concentração dos nutrientes varia de acordo com o órgão da planta amostrado e a época de amostragem, estes aspectos devem ser considerados por ocasião da definição da referência para fins de comparação (Tabela 2).

Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

Tabela 2. Faixa de teores foliares de nutrientes considerados adequados para a cultura da batata, nos Estados de São Paulo e Minas Gerais

Nutriente SP (Lorenzi et al., 1997) MG (Martinez et al., 1999)
  ______________________ (g/kg) ______________________
Nitrogênio 40 ” 50 45 ” 60
Fósforo 2,5 ” 5,0 2,9 ” 5,0
Potássio 40 ” 65 93 ” 115
Cálcio 10 ” 20 7,6 ” 10
Magnésio 3,0 ” 5,0 1,0 ” 1,2
Enxofre 2,5 ” 5,0
  ______________________ (mg/kg) ______________________
Boro 25 ” 50 25 ” 50
Cobre 7,0 ” 20 7,0 ” 20
Ferro 50 ” 100 50 ” 100
Manganês 30 ” 250 30 ” 250
Zinco 20 ” 60 45 ” 250

 Crédito Dow AgroSciences
Crédito Dow AgroSciences

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Adubação da batata - Por onde começar