20.2 C
Uberlândia
terça-feira, julho 16, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFlorestasNeem: Espécie de múltiplos usos e fácil adaptação

Neem: Espécie de múltiplos usos e fácil adaptação

Autores

João Gilberto Meza Ucella Filho16joaoucella@gmail.com

Bruna Rafaella Ferreira da Silvabrunarafaellaf@hotmail.com

Engenheiros florestais e mestrandos pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia da Madeira da Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Débora de Melo Almeida Engenheira florestal, técnica em Controle Ambiental e mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais da Universidade Federal Rural do Pernambuco (UFRPE)debooraalmeida@gmail.com

Neem – Crédito: Deposit Photos

A Azadirachta indica A. Juss, conhecida popularmente por nim ou neem, é uma espécie florestal de origem indiana, pertencente à família Meliaceae, que se desenvolve em áreas de clima tropical e subtropical, fazendo com que seja cultivado em diversos países da Ásia e em todos os países da África, Austrália, América do Sul e Central.

O neem é uma planta bastante difundida nas regiões norte, nordeste, sudeste e centro-oeste do Brasil. O cultivo da espécie no País teve início no ano de 1986, no qual buscavam aprofundar as pesquisas quanto à sua ação inseticida, e mais tarde, conhecimentos sobre o desenvolvimento da espécie.

A sua popularidade ocorreu principalmente devido ao seu forte apelo comercial, em virtude de sua facilidade de crescimento em campo, ampla possibilidade de aplicações e de quase todas as partes da planta serem utilizáveis. Após as propriedades da planta se tornarem mais conhecidas, foi dado o início aos plantios em áreas comerciais em diversas regiões do País.

Características

As árvores desta espécie possuem grande resistência e rápido crescimento, podendo alcançar, em condições normais, até 15 m de altura. A sua madeira é moderadamente densa, bem avermelhada e resistente, suas folhas são verde-escuras e suas sementes consistem em um pericarpo carnudo, com uma concha relativamente macia em seu interior, onde está localizado um óleo bastante comercializado.

Cultivo e técnicas de manejo

A produção de mudas de neem é realizada preferencialmente por meio de sementes, que apresentam de 60 a 95% de viabilidade, oriundas de plantas isentas de patógenos. O tempo de germinação das sementes é em torno de duas semanas, a qual pode acontecer diretamente ao solo ou transplantadas como mudas após cerca de três meses da semeadura direta, sendo este último o método mais empregado.

Apesar da espécie ser considerada de alta rusticidade, ela se adapta melhor a solos bem preparados. Com isso, o preparo do solo deve ser realizado com, pelo menos, as operações de aração e gradagem, para que haja a homogeneização de uma profundidade mínima de 15 cm do solo.

A recomendação de espaçamento para a espécie é variável, visto que o desenvolvimento da planta depende das condições de solo e clima. Logo, no Brasil recomenda-se de 3,0 a 8,0 m entre árvores, com o maior espaçamento nas regiões mais quentes.

Salienta-se também que a escolha do espaçamento está relacionada diretamente ao objetivo do plantio, de modo que, quando destinados à produção de madeira, o ideal são plantios menos adensados e quando destinados a outros tipos de produção, como folhas, cascas, frutos e sementes, a concentração de indivíduos dentro da área pode ser maior.

Por fim, inicia-se o processo de coveamento ou sulcamento, o qual depende do método de preparo de solo, e a adubação com esterco de gado curtido, para que em seguida seja realizado o plantio, preferencialmente no início da estação chuvosa.

As etapas seguintes consistem no tratamento fitossanitário, em que é realizado o combate às formigas após a implantação da cultura, e também deve ser realizada a poda dos ramos e do ponteiro apical, para obter um melhor aproveitamento na produção dos frutos. Por fim, é realizada a colheita dos frutos, que normalmente ocorrem a partir do terceiro ano de desenvolvimento da planta.

O neem e suas diferentes formas de utilizações

A espécie tem sido utilizada há mais de 2000 anos no Oriente como planta medicinal e sombreadora, praguicida, lubrificante e adubo. Além disso, também pode ser utilizada no reflorestamento, na produção de madeira, fabricação de cosméticos, material para construção e combustível.

A ampla utilização do neem como planta medicinal encontra-se relacionada à baixa toxicidade e larga distribuição na natureza. Estudos vêm demonstrando que o neem é uma planta medicinal que pode ser usada como anti-séptico, tônico, vermífugo, na cura da diabetes, malária, problemas dermatológicos, combate a sarna, pulga e outras doenças.

Os efeitos benéficos dos seus produtos naturais podem ser atribuídos a um ou mais compostos fitoquímicos, incluindo antioxidantes, flavonoides e outras substâncias.

[rml_read_more]

Em decorrência da sombra que propicia, vem sendo amplamente utilizada na arborização urbana, principalmente, na região Nordeste do Brasil. A madeira é resistente a cupins, sendo utilizada na fabricação de móveis, mourões, estacas, esteios, ripas, caibros e utensílios domésticos.

Enquanto a eficiência do uso da espécie para o controle de pragas (inseticida, acaricida, fungicida e nematicida), como por exemplo, mosca-branca, minadora, brasileirinho, carrapato, lagartas e pragas de grãos armazenados, encontra-se relacionada a grande quantidade de bioativos presentes na planta, que causam múltiplos efeitos, tais como: repelência, atraso e/ou interrupção do desenvolvimento, redução na fertilidade e fecundidade, e várias outras alterações no comportamento e na fisiologia que podem levá-los à morte.

Assim sendo, constata-se que a espécie pode fornecer produtos alternativos aos agrotóxicos, como extratos de frutos, sementes, ramos e folhas, além da possibilidade de controlar pragas em culturas onde o uso de agrotóxico não é permitido, como no caso dos produtos de origem orgânica.

Subprodutos

O neem também é bastante utilizado nas indústrias de cosméticos sendo empregadas na fabricação de xampus, loções hidratantes, condicionadoras, óleo para cabelo e unhas e tônico capilar. Além disso, estudos relatam que a casca da espécie se apresenta como potencialmente produtora de taninos, substâncias estas que podem ser empregadas na fabricação de adesivos naturais, tratamento de efluentes e na composição de medicamento fitoterápicos.

Vale salientar que, apesar dos compostos bioativos presentes no neem serem encontrados em toda a planta, as sementes e as folhas são as que apresentam os compostos de forma mais concentrada e acessível, visto que são facilmente obtidos por meio de processos de extração em água e solventes orgânicos (hidrocarbonetos, álcoois, cetonas ou éteres).

Os métodos de extração com solventes fornecem vários compostos biologicamente ativos, sendo o mais antigo, popular e extremamente eficaz o método de extração utilizando água.

Plantio do neem x precauções

Por se tratar de uma espécie exótica de fácil adaptação e propagação, torna-se necessário que, quando cultivada para a obtenção de bens e serviços, seja realizado o manejo adequado da espécie, de modo que a sua propagação seja controlada, ficando restrita às áreas de cultivo.

Ao se disseminar de forma descontrolada, pode ocupar áreas de floresta, afetando negativamente o estabelecimento e desenvolvimento de espécies nativas. Esse controle pode ser realizado por meio da colheita dos frutos, acarretando na redução da dispersão e regeneração da espécie em áreas inadequadas.

Custo x benefícios

O plantio do neem no Brasil torna-se uma alternativa de investimento bastante atrativa, devido ao valor de implantação ser relativamente baixo e com retorno financeiro rápido. Em estudo realizado no estado do Pará em área cultivada com o neem (espaçamento 4 x 4), destinado à obtenção de receitas a partir de folhas e frutos para uso medicinal e na fabricação de inseticidas, foi constatada uma viabilidade econômica com uma taxa interna de retorno do investimento de 265% por ano.

O mesmo foi observado também em outras regiões do mundo, como nos países da China e Índia. 

De modo geral, o cultivo do neem apresenta-se como uma forma rentável para produtores que desejam investir em plantios florestais, em virtude de sua fácil adaptação em diferentes condições endafoclimáticas e por ser uma espécie de múltiplos usos, fornecendo diversos tipos de produtos e retorno financeiro garantido.

Entretanto, o manejo do plantio deve ser bem realizado, para que não haja disseminação da espécie de forma descontrolada, prejudicando o desenvolvimento e/ou surgimento de plantas nativas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Produtores em alerta para o manejo de plantas daninhas na lavoura

Com plantas daninhas germinando por conta das chuvas, o desafio nessa época é ainda maior para o agricultor, que deve tomar decisões mais assertivas para evitar prejuízos com a matocompetição.

Agrivalle lança biofungicida Twixx-A®,

A Agrivalle, empresa pioneira no segmento de bioinsumos no Brasil, lançou o Twixx-A®, ...

Expoforest 2023 – maior feira florestal dinâmica do mundo

A maior feira florestal dinâmica do mundo chega à quinta edição.

Aumento do fósforo no solo

A baixa disponibilidade de fósforo (P) apresentada nos solos predominantes das regiões ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!