New Simtec foi anunciado para acontecer entre 25 e 27 de novembro

0
65
O evento prevê integrar toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, como agricultura, indústria, mercado e políticas públicas em discussões que busquem a maior competitividade do setor que está em crise na atualidade - Crédito Diego Henrique Santos
O evento prevê integrar toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, como agricultura, indústria, mercado e políticas públicas em discussões que busquem a maior competitividade do setor que está em crise na atualidade – Crédito Diego Henrique Santos

O Arranjo Produtivo Local do Álcool (Apla) lançou, nesta terça-feira (8), o novo formado do Simpósio Internacional e Mostra de Tecnologia e Energia Canavieira (New Simtec), que será realizado de 25 a 27 de novembro no Engenho Central, em Piracicaba(SP). O evento prevê integrar toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, como agricultura, indústria, mercado e políticas públicas em discussões que busquem a maior competitividade do setor que está em crise na atualidade.

Tradicionalmente organizado em junho, o evento de 2014 não terá mudanças só nas datas, mas também no contexto das discussões. Por ocorrer em novembro, o simpósio pretende realizar balanço de todas as discussões e inovações que ocorrerem até lá, além de propor novidades para os próximos anos.

Além de 15 palestras nos três dias, dividindo os debates entre as questões agrícolas e industriais, o evento debaterá políticas públicas e avaliações de mercado. Serão 69 estandes, dos quais 19 para entidades que apoiam pesquisas e inovação e 50 para empresas que as desenvolvem.

“O setor passa por uma crise latente e o mundo precisa buscar por novas tecnologias. Piracicaba sempre esteve na vanguarda e o New Simtec acompanha este momento. Pretendemos fazer a leitura da situação e aplicar o remédio certo”, disse o diretor da Apla e organizador do evento, Flávio Castelar.

Castelar afirmou que o foco em 2014 não será a geração de negócios. Ele crê que acontecerá, mas o objetivo do New Simtec é “plantar” novos conceitos e ideias. “Nossa ideia é gerar valores e discussões. É difícil medir isso, pois os investimentos podem demorar dois ou três anos para mostrarem os resultados”, completou.

O conteúdo das palestras ainda será analisado por uma comissão de conteúdo, que definirá o que será apresentado. A comissão é formada por especialistas do setor, mesclados entre as iniciativas privada e pública da região.

Fonte: G1