22.6 C
Uberlândia
quinta-feira, abril 18, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasMercado de fertilizantes registra queda nos preços

Mercado de fertilizantes registra queda nos preços

Segundo a Associação Nacional de Difusão de Adubos (ANDA), houve redução de 70% no valor do insumo.

O setor de fertilizantes registra queda nos preços. Segundo a Associação Nacional de Difusão de Adubos (ANDA), houve redução de 70% no valor do insumo, equalizando a demanda para este ano. A produção deve ultrapassar 46,4 milhões de toneladas, superando o recorde de 2021.

Para Leonardo Sodré, CEO da GIROAgro, uma das maiores empresas de fertilizantes do país, a produção de alimentos será beneficiada com a redução. “Com a deflação observamos a retomada significante do setor e o maior beneficiado será o consumidor final com alimentos mais baratos”, afirma.

Foto Pixabay

Os valores dos fertilizantes reduziram em média 70% para os nitrogenados e 60% fósforo e cloreto desde o pico de preços devido à guerra entre a Rússia e a Ucrânia, onde a ureia teve aumento de 70%, MAP (45%) e potássio (53%).

Em relação a importação o valor segue um pouco abaixo do observado no mesmo período de 2022, totalizando US$1,12 bilhão, mas o ritmo de compras segue acima. Em janeiro foram importados 2,40 milhões de toneladas, aumento de 4,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O mercado de fertilizantes no Brasil está em constante crescimento e apresenta oportunidades para o comércio exterior. O país é um grande importador desses insumos, com uma demanda crescente para atender às suas lavouras de grãos, cana-de-açúcar, café e outras culturas”, diz Fábio Pizzamiglio, diretor da Efficienza, empresa especializada no comércio exterior.

Segundo as projeções, a demanda por fertilizantes deve crescer em 4% em 2023 em relação ao ano anterior, chegando a 44,5 milhões de toneladas. “Esse aumento será impulsionado pela queda dos preços internacionais dos insumos, após a crise provocada pela guerra entre Ucrânia e Rússia em 2021”, destaca Pizzamiglio. Para atender a essa demanda, o Brasil depende principalmente da importação de países como China, Marrocos, Rússia e Estados Unidos.

O comércio exterior de fertilizantes é um tema estratégico para o Brasil, que busca aumentar sua produção agrícola e sua participação no mercado global de alimentos. “O setor agropecuário foi responsável por quase metade das exportações brasileiras em 2021, gerando um superávit comercial expressivo”, finaliza Pizzamiglio.

ARTIGOS RELACIONADOS

Lavouras mais produtivas: fórmulas de fertilizantes sem enchimento

Estudos comprovam que a fertilidade do solo é responsável por cerca de 60% da produtividade agrícola. Confira no artigo da Campo & Negócios como ter mais produtividade com fertilizantes sem enchimento.

Safra de milho pode atingir recorde com fertilizantes multinutrientes

Por Caio Coutinho Os produtores rurais de milho têm buscado, cada vez mais, aumentar a produtividade de suas lavouras. Tanto que a Companhia Nacional de...

Tecnologia pode apoiar Plano Nacional de Fertilizantes

Válvulas produzidas no país permitem fabricar insumos do agronegócio com garantia anticorrosão.

Panorama nacional do cultivo de morangos

A adubação na cultura do morango é dividida em duas etapas. A adubação de base tem o intuito de corrigir as deficiências de solo, e é feita antes do plantio e a fertirrigação, que são adubos diluídos na água.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!