22.6 C
Uberlândia
domingo, junho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiO sistema ideal para cultivar morangos

O sistema ideal para cultivar morangos

Mário Calvino Palombini

Engenheiro agrônomo e consultor técnico

vermelhonatural@hotmail.com

 

 Crédito Mário Calvino Palombini
Crédito Mário Calvino Palombini

Existem vários sistemas de produção de morango em semi-hidroponia ou hidroponia por gotejamento. Todos eles possuem vantagens e desvantagens que, quando avaliadas, respeitando a cultura empregada e as condições climáticas das regiões produtoras, podem obter a definição de qual sistema é o mais adequado.

Baseado nestas formações, formulam-se estratégias que proporcionem as melhores vantagens econômicas. No caso da cultura do morango, nas condições climáticas brasileiras os sistemas horizontais têm predominado sobre os sistemas verticais. Este fato ocorre por dois pontos decisivos.

A cultura do morango necessita de no mínimo seis horas de luz direta. Se forem descontados os períodos nublados, dentro do comprimento do dia, as regiões em condições adequadas para o cultivo da cultura do morango possuem em torno de sete a 12 horas de luz direta. Este fato indica que o período de menor incidência de luz está muito próximo dos limites da necessidade da cultura.

Nos sistemas horizontais, todas as plantas recebem a máxima irradiação solar disponível. Nos sistemas verticais, além de não receberem a máxima radiação solar disponível, há o agravante de as plantas que estão nas posições inferiores receberem menos irradiação solar que as plantas da parte superior, ocasionando perda de eficiência e, por consequência, perda de produtividade e qualidade dos frutos.

Outro fator decisivo da preferência dos sistemas horizontais é que nos sistemas verticais, devido ao peso da coluna de água, existe a tendência de ocorrera estratificação da solução nutritiva no substrato, ocasionando menor umidade na parte superior e maior umidade na parte inferior, gerando dificuldades no manejo hídrico.

Quando aumenta a intensidade das fertirrigações com o objetivo de manter a umidade adequada na parte superior, diminui a aeração do substrato na parte inferior e quando diminui a intensidade das fertirrigações, com o objetivo de manter a adequada aeração do substrato na parte inferior, a umidade adequada na parte superior do substrato é reduzida.

Por estes motivos existe a necessidade de aumentar as pesquisas em sistemas verticais para que o setor tenha mais uma opção viável a ser adotada nos sistemas “fora de solo“.

Essa matéria você encontra na edição de maio 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Organominerais estimulam a proliferação de microrganismos

Arthur Henrique Cruvinel Carneiro Técnico em Agricultura e Zootecnia, graduando em Agronomia - Universidade Federal de Lavras (UFLA), integrante do grupo PET Agronomia, coordenador de...

Soja transgênica e o fornecimento de manganês

Breno Araújo breno.araujo@rehagro.com.br Geraldo Gontijo Assistência técnica agrícola Rehagro Àmedida que a agricultura se moderniza, os sistemas de produção evoluem com a adoção de novas tecnologias e...

2ª etapa da Caravana de consultoria para gerenciamento de aplicação de defensivos é iniciada

  De julho a outubro deste ano a área de Serviços da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF realizou a primeira fase da Caravana...

Controle do oídio no morango em estufas

O controle eficiente do oídio no morango em estufas é essencial para garantir uma produção saudável e livre de doenças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!