18.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosPalini & Alves - Àfrente do seu tempo

Palini & Alves – Àfrente do seu tempo

Créditos Luize Hess
Créditos Luize Hess

A Palini & Alves participa da Femagri há quatro anos. “Temos uma parceria forte e solidificada com a Cooxupé, com a qual fazemos um trabalho intenso junto aos cooperados, culminando no sucesso de vendas na Femagri“, diz Carlos Henrique Palini, diretor de vendas da empresa.

Segundo ele, o movimento de produtores no estande da Palini & Alves foi muito forte, o que Carlos associa aos principais produtos do portfólio, voltado ao pós-colheita do café, beneficiamento, secagem, à linha de implementos, carretas, trituradores, lavador de café, descascadores e máquinas de benefíciamento.

Novidades

Para a Femagri a Palini & Alves levou como novidade uma máquina de benefício destinada ao pequeno produtor. Trata-se de um equipamento de baixo custo, fácil operação e manuseio. “Assim, o pequeno produtor tem a possibilidade de adquirir o equipamento de baixo custo para ele próprio beneficiar o seu café, sem depender de terceiros ou de mão de obra. É preciso que todos trabalhem para redução de custo“, recomenda Carlos Henrique.

Junto a essa novidade, o produtor pode contar com excelentes condições que a cooperativa proporcionou ao cooperado, com opção de troca de café em até três anos. A cooperativa ainda paga um preço diferenciado no café, ou seja, se no mercado o café está a R$ 490,00, a Cooxupé chega a R$ 530,00, o que ajuda muito a fomentar os negócios.

Palini & Alves - Créditos Luize Hess
Palini & Alves – Créditos Luize Hess

Máquina de beneficiamento

O café já seco entra em coco no equipamento, que descasca o café e logo é ensacado pronto para ser vendido. Sua principal vantagem é que o próprio pequeno produtor beneficia seu café quando precisar, pois a grande dificuldade desses produtores é a dependência de terceirização dos caminhões ambulantes, que vão à propriedade beneficiar o café, elevando o custo da produção.

Na Femagri o equipamento custou ao produtor R$ 18 mil, valor que se paga, em média, em três anos, se o produtor produzir 400 sacas ou mais.

Créditos Luize Hess
Créditos Luize Hess

Essa matéria você encontra na edição de Abril da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Cultivo de pimentas – Um ‘tempero’ a mais na renda agrícola

O cultivo da pimenta tem sido o tempero principal para a economia da Agroindústria Sabor da Colônia, localizada nazona rural de Turuçu (RS). A...

Sarna da macieira exige atenção do produtor

Givago Coutinho Engenheiro agrônomo e doutor em Fruticultura givago_agro@hotmail.com Herick Fernando de Jesus Silva Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia/UFU herickfernando@gmail.com Dentre as fruteiras de clima temperado, a macieira...

Cuidados no plantio do milho

  Ademilson de Oliveira Alecrim Mestrando em Fitotecnia/Cafeicultura pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), membro associado ao Núcleo de Estudos em Cafeicultura " NECAF e Grupo...

Cafeeiros – Equilíbrio nutricional é essencial para a fertilidade do solo

Daniela Andrade Mestre em Fitotecnia/Cafeicultura e coordenadora de operações agrícolas na Ac Café S.A daniela.agronomia@outlook.com João Paulo Teixeira Bacharel em Agronomia e supervisor de operações Agrícolas na...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!