23.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiPanorama da Vitivinicultura brasileira 2014

Panorama da Vitivinicultura brasileira 2014

 

Loiva Maria Ribeiro de Mello

Pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho

loiva@cnpuv.embrapa.br

Panorama da produção de uvas no Brasil - Crédito Shutterstock
Panorama da produção de uvas no Brasil – Crédito Shutterstock

Fazendo uso dos dados do IBGE, observou-se que em 2014 ocorreu aumento de 1,64% na produção nacional de uvas.  Excepcional aumento ocorreu nos Estados da Bahia e de Santa Catarina.

Na Bahia, em 2014, o aumento da produção foi de 46,77%, em relação ao ano de 2013, e mesmo assim a produção situou-se abaixo à do ano de 2010. Nesse Estado houve a substituição de cultivares tradicionais de baixa produtividade, cujas áreas estavam sendo abandonadas, por cultivares protegidas (importadas) de alta produtividade oriundas, principalmente, de grandes empresas americanas, italianas e sul-africanas.

Em Santa Catarina, onde ocorreu aumento de 24,37% na produção, houve apenas a reposição da produção perdida em 2013, devido à geada ocorrida em alguns locais de produção. Verificou-se, também, aumento de produção nos Estados de Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul, de 3,52%, 2,35%, e 0,53%, respectivamente.

No Ceará, Minas Gerais, São Paulo e Goiás ocorreu redução de produção no ano de 2014. Nos estados do Ceará e de Goiás, onde a viticultura está sendo implantada, era esperado aumento de produção, no entanto, houve redução de 13,70% e de 27,31%, respectivamente. Em Minas Gerais a redução da produção foi de 9,24%, mas é superior à verificada ao ano de 2012 e antecessores, e em São Paulo diminuiu 15,09%.

Em 2014, a produção de uvas destinadas ao processamento (vinho, suco e derivados) foi de 673.422 milhões de quilos de uvas, representando 46,89% da produção nacional. O restante da produção (53,11%) foi destinado ao consumo in natura.

 

Área plantada e colhida

As áreas plantada e colhida de uvas no Brasil, que já haviam apresentado redução em 2013, no ano de 2014 diminuíram 1,23% e 0,30%, respectivamente. O Estado do Ceará apresentou redução de 50% em sua área, permanecendo apenas 25 ha do projeto de irrigação de Tabuleiros de Russas do DNOCS, no ano de 2014.

Em Goiás a redução da área plantada foi de 19,30 ha. Dentre os Estados tradicionais produtores de uvas, o Estado de São Paulo apresentou redução de 12,79% na área plantada, o de Minas Gerais redução de 1,77%, o do Paraná diminuiu sua área em 4,19% e o do Rio Grande do Sul apresentou redução de 0,86%.

Nessas regiões está ocorrendo falta de mão de obra, especialmente para os períodos de uso mais intensivo e críticos (poda e colheita). Em alguns locais também a especulação imobiliária está contribuindo para redução da área vitícola. Ocorreu aumento da área plantada em 2014 apenas nos estados de Pernambuco, Bahia e Santa Catarina, sendo que nesse último poderia estar havendo um equívoco nos dados apresentados no IBGE, não sendo, portanto, condizente com a realidade.

 O aumento da área plantada na Bahia (19,58%) não foi suficiente para recuperar a área perdida nos últimos anos.

Em relação à área colhida, em 2014, o desempenho se assemelha ao da área plantada. O Estado da Bahia apresentou o maior aumento da área colhida (21,43%). As maiores reduções ocorreram nos estados do Ceará (-44,44%), de Goiás (-19,30%) e de São Paulo (-12,19%).

Embora não disponível nas estatísticas do IBGE, a viticultura está sendo implantada em outros Estados, como Mato Grosso do Sul, Espírito Santo e Piauí.

 

Loiva de Mello, pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho - Crédito Viviane Zanella
Loiva de Mello, pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho – Crédito Viviane Zanella

Produção de Vinhos, suco e derivados

No Rio Grande do Sul, em 2014, a produção de vinhos, sucos e derivados foi de 507,84 milhões de litros, 2,60% superior à verificada em 2013. Os vinhos continuam apresentando redução de produção.

Em 2014, apresentaram redução de produção de 2,75%, sendo que os vinhos de mesa sofreram redução de 0,37%, enquanto os vinhos finos tiveram sua produção reduzida em 12,71%.

Os sucos de uva apresentaram incremento de produção de 10,85%, cabendo o maior aumento ao suco de uva integral (28,68%). O suco de uva concentrado teve aumento de 7% na produção em 2014, mas ainda não recuperou o volume de produção verificada em 2012.

O segmento de suco tem sido uma alternativa para a sustentabilidade da vitivinicultura brasileira, pois o vinho nacional tem experimentado demandas decrescentes especialmente devido à forte pressão dos vinhos importados.

Balanço

Em 2014, o setor vitivinícola brasileiro apresentou déficit de 350,77 milhões de dólares, 32,49% superior ao verificado em 2013. Enquanto as importações mostraram aumento de 8,96%, as exportações tiveram fraco desempenho, com redução de 35,84% em valor.

Nesse mesmo ano, os preços médios obtidos pelas exportações de uvas (U$ 2,36/kg), foram superiores aos pagos pela importação (U$ 1,85/kg). No caso dos vinhos e espumantes, os preços médios pagos pela importação foram superiores aos recebidos pelas exportações. O vinho foi importado ao preço médio de U$ 3,77 e exportado a U$ 3,21 ao litro. O país pagou, em média, U$ 7,93 ao litro de espumante, enquanto vendeu ao mercado internacional ao preço de U$ 4,66 ao litro.

Essa matéria você encontra na edição de março da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

TARGA MAX é nova solução IHARA contra gramíneas resistentes e milho voluntário

  Aumento dos casos de resistência de algumas gramíneas e dos desafios no manejo do milho voluntário levam a IHARA a lançar um herbicida altamente...

Alta produtividade e rentabilidade com o uso de nutrição especial em cereais

Estima-se que em 2030 sejamos 8,3 bilhões de habitantes no mundo, segundo a Organização de Agricultura e Alimentação (FAO). Isso demandará 60% mais comida,...

Satis implanta campo experimental para pesquisas em Araxá/MG

Em sua Fazenda Novo Horizonte, localizada no município mineiro de Araxá, a Satis concluiu recentemente a estruturação do um campo experimental voltado ao desenvolvimento de pesquisas.

Lançamento da Dekalb bate recorde na colheita da segunda safra no oeste do Paraná

  Os benefícios da tecnologia para o milho VT PRO3 da Monsanto, aliados às qualidades do híbrido lançamento Dekalb DKB290, resultaram em números recordes na...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!