21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMercadoPeríodo de frutificação do café requer manejo nutricional e fitossanitário

Período de frutificação do café requer manejo nutricional e fitossanitário

 

Fornecimento de nutrientes minimiza efeitos causados por estresses ambientais como o excesso de chuvas

Café frutificaçãoOs resultados de qualidade e produtividade do café dependem de um conjunto de fatores. Entre eles, está o desenvolvimento da planta durante a frutificação, fase em que a cultura se torna mais sensível a estresses biológicos. Para garantir uma boa colheita este ano, os produtores devem estar atentos aos cuidados exigidos no primeiro trimestre, como salienta o engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico de hortifruti da Alltech Crop Science.

“As plantas de café arábica, por exemplo, demoram em média dois anos para completar o ciclo de frutificação. Nesse tempo, ocorre a granação, que é a formação do grão, agora em janeiro, fevereiro e março. Mas também se formam as gemas foliares, que vão influenciar na próxima floração, crescimento, granação e maturação do grão. Então, a granação que está acontecendo nos frutos agora é reflexo do tratamento feito anteriormente, desde o ano passado“, explica.

Segundo Revoredo, condições adversas como variações de temperatura, deficiências nutricionais e excesso de umidade do solo prejudicam a formação final dos grãos. “A capacidade produtiva da planta pode ser afetada por questões como a absorção de nutrientes ou doenças na parte aérea. O estresse biológico provocado por patógenos pode causar o aumento na porcentagem de grãos chochos, o que prejudica a produtividade e qualidade. Por isso, a aplicação de aminoácidos estimula a capacidade da planta de se aproximar do seu potencial produtivo“, afirma.

Para minimizar esses efeitos, o engenheiro agrônomo destaca a importância da complementação dos cultivos com nutrientes como potássio e elemento Cobre. “O potássio está envolvido no processo de translocação de assimilados, o enchimento dos frutos. Já o manejo de Cobre reduz a incidência de doenças bacterianas, que têm ocorrido principalmente em Minas Gerais e São Paulo, devido ao excesso de chuvas enfrentado esse ano em decorrência do El Niño“, observa Revoredo.

No Estado mineiro, os benefícios do manejo nutricional e fitossanitário têm sido comprovados pelo consultor de café Cledson Morais, que atua na região Sul de Minas, São Paulo e Cerrado. “O fornecimento de potássio e Cobre é de extrema importância. Uma das vantagens que temos constatado é a proteção contra doenças. E outra é o enchimento de grãos, porque uma condição de grãos mais densos garante um preço superior de mercado“, ressalta.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Controle biológico da lagarta-do-cartucho se mostra eficiente

  Fernando Hercos Valicente Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo fernando.valicente@embrapa.br A área cultivada com milho no Brasil está em torno de 16 milhões de hectares, e o...

Aegro recebe aporte de 2,5 milhões da SP Ventures e a ABSeed

A Aegro Informática Ltda., startup que possui uma plataforma focada na gestão e na otimização de produção agrícola através de um software que permite...

Qual a hora certa de utilizar os aminoácidos?

Todas as culturas são beneficiadas com a aplicação de aminoácidos, visto que eles ajudam a planta a se recuperar de algum estresse sofrido. As plantas sintetizam todos os 21 aminoácidos por ela demandadas, e a ciência moderna já consegue identificar em quais momentos dentro da fenologia da planta eles são mais demandados.

Oxiquímica apresenta o Projeto I9&Celebre

  A Oxiquimica esteve presente na 14ª edição da Femagri divulgando o Projeto I9 & Celebre que é um conjunto de iniciativas articuladas de ofertas...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!