27.7 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 22, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesPolos florestais são alternativa para reduzir pressão

Polos florestais são alternativa para reduzir pressão

Florestas plantadas unem inovação à sustentabilidade e se tornam tendência no Brasil

Estima-se que mais de 20 mil campos de futebol são desmatados em um ano na mata atlântica, o que resulta em 9,6 milhões de toneladas de CO2 lançadas na atmosfera, aumentando o efeito estufa. Como alternativa, os Polos Florestais surgem como uma alternativa para diminuir este desmatamento através das florestas plantadas.

As plantações têm o solo, localização e clima previamente estudados para garantirem o melhor desenvolvimento das espécies. Em Minas Gerais, estado que concentra a maior cobertura de florestas plantadas do país, está o Polo Florestal de Mogno Africano, espécie que produz madeira nobre de alta comercialização e valor agregado, além de retornos financeiro e ambiental importantes. A madeira nativa do Mogno Africano é reconhecida mundialmente como nobre, sendo a principal substituta do mogno brasileiro (Swietenia macrophylla), espécie ameaçada de extinção.

Créditos: Divulgação

O projeto é administrado pelo Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), fundado em 2006, responsável por um modelo de negócio único no Brasil. Uma solução de investimento atrelada a sustentabilidade que permite democratizar o acesso a ao mercado florestal, possibilitando que pessoas sem terra, conhecimento técnico ou estrutura para o plantio e a gestão florestal possam se beneficiar desse modelo de negócio.
 

O município de Pompéu, região central de Minas Gerais, já tem mais de 16% de sua extensão coberta por florestas plantadas, correspondendo a mais de 40 mil hectares. Administradas pelo IBF, as florestas são uma oportunidade de investimento.
 

Todas as operações são garantidas em contrato: a compra e venda da terra, assim como todo o trabalho florestal – desde a correção do solo, a produção das mudas, plantação e manutenções até a colheita e venda da madeira. “A parte de mapeamento, delimitação de lotes, condicionamento, plantio, produção das mudas, gerenciamento e manutenções até o final do contrato de prestação de serviço, é responsabilidade do IBF”, explica Gilberto Capeloto, gerente comercial do instituto.
 

A facilidade, atrelada à tecnologia, oferece a possibilidade de acompanhar o desenvolvimento da floresta, por meio dos relatórios em um aplicativo exclusivo. O resultado vai muito além do retorno de R$1,5 milhão por hectare. Com as plantações, a exploração de florestas nativas diminui.

Com menos exploração, as florestas plantadas mantêm a conservação do solo, além de proteger os recursos hídricos e reduzirem o efeito estufa, já que favorecem a retenção de gás carbônico.

Mogno Africano – a espécie O Mogno Africano é uma espécie de árvore pertencente à família Meliaceae, produz madeira nobre de alto valor econômico e é amplamente utilizado nas indústrias moveleira, naval, construção civil, laminados, ornamentação de luxo, entre outras. No Brasil, existem três espécies conhecidas de Mogno Africano: Khaya anthoteca, Khaya grandifoliola e Khaya senegalensis. A espécie K. grandifoliola é a mais plantada no país, com mais de 40 mil hectares estimados. Foi difundido no país nas décadas de 80 e 90, inicialmente, em áreas de reposição florestal e plantios experimentais promovidos pela Embrapa em diversas regiões do Brasil.

ARTIGOS RELACIONADOS

Silo-bolsa como alternativa para armazenar safra recorde

O silo-bolsa é a solução para armazenar sua safra recorde de forma segura e eficiente.

Nespresso e a redução na pegada de carbono

Com redução na pegada de carbono, um ano de certificação B-Corp e 20 Anos do Programa AAA de Qualidade Sustentável™, marca reforça estratégias que conectam agricultura e sustentabilidade

Silício no solo: alternativa para mais equilíbrio

Dentre as formas de manejo de solo, as mais comuns são a utilização de corretivos e fertilizantes.

Poda sanitária reduz ataque de pseudomonas em cafeeiros

A poda sanitária é uma importante prática para reduzir o ataque de pseudomonas em cafeeiros, garantindo a saúde das plantas e a qualidade do café.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!