25.6 C
Uberlândia
terça-feira, julho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesProdução de cana-de-açúcar dá novo lar para animais silvestres em SP

Produção de cana-de-açúcar dá novo lar para animais silvestres em SP

Divulgação

A Usina São Manoel, associada à Copersucar, desenvolveu um programa de monitoramento e acolhimento da fauna que contribui para o equilíbrio ecológico e com a preservação de espécies, o que inclui aquelas em extinção. Conhecido como Bicho Vivo, o projeto virou um santuário de animais silvestres em meio à produção de cana-de-açúcar, contando com a disponibilização de uma área de preservação ambiental de mais de 11 mil quilômetros quadrados da usina para abrigá-los, espaço equivalente a sete parques do Ibirapuera, localizado na capital paulista.

Lançado há pouco mais de oito meses, o programa nasceu da parceria entre a Usina São Manoel, Polícia Militar Ambiental de Botucatu e Unidade de Vigilância Animal – UVA de São Manuel. Animais silvestres capturados pela Polícia Ambiental, normalmente em perímetros urbanos, após receber o tratamento adequado na Unidade de Vigilância Ambiental (UVA) da cidade de São Manuel, são soltos nas áreas disponibilizadas pela usina. Nesta união entre o serviço público e a iniciativa privada, os animais são devolvidos à natureza. As áreas de vegetação contam ainda com corredores e passagens ecológicas, rios e nascentes, possibilitando um habitat ideal com todos os recursos necessários para a sobrevivência. O projeto ainda recebe espécies de outras ONGs da região.

LEIA TAMBÉM:

Mapas de pulverização podem gerar economia de R$ 80/ha em cana-de-açúcar
Maturadores ajudam a aumentar o teor de ATR da cana-de-açúcar, mesmo próximo da colheita

Lobo-guará, ameaçado de extinção, caminha na área de integração entre os canaviais e os corredores ecológicos da Usina São Manoel

“Na época em que a ideia surgiu, buscamos a parceria junto às diretorias do meio ambiente e da saúde, com a prefeitura e a polícia ambiental, que nos informaram sobre a dificuldade de encontrar áreas para esta recolocação. A partir daí, nós conseguimos escalonar oito áreas para soltura destes animais silvestres”, comenta Diego Victoriano de Oliveira, Supervisor de Qualidade e Sustentabilidade da Usina São Manoel.

Durante este período, já foram identificadas 29 espécies de mamíferos, sendo quatro classificadas como Ameaçadas de Extinção (EN): uma Onça-parda (P. concolor), uma Jaguatirica (L. pardalis), um Gato-do-mato-pequeno do gênero Leopardus e um Lobo-guará (C. brachyurus). O programa também catalogou 163 espécies de aves, sendo três classificadas como Quase Ameaçadas (NT) de extinção: um Papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva), um Ui-pi (Synallaxis albescens) e um Soldadinho (Antilophia galeata).

Para Pedro Dinucci, presidente do Conselho de Administração da Usina São Manoel, associada da Copersucar, a mentalidade do empresariado está mudando para melhor. “A gente acredita que hoje a principal força para potencializar o cenário competitivo do nosso setor é a sustentabilidade. A gente acredita que as empresas que melhor se conectam com os anseios da sociedade vão sair muito na frente”, completa.

A captura é importante para remover o animal do ambiente urbano, que pode trazer risco de vida ao próprio animal e para outras pessoas, retornando-o para um habitat natural. A soltura favorece a biodiversidade do local, a dispersão de sementes de árvores e o controle populacional das espécies, contribuindo ainda na cadeia alimentar onde são introduzidos.

Coruja-buraqueira (Athene cunicularia) solta nos corredores ecológicos da Usina São Manoel

De acordo com a engenheira florestal, Maria Claudia Trabulsi, coordenadora de sustentabilidade da Copersucar, projetos como o Programa Bicho Vivo, que está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, beneficiam toda a cadeia, desde o próprio animal resgatado e o ambiente onde ele é inserido, passando pela sociedade e chegando até à empresa. “O investimento em biodiversidade contribui de forma significativa para a conquista de certificações pelas usinas, o que é um importante diferencial no momento de conquistar mercado externo”.

As usinas associadas à Copersucar têm um trabalho intenso de preservação ambiental, promovendo atualmente a proteção de mais de 110 mil hectares de vegetação nativa, extensão daria para cobrir todo o município do Rio de Janeiro. Esta atuação contribui também para a conservação dos recursos hídricos, enriquecimento do solo e a manutenção de um ambiente adequado para a biodiversidade.

ARTIGOS RELACIONADOS

Condições climáticas interferem na produtividade no canavial

Períodos de estiagem podem afetar a cultura da cana-de-açúcar; Ubyfol oferece solução para proteger a plantação no período de restrição hídrica.

Centro de Excelência em Cana-de-Açúcar é lançado na Agrishow

Instituição desenvolverá novas tecnologias para o setor sucroalcooleiro.

Plantio direto tem potencial para sequestrar carbono na produção de hortaliças

O plantio direto se mostra uma ferramenta capaz de mitigar os efeitos das mudanças climáticas na produção de hortaliças, favorecendo toda a cadeia ambiental   A...

Cana-de-açúcar: previsão otimista para próximas safras

Especialista analisa como os cuidados desta safra influenciam a colheita 23/24; consultor oferece dicas de manejo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!