Quais os benefícios dos aminoácidos para o café?

0
10

Alisson Campos
Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia/Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
alissonavcampos@yahoo.com.br
Marina Scalioni Vilela
Engenheira agrônoma, mestra em Agronomia/Fitotecnia e doutoranda em Agronomia/Fitotecnia – UFLA
marinasv3p@gmail.com
Otávio José Figueiredo
Engenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia/Fitotecnia – UFLA
otaviofigueiredo460@gmail.com

Os aminoácidos são moléculas orgânicas com grupos amina (NH2) e carboxila (COOH) em sua composição estrutural. São os principais componentes das células e hormônios, possuem origem tanto animal, obtidos de hidrolise alcalinas ou ácidas, como origem vegetal, por fermentação microbiana ou enzimática.
Os hormônios são os responsáveis por promoverem crescimento, como as auxinas, citocininas, giberelina, produzindo flores, frutos e raízes. Os aminoácidos são os precursores dos hormônios, e a glutationa é um oligopeptídico formado por três aminoácidos, que ajuda a desintoxicar mudas com estresse fisiológico por excesso de luminosidade (escaldadura) ou por herbicidas.
Os aminoácidos podem ser levogiros (L) ou dextrógenos (D), sendo apenas os levogiros absorvidos. Para a melhor absorção desses aminoácidos é preferível que sua estrutura apresente cadeias curtas e não complexadas para facilitar a absorção.
Extratos de algas são ricos em aminoácidos glicina, betaína e prolina, fazendo com que o cafeeiro tolere mais o período de seca, auxiliando no ajuste osmótico. A aplicação de aminoácidos promove o aumento do metabolismo de nitrogênio na planta.

Posicionamento

O correto posicionamento dos produtos foliares, no timing exato, é uma condição imprescindível para o sucesso do manejo. As aplicações de aminoácidos para amenizar o efeito do déficit hídrico são recomendadas de forma preventiva ou sequencial, uma vez a planta em condições de estresse severo tem o efeito do aminoácido reduzido drasticamente.
A aplicação de aminoácidos após o transplantio das mudas de café auxilia na aclimatação das mudas a pleno sol, amenizando a peroxidação lipídica, reduzindo o número de morte das plantas e aumentando o crescimento radicular.
A aplicação do aminoácido para reduzir o efeito da fitotoxidez no cafeeiro deve ser realizada o mais breve possível, para evitar que o dano afete o desenvolvimento da planta. A aplicação foliar de aminoácidos é uma alternativa para a recuperação de plantas estressadas por ataques de pragas, doenças, toxicidade de defensivos, geadas ou déficit hídrico, estimulando o metabolismo secundário.
A metabolismo secundário ocorre pela atividade de enzimas como a catalase e peroxidase, que tem gasto energético extra para a planta.

Em termos de produtividade

A redução do estresse fisiológico proporciona o maior desenvolvimento das plantas, visto que reduz a energia envolvida no metabolismo secundário. O uso de aminoácidos permite maior desenvolvimento radicular, diminuindo a morte de plantas e, consequentemente, o replantio.
Com o aumento da produção de citocinina, a produção da parte aérea também é elevada, vegetando mais a planta, com maior capacidade fotossintética, produzindo mais estruturas reprodutivas e potencialmente aumento da produtividade.

Em campo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.