15.2 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosQualidade de sementes de milho é fundamental

Qualidade de sementes de milho é fundamental

Reginaldo Resende Coelho

Engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Produtos e Mercado – Escritório de Sete Lagoas

 

 Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Para iniciar uma lavoura de milho, o principal insumo é a semente, e o produtor precisa se atentar para adquirir o material certo com qualidade física, fisiológica, sanitária e genética. Já quem produz, precisa adquirir sementes certificadas, ficar atento para a indicação técnica da variedade e a recomendação para o tratamento adequado das sementes contra doenças e pragas, que faz toda a diferença.

A semente pode ser considerada como o alicerce de uma boa lavoura. Ela reúne características como: pureza genética e física, qualidade fisiológica e fitossanitária. Essas características, reunidas, fazem da semente um fator determinante para o sucesso de uma lavoura.

A pureza genética diz respeito à constituição genética da semente, que irá se expressar no desenvolvimento da planta, em seu potencial produtivo, ciclo, arquitetura, tipo de grão, resistência e/ou tolerância a pragas, entre outras características.

A pureza física refere-se à ausência de contaminações das sementes por materiais estranhos ou impurezas, tais como: partículas de solo, restos vegetais, pedras, sementes danificadas, sementes de plantas invasoras e de outras espécies cultivadas.

A qualidade fisiológica é a capacidade potencial das sementes de gerar uma nova planta perfeita e vigorosa, sobre condições favoráveis. A qualidade fisiológica da semente pode ser aferida por meio do seu poder germinativo e pelo seu vigor, que serão determinantes para o estabelecimento do estande ideal para a cultivar expressar o seu potencial produtivo.

Qualidade sanitária

A qualidade sanitária refere-se à ausência, nas sementes, de agentes patogênicos. Tais agentes, levados pelas sementes, além de influenciarem negativamente a emergência e o vigor das plântulas constituem o inóculo inicial que, em condições ambientais favoráveis, podem originar doenças que poderão comprometer o rendimento da lavoura.

Como escolher

A produção e comercialização de sementes é regida por lei. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) é quem estabelece as normas de produção e comercialização de sementes, tendo como objetivo disponibilizar material de multiplicação com garantia de identidade e qualidade.

Toda pessoa física e jurídica envolvida com produção, beneficiamento, armazenamento e comercialização de sementes obrigatoriamente precisa obedecer tais normas. Portanto, para adquirir sementes com identidade e boa qualidade é preciso se certificar que o produtor/beneficiador/armazenador/comerciante está legalmente inscrito no Registro Nacional de Sementes de Mudas (RENASEM) para estas atividades e cumpre a normas. A nota fiscal e o documento das sementes que expressa a identidade e qualidade precisam ser exigidos no momento da aquisição.

Sementes certificadas se referem a uma classe estabelecida pela legislação. A certificação é o processo que, obedecidas normas e padrões específicos, objetiva a produção de sementes mediante controle da qualidade em todas as suas etapas, incluindo o conhecimento da origem genética e o controle de gerações.

Tratamento de sementes

Várias pragas podem acometer as sementes e a plântula na fase de geminação/emergência, comprometendo o estabelecimento da lavoura. Logo, o tratamento de sementes é indispensável para proteção da lavoura nessa fase inicial.

Existem, no mercado, vários produtos recomendados para o tratamento de sementes. A recomendação deve ser feita por engenheiro agrônomo por meio de receita agronômica.

Essa matéria você encontra na edição de junho 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

 

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Algas marinhas evitam estresse na lavoura

Tiago Henrique Costa Silva Engenheiro agrônomo, mestrando em Proteção de Plantas " IFG Urutaí-GO tiago@agronomo.eng.br O estresse hídrico na soja pode resultar em problemas na germinação, com...

Uso de inoculantes no tratamento industrial de sementes de soja

No âmbito do agronegócio mundial, a produção de soja está entre as atividades econômicas que, nas últimas décadas, apresentou um dos crescimentos mais expressivos.

Algas melhoram enraizamento e arranque inicial das plantas

  O uso de substâncias bioestimulantes é amplamente difundido entre os agricultores para favorecer o crescimento inicial das plantas. No mercado brasileiro, são muitas as...

Antracnose – Doença de final de ciclo do feijoeiro

Carla Verônica Corrêa Engenheira agrônoma e doutoranda em Agronomia, UNESP/Botucatu cvcorrea1509@gmail.com Letícia Galhardo Jorge Graduanda em Ciências Biológicas, UNESP/Botucatu leticia_1307@hotmail.com Bruno Novaes Menezes Martins Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia, UNESP/Botucatu. brunonovaes17@hotmail.com A...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!