26.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesRede de monitoramento da cigarrinha-do-milho

Rede de monitoramento da cigarrinha-do-milho

Crédito Bayer

Velha conhecida dos produtores brasileiros, a Cigarrinha-do-milho (Dalbulus maidis) nas últimas safras trouxe grande preocupação ao campo. O inseto-praga característico em cultivos de milho, que causa “enfezamentos” às plantas, desde a safra 2020/21, tem apresentado forte pressão de ataque nos cultivos do cereal pelo País podendo causar perdas entre 20 a 90% do potencial produtivo.

Nos estados da região sul, por exemplo, a instabilidade do clima com tempo seco e chuvas irregulares favoreceu a incidência do inimigo. Em Mato Grosso, maior produtor nacional da cultura, também já existem produtores preocupados com o grande aumento de casos, inclusive cogitaram um “vazio sanitário” com a suspensão do cultivo do grão na primeira safra deste ano como paliativo.

Diante desse cenário, com o objetivo de auxiliar um número ainda maior de produtores no manejo mais assertivo da praga e mitigar maiores perdas na produção do grão, a Bayer anunciou a ampliação do seu programa Esquadrão de Combate à Cigarrinha. A rede colaborativa de dados sobre a praga, lançada inicialmente no ano passado com plano piloto nas lavouras do Paraná, Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, em parceria com agricultores e pesquisadores, agora será ampliada podendo tornar-se a maior rede de monitoramento da Cigarrinha-do-milho da América Latina.

Essa ampliação está sendo estruturada com a ajuda da tecnologia da Sima – Sistema Integrado de Monitoramento Agrícola, agtech que oferece uma plataforma completa e inteligente que permite realizar monitoramentos em campo de forma georreferenciada, analisar informações e gerar importantes insights para auxiliar na tomada de decisão.

O sistema da Sima ainda proporciona a construção de um banco de dados. Segundo Rafael Malacco, gerente de desenvolvimento de mercado da agtech, no caso específico da cigarrinha, pelo comportamento que apresenta, é de suma importância que os monitoramentos sejam analisados de forma mais espacial, regional e não se limite a decisões talhão a talhão ou fazenda a fazenda. “Com a plataforma é feita a gestão das instalações e monitoramentos e a unificação em único banco de dados facilitando a rápida análise para uma rápida decisão, além de construir e manter os registros históricos que seguramente servirão como base para diversos estudos e correlações futuras referente a essa adversidade”, ressalta.

De acordo com Marcelo Giacometti, Customer Experience Activation Manager da Bayer, com todos esses diferenciais, a Sima demonstrou uma parceria fundamental na coleta e interpretação dos dados vindos do campo. “Com os relatórios dinâmicos que criamos em conjunto, podemos analisar áreas de todo Brasil de forma simples e ágil, ajudando o produtor rural a tomar as melhores decisões rapidamente”, disse.

Com o projeto bem estruturado, com resultados positivos em seu primeiro ano, agora a meta dos idealizadores passou a ser ainda mais ambiciosa. Segundo Giacometti, a ideia da Bayer é ampliar a informações de qualidade sobre a praga e mitigar o impacto do complexo do enfezamento nas safras. “Creio que temos potencial de criar a maior rede de inteligência sobre uma praga de alto impacto econômico para o agro da América do Sul.


Ganhos diretos

O esquadrão de combate à cigarrinha foi estruturado sob uma rede integrada de informações sobre as populações do inseto, coletadas a campo semanalmente e registradas por meio de um aplicativo. Dessa forma foi possível criar mapas e entender a dinâmica da praga; além dos limites do talhão do agricultor. Esses mapas ajudaram a conscientizar a cadeira produtiva sobre a necessidade de manejar a praga de forma integrada. A participação dos monitores, pesquisadores, empresas e agricultores foi sincronizada, onde cada parte apoiou em uma etapa crítica do processo:  na coleta dos dados, compilação dos diagnósticos, interpretação e recomendação de manejo em tempo hábil.

Com o mapeamento do Esquadrão de Combate à Cigarrinha cada vez mais robusto com informações mais precisas em um grande banco de dados, o produtor terá diversos benefícios. Um dos principais é ter a segurança de cultivar sua lavoura de milho, com sustentabilidade e lucratividade

Conforme adianta o executivo da Bayer, a meta é impactar o maior número possível de agricultores, técnicos e profissionais. Isso porque as informações geradas pelo esquadrão somente são úteis quando chegam ao agricultor de forma ágil, a tempo de ajustar seu manejo e evitar o impacto do complexo do enfezamento. “Todos os dados estarão disponíveis através dos nossos parceiros de negócios e times de campo”, finaliza Giacometti.

Sobre – A SIMA é uma AgTech que surgiu em 2013 na Argentina com o objetivo de oferecer aos produtores uma plataforma simples, completa e inteligente para monitoramento, controle e análise de dados. Hoje a empresa está presente em 8 países da América Latina e possui mais de 4 milhões de hectares monitorados. Mais informações em: www.sima.ag/pt.

Sobre a Bayer

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de saúde e nutrição. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para ajudar o desenvolvimento do planeta e das pessoas, apoiando os esforços para enfrentar os grandes desafios apresentados pelo crescimento e envelhecimento populacional no mundo. A Bayer se compromete a impulsionar o desenvolvimento sustentável e gerar um impacto positivo a partir de seus negócios. Ao mesmo tempo, o Grupo visa a aumentar seu poder de ganho e criar valor por meio da inovação e do crescimento. A marca Bayer representa confiança, confiabilidade e qualidade ao redor do mundo. No ano fiscal de 2020, o Grupo contou com cerca de 100 mil colaboradores e obteve vendas de € 41,4 bilhões. As despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4,9 bilhões. Para mais informações, acesse o site da Bayer.

ARTIGOS RELACIONADOS

Tecnologias contribuem para mais 620 SC/HA de milho em campeonato americano

Ultrapassando a marca dos 600 bushels/acre (627,6 sc/ha), David Hula, o recordista ...

Transformação de milho em etanol

Fabrício Vieira, diretor comercial de Etanol e Energia da FS, traz uma reflexão sobre a produção de milho e as consequências no etanol.

Organomineral otimiza produtividade de soja e milho

A viabilidade e os preços dos organominerais, além da vantagem desse produto em soja e milho, além de outras dicas.

Trigo pode ser alternativa mais barata que a silagem de milho

Emater-MG e Epamig fazem dias de campo no Sul de Minas e Campo das Vertentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!