26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesSafra de Feijão: é época de cuidar da lavoura

Safra de Feijão: é época de cuidar da lavoura

O combate a pragas é um dos maiores desafios da agricultura no Brasil, por ser um país tropical (quente e úmido) e um dos únicos a ter mais de uma safra anual. Além de interferir na qualidade dos alimentos, uma quebra de safra por ataque de pragas consequentemente leva ao aumento de preços do produto.

O feijão, por exemplo, é um dos alimentos mais consumidos no Brasil e devido a sua importância, os produtores possuem um cuidado especial com ele principalmente em relação ao cultivo e a aplicação de defensivos agrícolas. De acordo com pesquisa de campo do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Vegetal (SINDIVEG), 35% do volume de produtos aplicados para proteção deste cultivo acontece justamente nos meses de abril, maio e junho.

Créditos: Freepik

Quando se fala em números, de acordo com dados do 8º Levantamento Safra 22/23 da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), 955,8 mil toneladas, que já se encontram praticamente colhidas em sua totalidade. Com o início da colheita da segunda safra, estimada em 1.398,4 mil toneladas, e a terceira safra, estimada em 725,4 mil toneladas, o trabalho de campo chega em um volume médio de produção estimado em 3,01 milhões de toneladas, 3% superior à safra anterior, garantido o abastecimento interno.

Segundo o SINDIVEG, as tecnologias de proteção de cultivos são fundamentais para que os produtores agrícolas mantenham o alto nível de produtividade, e assim garantindo à sociedade a crescente demanda por alimentos e fibras. O sindicato incentiva a aplicação correta e segura, pois isto significa aumento de produtividade no campo porque os defensivos agrícolas permitem que as plantas cresçam e deem frutos, ao protegê-las do ataque e da proliferação de pragas, doenças e plantas daninhas.

Veja quais são as principais pragas do feijão e os prejuízos que elas causam

Antracnose – a antracnose é uma doença de grande importância econômica, podendo ocasionar perdas de até 100% em condições ambientais favoráveis ao seu desenvolvimento (temperatura moderadas e alta umidade). Os sintomas iniciais são de cor de ferrugem, manchas nos tecidos, que depois aumentam para formar lesões fundadas de coloração escura. Esses sintomas são mais aparentes nos pecíolos e na face inferior das folhas (nas nervuras). Nas vagens, forma lesões afundadas de coloração preta ou marrom cercadas, nas margens, por uma coloração mais clara.

Mosca branca – a mosca-branca pode ocorrer durante todo ciclo da cultura, entretanto tem preferência por plantas mais jovens, na quais o dano do ataque é mais grave, devido a possibilidade de transmissão de virose, mosaico dourado do feijoeiro (BGMV), que pode afetar drasticamente o desenvolvimento das plantas impossibilitando altas produtividades. O dano mais sério causado pela mosca-branca diz respeito à transmissão de vírus como o mosaico-dourado-do-feijoeiro e outros vírus, provocando perdas de até 100% da produtividade dependendo do estágio em que a planta foi infectada.Helicoverpa armigera – está lagarta pode atacar todas as fases de desenvolvimento da cultura, mas tem preferência para estruturas reprodutivas causando danos direto à produtividade. O controle mais eficiente ocorre em lagartas de menor tamanho, assim como o controle dos adultos pode ser uma boa estratégia de manejo. Em áreas de feijão em sucessão à outra cultura já infestada com lagartas pode ocorrer dano direto no stand de plantas com o ataque das lagartas em plantas recém emergidas. Para o controle eficiente dessa praga a utilização de estratégia de manejo baseado no manejo integrado de pragas é fundamental.

ARTIGOS RELACIONADOS

Baixas temperaturas e excesso de chuvas: saiba o que pode afetar sua lavoura

A agricultura é uma atividade extremamente dependente de condições climáticas e, mesmo empregando as melhores técnicas de plantio, a cultura pode sofrer estresses no início do seu ciclo, que colocam em risco seu potencial produtivo.

Flora apícola é determinante para o tipo e a qualidade do mel

Excelentes abelhas, ótimas instalações e muita dedicação não são suficientes para a extração de um produto de excelência, aponta relatório do Sistema de Inteligência...

Algas podem melhorar a eficiência dos fungicidas

Luís Antônio Siqueira de Azevedo Professor de Fitopatologia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e diretor técnico da LASA Suporte em Proteção de...

Mecanização a favor da safrinha

Patrícia Morais Crivelenti Diretora de MKT e Estratégia da Jumil Segundo dados colhidos em vários institutos de pesquisas, Learning Center Monsanto, Fundação MT, Embrapa, etc., e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!