27.7 C
São Paulo
domingo, maio 22, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Notícias Safra de feijão em reta final

Safra de feijão em reta final

Feijão – Crédito Shutterstock

Com 96% da área colhida na região de Ijuí, Rio Grande do Sul, a safra de feijão entra na reta final com preço em alta. A saca de 60 quilos é cotada a R﹩ 290,00. Os números são da Emater/RS-Ascar.

De acordo com o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Gilberto Bortolini, teve início na região o plantio da segunda safra de feijão (safrinha) em uma área estimada de quatro mil hectares, quatro vezes maior do que a área cultivada na primeira safra de feijão.

Municípios

No Rio Grande do sul, as maiores áreas de feijão, de acordo com um levantamento feito pela Emater/RS-Ascar, correspondente ao ano de 2018, estão concentradas nos municípios de Vacaria (4 mil ha); Boa Vista das Missões (2.125 ha); Muitos Capões (2 mil ha); Palmeira das Missões (1.600 ha); Vicente Dutra (1.500 ha); Canguçu (1.450 ha); e Santo Augusto (1.220 ha).

Os maiores rendimentos (kg/ha) no entanto, são alcançados em Paverana (5 mil kg/ha); Antônio Prado (3.600 kg/ha); Nova Petrópolis (2.933 kg/ha); Vila Flores e Tio Hugo (2.778 kg/ha); e Vacaria (2.550 kg/ha).

Agroclima PRO

Como planejar uma safra e monitorar sua fazenda?

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra.

O Agroclima Pro é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

Artigo anteriorLavouras melhoram desempenho
Próximo artigoCafé vulcânico
Inicio Notícias Safra de feijão em reta final