20.6 C
Uberlândia
domingo, maio 19, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosSementes de milho

Sementes de milho

Pablo Henrique de Almeida OliveiraMestrando em Produção Vegetal – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)pablohenrickk@gmail.com

Amanda de Nazaré Rodrigues Pereira // Kelvin Ryan Oliveira Moraes

Graduados em Engenharia Agronômica – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Milho – Fotos: Shutterstock

O milho (Zea mays L.) é uma planta da família das poáceas, mesma família do arroz, aveia, trigo e cevada. Em 2020, o Brasil ocupou a 3ª posição na produção mundial de milho, com 100 milhões de toneladas (8,2% do total), superado apenas pelos Estados Unidos e pela China.

Assim como em outras culturas, o milho necessita de condições adequadas para desenvolver-se bem e garantir uma boa produtividade. Para isso, as sementes precisam ser de boa procedência (qualidade e certificada), para que o milho apresente uniformidade em campo e um alto potencial produtivo. Há também, alguns materiais que possuem alto vigor germinativo e que oferecem resistência às doenças e pragas.

A importância da qualidade das sementes

O controle da qualidade de sementes é considerado um dos principais fatores responsáveis pelo sucesso da lavoura, pois a elevada qualidade das sementes exige uma maximização da utilização de insumos e fatores de produção.

Porém, vale salientar que vários fatores estão atrelados para que ocorra um bom desenvolvimento no vegetal, como condições climáticas, processo de colheita, armazenagem e transporte.

Um dos principais aspectos analisados em campo é o desempenho da semente durante o processo de germinação, pois as plântulas mais vigorosas e bem desenvolvidas são provenientes de sementes que possuem alta qualidade, mesmo estando em condições edafoclimáticas distintas.

Genética

As sementes de milho híbrido portam um dos mais atuais pacotes tecnológicos da agricultura moderna. Por isso, os investimentos são cada vez maiores, tanto em qualidade como em proteção, devido à incorporação de características como resistência a doenças, insetos e herbicidas, que favorecem o aumento do custo inicial de implantação da lavoura, gerando um alto valor de agregação da semente.

Além do mais, não só as tecnologias favorecem a qualidade das sementes, mas também o melhoramento genético, por meio de materiais adaptados aos mais diferentes ambientes.

Novidades

Com o intuito de reduzir os custos de produção e aumentar os níveis de rendimento do milho no Brasil, vêm sendo incorporadas aos sistemas de produção novas tecnologias. Dentre elas, pode-se mencionar a utilização de nanopartículas de nutrientes aplicadas no processo de tratamento de sementes, sendo considerada uma estratégia agronômica promissora, favorecendo as plantas para resistir aos estresses bióticos (ocasionados por pragas e doenças) ou abióticos (por meio das condições ambientais e nutrição) e garantindo o sucesso no estabelecimento da cultura que se está trabalhando, principalmente em fases importantes da fenologia vegetal.

Trabalhos em campo

No trabalho de Carlesso et al. (2021), utilizaram-se 5 híbridos de milho e uma dose única de nanopartículas de cobre, visando verificar aspectos sanitários e microbiológicos. Com isso, observou-se que somente dois híbridos destacaram-se por apresentarem menores grãos avariados, quebrados e com matérias estranhas e impurezas.

Além disso, todos os híbridos apresentaram crescimento fúngico, no entanto, um híbrido de milho apresentou menor crescimento fúngico. Em relação às toxinas, todas os híbridos apresentaram esse defeito, porém, foram em proporções que não davam para ser quantificadas.

Constatou-se, também, que o cobre favoreceu atividade antimicrobiana, devido à presença de lignina e compostos ativos em quantidades significativas e distintas entre os híbridos de milho. Logo, a deficiência de cobre reduz a atividade desses compostos ativos, diminuindo a presença de lignina e reduzindo a defesa mecânica.

Já no trabalho de Rosa et al. (2017), intitulado “Desempenho agronômico de cinco híbridos de milho submetidos à aplicação de fungicida em diferentes estádios fenológicos”, foram verificados cinco híbridos de milho, aplicação com e sem azoxistrobina + ciproconazol e água e três estádios fenológicos.

Contatou-se que, independente do híbrido, o fungicida nos diferentes estádios aumentou em média 18, 30 e 21% a produtividade, caracterizando o pendoamento como a melhor época de aplicação.

Cuidados

O milho é uma das culturas básicas alimentícias importantes para a saúde humana, visto que pode ser utilizado para geração de combustível e alimentação animal. Um produto de qualidade requer cuidados, os quais devem começar com a escolha de uma boa semente para o plantio.

Por isso, os processos de colheita, pós-colheita, armazenagem e transporte são etapas essenciais para gerar sementes com alto vigor e qualidade. Portanto, para se obter sementes de milho com alta qualidade, desde sua genética até a fisiologia, todas as etapas requerem cuidados.

ARTIGOS RELACIONADOS

Vida microbiana do solo

O uso de microrganismos na agricultura tem sido extensamente estudado, uma vez que ...

50 mil toneladas de arroz com casca para o exterior

São 20 mil toneladas para a Costa Rica e 30 mil toneladas para a Venezuela em movimentos ...

Plano Safra 2019/20 entra em vigor

A partir do dia 1° de julho entrou em vigor o Plano Safra 2019/20, que tem R$ 225,59 bilhões, sendo R$ 169,33 bilhões para crédito...

Stoller do Brasil lança o Send para tratamentos de sementes on farm

Inédito, produto da tecnologia Agente S de produtos fisiológicos, o Send tratamento de semente on farm aumenta a eficiência de uso da água, do aporte de Nitrogênio e da fotossíntese, gerando plantas mais tolerantes e produtivas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!