14.3 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFlorestasSilício na correção do solo e nutrição de plantas

Silício na correção do solo e nutrição de plantas

Ernane Miranda Lemes

Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Fitotecnia, ICIAG-UFU

ernanelemes@yahoo.com.br

José Geraldo Mageste

Engenheiro florestal, Ph.D. e professor do ICIAG-UFU

jgmageste2@gmail.com

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

O silício (Si) é considerado um nutriente benéfico para as plantas. Ele contribui para o enrijecimento das células vegetais e intensifica suas defesas bioquímicas – daí a sua absorção favorecer a sanidade e o desenvolvimento delas.

A presença de Si disponível nos solos geralmente é muito baixa, principalmente porque os solos brasileiros são geologicamente antigos e lixiviados, o que contribui para o carreamento do Si disponível.

O Si disponível está na forma de ácido monossilícico (H2SiO4), no entanto, o Si está comumente presente no solo na forma de dióxido de silício (SiO2), que é indisponível para as plantas. Outro agravante da baixa disponibilidade de Si está no cultivo contínuo dos solos agrícolas, sem que ocorra a reposição do Si extraído pelas culturas ou perdidos do solo (enxurradas, lixiviação ou excesso de irrigação).

Benefícios

Existem diversas pesquisas científicas que relatam os benefícios da aplicação de Si para a maioria das plantas. Muitas são as evidências de que o Si alivia diversos estresses bióticos (doenças e pragas) e abióticos (extremos de temperatura e umidade, salinidade e vento).

Estes efeitos são ainda mais intensos em espécies das gramíneasda família Poaceae. Uma revisão mais detalhada sobre os benefícios da aplicação e o modo de ação do Si nas plantas estão disponíveis em: Epstein (2009), Cook e Leishman (2011) e Guntzer et al (2012).

Atuação nas plantas

O Si é um nutriente comumente reconhecido pela sua influência positiva na resistência das plantas ao ataque de insetos, nematoides e de doenças, conforme descreveram Rodrigues &Datnoff, 2015.

Esta ação se dá pelo condicionamento do estado nutritivo do solo e da planta, reduzindo sua taxa de evapotranspiração, melhorando a eficiência fotossintética e se constituindo numa barreira ao desenvolvimento de pragas e doenças. Devido a essas qualidades, o custo-benefício da aplicação do Si para a nutrição de plantas é altamente favorável ao uso na agricultura, de maneira geral.

As pesquisas também demonstram regularmente que, no caso do Si, algumas condições afetam significativamente a intensidade dos benefícios de sua aplicação, como por exemplo:

ðSolos naturalmente pobres em Si proporcionam melhores resultados para o desenvolvimento das plantas, comparados com solos que nunca foram fertilizados com ele. Esta observação é consequência da correção do pH do solo, visto que muitas fontes de Si solúveis são também corretoras do pH do solo, conduzindo a um aumento da disponibilidade de Si na solução do solo;

ð Os benefícios do Si são mais nítidos em condições de estresses para as plantas, quando da ocorrência de doenças, pragas ou variações climáticas, por exemplo. A aplicação do Si pode não surtir um efeito aparente nas plantas ou na produção, no entanto, como sua ação é protetiva, muitas pragas e doenças terão seu desenvolvimento prejudicado pela presença do Si nas plantas em desenvolvimento;

ð Quanto mais Si a planta conseguir absorver, maior será a intensidade dos benefícios proporcionados por ele. A presença e a concentração de Si nas plantas, especialmente em suas folhas, é devido à sua absorção majoritariamente via solução do solo. A aplicação de fontes de Si via solo, como os silicatos de cálcio (Ca) e magnésio (Mg) são uma forma eficiente de fornecimento do Si que as plantas absorvem.

Opções

As principais características agronômicas de uma fonte de Si podem ser encontradas nos silicatos de Ca (CaSiO3) e Mg (MgSiO3), como as escórias de indústria siderúrgica, que podem ser aplicadas no campo desde que não apresentem potencial de contaminação por metais pesados, conforme sugerido por Korndörfer et al (2002).

As escórias também fornecem boas quantidades e relações de Ca e Mg trocável, aumentando a saturação de bases (V%) e a CTC (capacidade de troca catiônica) do solo e promovendoa redução da toxidade de alumínio (Al), manganês (Mn) e ferro (Fe) por meio da correção do pH em solos ácidos.

A correção do pH dos solos pelos silicatos de Ca e Mg apresenta ação neutralizante similar à dos calcários (Primavesi e Primavesi, 2004).

Essa matéria você encontra na edição de janeiro/fevereiro 2017  da revista Campo & Negócios Floresta. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Vantagens do fertilizante de liberação lenta para a batata

Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma, doutora e PhD em Agronomia - Universidade Federal de Sergipe (UFS) robertacamargoss@gmail.com Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando...

Pecuaristas aumentam produtividade com nutrição

Linha nutricional da Coopercitrus aliada ao manejo adequado garantem excelentes resultados no rebanho.

Como acertar na nutrição da beterraba?

Entender o funcionamento nutricional da cultura é fundamental para alcançar altas produtividades.

Correto manejo nutricional da videira

  Marco AntonioTecchio Engenheiro agrônomo, doutor e professor - Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) tecchio@fca.unesp.br Marlon Jocimar Rodrigues da Silva Engenheiro agrônomo, pós-doutorando em Agronomia...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!