26.6 C
Uberlândia
terça-feira, abril 23, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesSoja brasileira: mais produtividade, mais sustentabilidade

Soja brasileira: mais produtividade, mais sustentabilidade

É evidente que somente produzir não é mais uma opção, é preciso fazer com sustentabilidade.

Por Décio Luiz Gazzoni, engenheiro agrônomo, pesquisador da Embrapa Soja, membro do CESB e do Conselho Científico Agro Sustentável

Créditos: Divulgação

Inúmeras iniciativas têm sido tomadas tanto pelo Governo do Brasil, quanto por agentes privados e organizações não governamentais, para tornar o agronegócio brasileiro sempre mais sustentável. Uma dessas ONGs é o Conselho Estratégico Soja Brasil (CESB), cuja missão é contribuir de forma referencial para o crescimento da produtividade média da cultura da soja no Brasil, de forma sustentável.

Para tanto, o CESB utiliza diversas ferramentas para divulgar as boas práticas que aproximem as lavouras comerciais do potencial produtivo da soja, no Brasil. O Desafio Nacional de Máxima Produtividade, realizado anualmente nos últimos 15 anos pelo CESB, é uma das ferramentas, e congrega sojicultores que buscam alta produtividade, com sustentabilidade e rentabilidade.

No dia 29 de junho foi realizada mais uma edição do Desafio do CESB, que contou com 6.500 participantes. Para participar do Desafio, o produtor necessita demonstrar que atende, integralmente, as legislações sociais e ambientais brasileiras. Estando conforme, ele concorda em informar os detalhes de seu sistema de produção, com todas as tecnologias e insumos utilizados. E, caso haja estimativa de produtividade superior a 5.400 kg/ha, uma auditoria independente coleta todos os dados e informações referentes à produção de soja da área do produtor, inscrita para o Desafio.

Altas produtividades

Para os efeitos do Desafio, os produtores são alocados de acordo com a região na qual se localiza sua propriedade (Norte, Nordeste, Centro Oeste, Sudeste e Sul), além de uma categoria especial que é a soja, conduzida em sistema de irrigação.

A produtividade média de soja no Brasil, na última safra, foi de 3.537 kg/ha. Na presente edição do Desafio, o campeão de produtividade da região Norte foi o produtor João Antônio Gorgen, do estado de Tocantins, que produziu 6.516 kg/ha, na área amostrada, tendo sido de 5.100 na totalidade de sua lavoura. Sua rentabilidade foi de R$1,56 por real investido.

Na região Nordeste, em outra propriedade, o mesmo produtor Gorgen, obteve 7.182 kg/ha na área amostrada, tendo sido de 5.700 nos 2.900 ha de sua fazenda. A rentabilidade obtida foi de R$3,02 para cada R$1,00 investido.

Na região Centro Oeste, o produtor Caetano Polato atingiu 6.360 kg/ha, enquanto o produtor localizado na região Sul, Moacir Griss, obteve 7.970kg/ha. Na lavoura irrigada, a produtividade atingida foi de 6.705 kg/ha

O recorde nacional foi alcançado pelo produtor João Lincoln Veiga, do estado de Minas Gerais (região Sudeste), com a marca de 8.068 kg/ha, o que gerou uma rentabilidade de R$2,21 para real investido na propriedade. Todos os produtores demonstraram ganhos ambientais importantes, sendo que, no caso do Sr. Veiga houve uma redução nas emissões de dióxido de carbono equivalente (61%), no uso de recursos hídricos (65%), redução de consumo de recursos minerais (73%) e no uso da terra (36%), comparativamente aos mesmos parâmetros de um produtor médio, da mesma região.

A média de produtividade dos campeões foi de 7.501 kg/ha, o que significa um acréscimo de 112% sobre a produtividade média nacional. Esse número demonstra o grande potencial produtivo da soja brasileira, aliada a uma alta rentabilidade, e com ganhos de sustentabilidade, considerando parâmetros universalmente aceitos. Especificamente pode-se afirmar que, com a produtividade atingida pelos campeões, a demanda de área seria 55% menor do que a área atualmente utilizada.

Com isso, está ficando cada vez mais claro que, para os produtores brasileiros, não é suficiente produzir, é necessário fazê-lo com sustentabilidade. Para tanto, continuarão perseguindo novos tetos de produtividade, sempre atentos à rentabilidade e à sustentabilidade.

ARTIGOS RELACIONADOS

UPL lança Tridium, uma combinação única com 3 modos de ação, para o manejo de doenças na soja

Com a presença constante de várias doenças nos campos de soja, o manejo integrado é palavra de ordem entre os pesquisadores Estudando o cenário do...

Altura do algodoeiro

Em entrevista, o pesquisador Fernando Mendes Lamas, da Embrapa Agropecuária...

Nota de Repúdio da Abapa contra ato de vandalismo em fazenda de Correntina

A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) lamenta o ato de destruição e vandalismo ocorrido nesta quinta-feira (2) na Fazenda Iragashi, no Distrito...

Construção do potencial produtivo

O potencial produtivo de uma planta é construído durante todo o seu período vegetativo, mas os cuidados nos estágios iniciais são essenciais para que o teto produtivo real seja o mais próximo possível do limite genético de cada cultivar, híbrido ou variedade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!