15.2 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMáquinasTecnologia de Aplicação Aérea

Tecnologia de Aplicação Aérea

Pulverização aérea – Crédito: Shutterstock

O uso da tecnologia de aplicação aérea por meio de aviões e helicópteros agrícolas, bem como drones de pulverização, tem crescido de maneira significativa durante os últimos anos no Brasil e ajudado a alavancar o crescimento do agronegócio, mesmo em tempos desafiadores. O Brasil possui a segunda maior frota de aeronaves agrícolas do mundo. Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC, 2020), o país possui mais de 2300 aeronaves (incluindo aviões e helicópteros). No caso dos drones de pulverização, já são quase 400 unidades (CORNAGO, 2020).

Para auxiliar agrônomos, técnicos, pilotos agrícolas e demais pessoas envolvidas com tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas, foi lançado o livro “Entendendo a tecnologia de aplicação: aviões, helicópteros e drones de pulverização”, 2ª ed. revisada e ampliada. A publicação é assinada pelos pesquisadores Fernando Kassis Carvalho, Rodolfo Glauber Chechetto, Alisson Augusto Barbieri Mota, da AgroEfetiva, e Ulisses Rocha Antuniassi, da FCA-Unesp, de Botucatu/SP. A publicação ainda conta com o apoio da FEPAF – Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais.

O livro, que já está à venda e pode ser encomendado pelo site da FEPAF, tem por objetivo trazer um panorama do segmento e utilização de aplicações aéreas, além da definição dos parâmetros para a sua otimização. A obra conceitua essa tecnologia apresentando uma descrição dos fatores que interferem no processo de pulverização. O texto inclui, ainda, uma análise do mercado aeroagrícola no Brasil e a evolução recente desta tecnologia, com destaque para o potencial de uso dos drones no contexto do tratamento fitossanitário.

“Temos trabalhado há vários anos no desenvolvimento desse material sobre aviões, helicópteros e drones de pulverização. Identificamos a necessidade de um livro atualizado, com embasamento técnico e científico sobre qualidade e segurança em aplicações aéreas e, por isso, decidimos preparar esse material. Em 2021, revisamos o conteúdo e acrescentamos conteúdos atualizados, dados de pesquisas e a nova legislação sobre o uso de drones”, esclarece o pesquisador Fernando Kassis Carvalho, da AgroEfetiva.

Ao longo dos capítulos o leitor encontrará os princípios básicos, a teoria da cobertura dos alvos, o espectro de gotas, as classes de tamanho de gotas, a seleção de pontas e atomizadores, a taxa de aplicação, as condições meteorológicas, a deriva e os parâmetros para auxiliar no ajuste correto da faixa efetiva de deposição das aplicações, visando mais qualidade e segurança. Também são apresentadas as estratégias para a otimização da tecnologia de aplicação, incluindo uma discussão sobre a maneira correta de se analisar a relação do espectro de gotas com as características dos alvos nas aplicações, explica o Alisson A. B. Mota, coautor do livro.

“Nas aplicações aéreas, a escolha correta das pontas hidráulicas ou dos atomizadores rotativos (espectro de gotas) deve ser compatível com a altura adequada da aplicação, além das condições meteorológicas ideais, para haver uma aplicação com qualidade e segurança. A manutenção do sistema de pulverização também é imprescindível”, acrescenta Rodolfo Glauber Chechetto, um dos autores.

Para o professor Ulisses R. Antuniassi, professor Titular da Unesp de Botucatu/SP,  coautor do livro, em qualquer aplicação aérea, deve-se, sempre, levar em consideração não apenas a técnica de aplicação (volume de calda e tamanho das gotas), mas também as condições meteorológicas, os riscos de deriva e o entorno das aplicações e as faixas de segurança. “As boas práticas devem ser sempre respeitadas”, destaca.

Sobre a AgroEfetiva

É uma empresa de prestação de serviços especializados, atuante no mercado agrícola brasileiro e em outros países da América Latina, atendendo a demanda pelo desenvolvimento de soluções em pesquisa, capacitação e consultoria.

Seus trabalhos se concentram na área de tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas abrangendo aplicações terrestres, aéreas, equipamentos, adjuvantes e formulações, na indústria de máquinas agrícolas (principalmente pulverizadores), no mercado aeroagrícola (aviação agrícola e drones de pulverização), assim como nos diversos segmentos do agronegócio (agroindústrias, produtores rurais, canais de comercialização e cooperativas).

Elaboram pesquisas com alto nível técnico no tema tecnologia de aplicação. É reconhecida internacionalmente por trabalhar com métodos robustos e escrevem materiais técnicos, como livros e artigos. Além disso, são reconhecidos pelos métodos didáticos e inovadores (com interação teórico-prática) utilizados nos treinamentos de capacitação de pessoal na área de tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas (aéreos e terrestres).

ARTIGOS RELACIONADOS

AgriplaX participa da Agrishow 2022; veja como será a apresentação

A AgriplaX, marca do Grupo Xalingo voltada para o setor agrícola, participa pela primeira vez da Agrishow - 27ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, que ocorre entre os dias 25 e 29 de abril de 2022, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

Adjuvantes – Aliados na aplicação de defensivos

Primeiramente, é importante lembrar que há várias classes de adjuvantes, e cada uma pode ter uma recomendação específica, conforme a necessidade e característica da aplicação. Desta forma, há várias formas dos adjuvantes melhorarem a qualidade e a segurança de uma aplicação. Por exemplo, podemos utilizar um adjuvante quando é necessário corrigir as características da água usada na pulverização (como pH e dureza), bem como para melhorar a compatibilidade das misturas, alterar as características das gotas pulverizadas (como para reduzir deriva), e ainda o espalhamento ou a penetração dessas gotas nas folhas.

Agristar do Brasil anuncia novo gerente comercial

Matheus Scarpat possui 18 anos de atuação no mercado de sementes e tem como principal desafio trabalhar com os diferentes públicos das marcas.

Como a agricultura digital pode contribuir com a produtividade?

A agricultura digital é um conjunto de tecnologias que ajudam o produtor nas atividades do campo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!