23.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 17, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiTecnologias utilizadas para cobertura hidropônica

Tecnologias utilizadas para cobertura hidropônica

Sueyde Fernandes de Oliveira Braghin

Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento

sueyde@ginegarpolysack.com.br

 

Créditos Ginegar Polysack
Créditos Ginegar Polysack

A técnica de cultivar hortaliças longe da terra vem conquistando o paladar de muitos consumidores e ganhando cada vez mais espaço no mercado. O chamado cultivo hidropônico já cresce 30% ao ano no Brasil e existe há apenas 20 anos.

Embora praticamente todas as hortaliças consumidas possam ser produzidas no sistema hidropônico, comumente se refere à produção de folhosas no sistema NFT (Nutriente FilmTechnique) quando se trata desse sistema.

Para o cultivo de hortaliças hidropônicas, é necessário proteger as bancadas devido à maior suscetibilidade dessas hortaliças às variações do clima, comparado com o cultivo no solo. A estrutura pode ser de aço galvanizado, fabricada por empresas especializadas, ou de madeira, que muitas vezes é feita pelo próprio produtor, e nesses casos é utilizado filme plástico para cobertura e tela nas laterais.

Para isso, a GinegarPolysack possui uma diversidade de materiais desenvolvidos por um grupo de pesquisadores a fim de atender os problemas do produtor rural de acordo com as adversidades específicas de cada região. Dentre os materiais oferecidos, temos uma variedade de filmes para cobertura de estufa, revestimento de solo e telas para laterais e cobertura.

Novidade

Para estruturas cobertas com filme plástico na cobertura, levando em conta o conhecimento das condições climáticas das mais diversas regiões do Brasil recomenda-se o uso do filme Suncover AV Diff, um filme difusor que beneficia a planta por não concentrar a energia solar em um só ponto, o que eleva a temperatura das folhas superiores, prejudicando a fotossíntese.

Outro benefício é atingir as folhas sombreadas, e assim estimulá-las a fazer fotossíntese. Trata-se do único filme plástico encontrado no mercado brasileiro com alta transmissão de luz (equiparado aos filmes transparentes) e com alta difusibilidade (essencial para o clima brasileiro). São 88% de transmissão de luz (alta entrada de luz para a fotossíntese das plantas), sendo que 75% dessa luz é difusa.

Temperatura média do ambiente medida com termômetro infravermelho sob tela preta e Aluminet -  Créditos Ginegar Polysack
Temperatura média do ambiente medida com termômetro infravermelho sob tela preta e Aluminet – Créditos Ginegar Polysack
Temperatura média do ambiente medida com termômetro infravermelho sob tela preta e Aluminet -  Créditos Ginegar Polysack
Temperatura média do ambiente medida com termômetro infravermelho sob tela preta e Aluminet – Créditos Ginegar Polysack

Eficiência

Para regiões onde a incidência de radiação é alta, o uso do plástico fotoconversorSuncover AV Blue se mostra extremamente eficiente, pois aumenta a quantidade de luz fotossinteticamente ativa (PAR) e, consequentemente, reduz a temperatura, problema comumente encontrado por produtores de hidroponia (Figura 1).

Segundo dados obtidos em teste conduzido em Mogi das Cruzes (SP) durante o inverno, a melhora na qualidade da luz resultou em aumento de 18% no peso das plantas, comparado com o cultivo sob plástico difusor, sendo as plantas sob o Suncover AV Blue, três dias mais novas (Figura 2).

Diferença no peso da planta cultivada sob o SUNCOVER AV BLUE (esquerda) e filme plástico difusor (direita) - Créditos Ginegar Polysack
Diferença no peso da planta cultivada sob o SUNCOVER AV BLUE (esquerda) e filme plástico difusor (direita) – Créditos Ginegar Polysack

Manejo

O melhor controle do clima, somado à correta escolha do plástico, se dá com o manejo de uma tela no interior do cultivo protegido. A tela preta, quando utilizada para cobertura de telados, quebra o excesso de radiação direta, mas não é eficiente em reduzir temperatura, pois não impede a entrada de radiação de calor (infravermelho), levando ao aquecimento do ambiente interno, além de diminuir a entrada de radiação PAR (reduzindo o potencial fotossintético das plantas).

A função das telas termorefletoras como o Aluminet é dupla em cultivo de hortícolas em estufa: diminuir a incidência de radiação no interior do ambiente e assim reduzir a temperatura em dias muito quentes ” diminuindo os efeitos negativos na transpiração ” e reduzir as perdas de radiação pela cobertura vegetal e de seu entorno ” evitando perdas por geadas no inverno.

Segundo dados coletados em campo, em estufas com Aluminetinstalado internamente, contatou-se uma redução da temperatura da planta de até 8ºC (Figura 3). Assim, o Aluminetdeve ser manejado de acordo com a necessidade, por issorecomenda-se que seja instalado móvel, para controlar a abertura e fechamento por meio da temperatura/umidade/radiação (Figura 4).

Existe, ainda, a opção dos telados para a produção de hortaliças no sistema hidropônico. A tela é estendida sobre moirões com arames e, por isso, é uma estrutura mais barata. Vários são os tipos de telas disponíveis no mercado, porém, o mais recomendado é o uso de telas técnicas que proporcionam a melhora na qualidade da luz e, consequentemente, o maior crescimento das plantas.

 

O aluminet instalado internamente para o controle na entrada de radiação para dentro do ambiente protegido - Créditos Ginegar Polysack
O aluminet instalado internamente para o controle na entrada de radiação para dentro do ambiente protegido – Créditos Ginegar Polysack

Telas Chromatinet

O benefício das telas fotoconversorasChromatineté o controle do crescimento vegetativo pela alteração do espectro da luz, por meio de um método de produção com aditivos especiais desenvolvidos pelo grupo de pesquisa da GinegarPolysack.

Além dos benefícios da luz, as Chromatinetshoje fabricadas pela GinegarPolysack no Brasil também sofreram melhorias em suas formulações, tornando a tela mais resistente mecanicamente e com maior durabilidade anti-UV, necessárias devido ao clima que temos no Brasil (alta incidência de radiação).

A Chromatineté fabricada em raschel com 35 e 50% de sombreamento, e a Chromatinet Leno em monofilamento com 20% de sombreamento. Para regiões com alta incidência de radiação, normalmente se aplica a tela com 35% de sombra, que oferece maior segurança ao produtor com relação ao excesso de radiação sobre o cultivo. Em outros casos, a Chromatinet Leno é suficiente para reduzir a entrada de luz direta (Figura 5).

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Conjuntura mundial de trigo eleva preços em mais de 25%

Seca na Austrália, perda de produção na Rússia, problemas logísticos na França, clima desfavorável para a nova safra nos Estados Unidos, na Europa e na região do...

Manejo nutricional da alface – O que é preciso saber

O manejo nutricional da cultura da alface depende bastante do sistema de plantio utilizado, ou seja, se a hortaliça será produzida de forma orgânica, convencional, hidropônica ou em sistema de plantio direto de hortaliças (SPDH).

Quais os benefícios da produção de pepinos em calhas?

AutoresDouglas José Marques Professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal da Universidade José do Rosário Vellano - Unifenas Hudson Carvalho Bianchini Professor de Fertilidade do...

Programa de apoio nutricional para a uva na região sul

ClevisonMichelon Gerente de Vendas & Marketing " Sul da Green Has   A Green Has Brasil distribui em todo o País a linha de fertilizantes especiais produzida...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!