14.3 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioEventosTecnovitis - O maior encontro vitícola do País

Tecnovitis – O maior encontro vitícola do País

 

A II Feira de Tecnologia para Viticultura (Tecnovitis 2017) acontece no período de 06 a 08 de dezembro, em Bento Gonçalves, com visitas de campo, técnicas de cultivo, seminários e palestras técnicas, comercialização de produtos e demonstração de máquinas e equipamentos

 Fotos Divulgação
Fotos Divulgação

A feira Tecnovitis compreende a apresentação de técnicas, equipamentos e produtos ligados à viticultura, reunindo produtores, fornecedores e profissionais da cadeia produtiva da uva. Nesta edição, será realizada de 06 a 08 de dezembro, das 10h às 18h, na Comunidade do 8 da Graciema e Complexo Villa Michelon, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), em uma área superior a 25 mil metros quadrados.

Como parte da programação da feira, diariamente, das 8h às 10h, serão realizadas palestras técnicas, com temas pertinentes e estratégicos para o setor. Este será um grande evento para o fortalecimento deste segmento e, sem dúvida, a construção coletiva, realizada a muitas mãos, garantirá o sucesso do evento.

Durante os três dias de evento, a Tecnovitis 2017, em sua segunda edição, vai disponibilizar o contato dos produtores de uvas para vinho, sucos, espumantes e uvas de mesa, com novas tecnologias, equipamentos e produtos da viticultura.

A exemplo da primeira edição, realizada em 2015, a feira visa destacar a importância e relevância do setor, sendo pioneira em um evento específico e exclusivo, voltado ao cultivo da uva.

Com os destaques que serão apresentados em 2017, a expectativa dos organizadores é de que a feira também permita atrair olhares do mercado externo, com público estimado de 15 mil visitantes.“A Tecnovitis mostra os avanços da viticultura brasileira, bem como as melhorias quanti e qualitativas que tornam mais competitivos os processos desta cadeia produtiva“, define o coordenador geral da feira, Claimar Zonta.

O evento conta com demonstração de máquinas e equipamentos - Fotos Divulgação
O evento conta com demonstração de máquinas e equipamentos – Fotos Divulgação

Público-alvo

Produtores, fornecedores e profissionais da cadeia produtiva da uva, engenheiros agrônomos, produtores rurais, extensionistas, enólogos, técnicos agrícolas, estudantes de viticultura, enologia e áreas afins devem ser atraídos pela demonstração de produtos, apresentação de experimentos e, principalmente, qualificação.

O evento conta com uma programação paralela, específica para compartilhamento de informações, com seminários e palestras técnicas realizadas por profissionais altamente qualificados em suas áreas de atuação. Um dos grandes diferenciais do evento é o Parreiral Demonstrativo e Parreiral Modelo, onde o produtor de uvas e demais visitantes poderão conferir todas as técnicas e tratamentos realizados ao longo do ano e os seus resultados na prática.

Além disso, serão cerca de 100 expositores no evento, com diferentes soluções para a cadeia produtiva da uva.

Na prática

Como a feira acontecerá em uma área superior a 25 mil metros quadrados, a visita, em um fluxo orientado, iniciará pela área coberta, onde haverá fornecedores de pequenos materiais e a agroindústria familiar.

Seguindo para a área 02 do Parreiral demonstrativo, será mostrado o tratamento realizado nas videiras e ainda um modelo para o depósito de defensivos agrícolas. “Na área 03 teremos, além das entidades parceiras, o espaço de alimentação, descanso e sanitários. Na área 04 temos o parreiral modelo, seguido do espaço de demonstração de máquinas em condições reais. Por fim, a área 05 terá a maior concentração de expositores, com máquinas e equipamentos, casas agrícolas e demais fornecedores da cadeia de cultivo da uva“, define Claimar Zonta.

 O Tecnovitis tem visitas de campo - Fotos Divulgação
O Tecnovitis tem visitas de campo – Fotos Divulgação

Atrativos

A modernização da viticultura brasileira requer investimento e a Tecnovitis é a grande referência para o setor, como já sinalizou a primeira edição, unindo fornecedores, produtores, entidades e demais profissionais ligados ao setor vitícola.

“A primeira edição nasceu de forma ousada e os seus resultados foram realmente surpreendentes, motivando a profissionalização, empenho e adesão de novos parceiros, que também acreditam e incentivam o crescimento do agricultor, produtores de uvas e atividades correlatas. A feira visa defender os interesses dos produtores rurais e, principalmente, contribuir para o seu fortalecimento, para que as próximas gerações possam ser ainda mais representativas em volume e qualidade de produção. Em 2015 foram cerca de oito mil visitantes na feira e em 2017 espera-se um público de 15 mil pessoas.

Referência

A região da Serra Gaúcha é referência nacional na vitivinicultura e Bento Gonçalves é reconhecida como uma das mais expressivas produtoras de vinhos do País.  Para traduzir em números, são aproximadamente 15 mil áreas produtoras de uvas no Estado e, segundo o cadastro vitícola, pouco mais de 10 mil estão concentradas na Serra Gaúcha.

São mais de 40 mil hectares de áreas de vinhedos produtivos. Até o último estudo, publicado em 2015, são mais de 160 cidades produtoras de uvas no Estado. Na safra de 2017 foram processados mais de 753 milhões de quilos de uvas no Rio Grande do Sul.

Essa matéria você encontra na edição de dezembro 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Trator de esteiras CASE é exposto em feira de tecnologia para o meio ambiente

A reciclagem de resíduos sólidos é um dos maiores mercados no Brasil para os tratores de esteiras. Lançado pela Case Construction Equipment em meados...

Planejamento da Safra de Soja 2021/2022

A conquista de alto teto de produção pelo produtor de soja dependerá, em grande parte,

ANPII alerta sobre os riscos de sementes pré-inoculadas

  Embrapa Soja oferece avaliação do número de bactérias por grão   O Brasil pode ser considerado, hoje, o líder na utilização dos benefícios da fixação biológica...

Influência da temperatura e do fotoperíodo na formação de escleródios

Leandro Luiz Marcuzzo Fitopatologista e professor do Instituto Federal Catarinense (IFC) - campus de Rio do Sul marcuzzo@pesquisador.cnpq.br   Pesquisas relacionadas à podridão branca no Brasil ainda são...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!