23.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiTelados reduzem a incidência de doenças no tomateiro

Telados reduzem a incidência de doenças no tomateiro

 

Glaucio da Cruz Genuncio

Engenheiro agrônomo, doutor em Nutrição Mineral de Plantas

glauciogenuncio@gmail.com

Everaldo Zonta

Professor de Fertilidade do Solo da UFRRJ

Elisamara Caldeira do Nascimento

Doutoranda do CPGA-CS da UFRRJ

 

Produção em telado reduz a incidência de doenças no tomateiro - Créditos Shutterstock
Produção em telado reduz a incidência de doenças no tomateiro – Créditos Shutterstock

O uso do cultivo protegido em climas tropicais é altamente recomendável, pois tem por objetivo a redução dos efeitos climáticos, tais como chuva, vento e excesso de radiação incidente (fatores abióticos), assim como a diminuição do ataque de pragas e a incidência de doenças (fatores bióticos) neste ambiente.

É válido ressaltar que o uso de casas de vegetação não garante ao produtor a não incidência de fatores bióticos, mas, pode-se constatar a redução significativa de pragas e doenças nestes ambientes e, com consequência, redução e, até mesmo isenção do uso de defensivos agricolas.

Ainda assim, quando o produtor não adota um monitoramento efetivo no cultivo de hortaliças sob casas de vegetação ou telados, este ambiente pode possibilitar um maior ataque da praga ou a incidência de doenças, uma vez que se trata de um ambiente modificado e sem a presença de inimigos naturais, via de regra.

Uma prática crescente no Brasil que vem se demonstrando de alta eficácia é a introdução de inimigos naturais assim que é constatada a presença da praga ou da doença, sendo a manutenção do cultivo abaixo do nível de dano econômico (NDE) o objetivo principal do produtor.

Opções

Atualmente, existem vários tipos de controle com inimigos naturais recomendáveis para o cultivo em ambiente protegido, tais como Bacillus thurigiensis no controle de Diaphania hyalinata para melão, Tuta absoluta para tomate e Plutella xylostella para crucíferas, Neoseiulus barkeri para o controle de Phytonemus pallidus e Polyphagotarsonemus latus no cultivo do morangueiro, Neoseiulus californicus e Phytoseiulus macropilis para o controle de Tetranychus urticae no cultivo do tomateiro, Stratiolaelaps scimitus no controle de Thrips spp e Bradysia spp. no cultivo de hortaliças de forma geral.

Por fim, está disponível o Trichogramma pretiosum para o controle de Tuta absoluta, Helicoverpa armigera e Neoleucidones elegantalis no cultivo de tomateiro.

Proteção para o tomateiro

O uso do cultivo protegido, em especial do telado, traz redução significativa da possibilidade de ataque de pragas e doenças, com reduções nos índices de ataque que podem variar de 30 a 100, dependendo tanto do manejo adotado pelo produtor como da cultura e da época que se encontra o cultivo.

Vale ressaltar que os produtores de tomate em ambiente de cultivo protegido adotam, de forma crescente, o cultivo de oito a nove meses, a partir de métodos de condução e da poda, que favorecem a ampliação do estádio reprodutivo.

Sob telado o tomateiro fica mais saudável e produtivo - Créditos Shutterstock
Sob telado o tomateiro fica mais saudável e produtivo – Créditos Shutterstock

Telados x qualidade final dos frutos

A redução de fertilizantes e a melhoria na qualidade de fruto está em função do adequado manejo nutricional, sendo uma das formas para melhorar o manejo nutricional de uma cultura e possibilitar um ambiente de crescimento e desenvolvimento favorável a esta.

Ou seja, a redução de fertilizantes e a melhoria do fruto estão indiretamente ligados ao cultivo protegido. Em linhas gerais, se o ambiente estiver adequado (temperatura, umidade relativa, incidência de radiação fotossinteticamente ativa adequada) e se o manejo nutricional for eficiente (aplicação de fertilizantes de acordo com a necessidade da planta em cada estádio de desenvolvimento) a resposta quanto à redução de fertilizantes e a qualidade de frutos, assim como quanto ao uso eficiente da água, é significativa, possibilitando ganhos reais ao produtor.

Opções

Atualmente, existem no mercado produtos para a implantação de telados, tais como: malhas termorrefletoras, fotoconversoras, anti-insetos, antigranizo, de sombreamento (negras ou brancas), antiafídeo, e malhas para cobertura do solo, tipo ráfia.

Na linha de estufas e casas de vegetação temos os plásticos PEBD (de modo geral, pois existem outros materiais), aditivados para difusão de luz, antivírus, fotoconversores (comprimento de onda azul), dentre outros aditivos. Ressalta-se que tais plásticos possuem característica anti UV.

Essa matéria completa você encontra na edição de fevereiro/2015 da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa!

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Adubação fosfatada com gesso – Hora de corrigir e nutrir o solo

Bruno Nicchio Engenheiro agrônomo e doutorando em Produção Vegetal, ICIAG-UFU bruno_nicchio@hotmail.com José G. Mageste Engenheiro florestal, Ph.D. e professor ICIAG-UFU jgmageste@ufu.br Ernane Miranda Lemes Engenheiro agrônomo, mestre e doutor em Produção...

Agrião hidropônico – Mais saudável e saboroso

AutorAdriano Edson Trevizan Delazeri Consultor da Hidroponic Consultoria em Hidroponia contato@hidroponic.com.br O agrião foi trazido para o Brasil nos navios portugueses junto com frutas cítricas...

Helicoverpa: Pulverização em baixa população e em lagartas pequenas

  José Fernando Grigolli Engenheiro agrônomo, mestre e pesquisador em Fitossanidade da Fundação MS   O maior medo dos produtores brasileiros, atualmente, se refere às lagartas “come tudo“....

ABC Bio elege nova diretoria e conselho – biênio 2017/18

A partir de janeiro de 2017, a ABC Bio (Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico) terá nova diretoria e conselho. O novo presidente...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!