21.2 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 19, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosTratamento correto da semente de soja

Tratamento correto da semente de soja

Autores

Jean dos Santos Silva santos.jean96@yahoo.com.br

Luciane Gonçalves Torres lucianetorres21@hotmail.com

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Jéssica Elaine Silva Graduanda em Agronomia – UFLAjessicaelaineagro@gmail.com

Semente de soja _ Fotos: Saulo Fantini

O tratamento de sementes de soja consiste na aplicação de defensivos (fungicidas e inseticidas), micronutrientes, bioestimulantes e inoculantes, visando proteger e melhorar as condições para a semente do período que compreende entre a semeadura e a emergência da plântula.

Ele permite à semente expressar seu potencial, pois a protege de patógenos, pragas e outras condições adversas encontradas no campo, condicionando maior uniformidade no estabelecimento do estande inicial. Além de proteção por parte dos defensivos, a inoculação com bactérias fixadoras de nitrogênio (Bradyrizobium) e o fornecimento dos micronutrientes cobalto e molibdênio aumentam a eficiência da fixação biológica de nitrogênio, reduzindo os custos com fertilizantes nitrogenados.

As sementes já podem ser adquiridas tratadas, no caso, o tratamento industrial, que conta com maior uniformidade e otimiza o operacional durante a semeadura. No entanto, deve-se conhecer os produtos que foram utilizados no tratamento da semente e verificar se eles atendem as necessidades da área do produtor.

O tratamento pode ser realizado também na própria fazenda, tendo a vantagem de poder tratar cada talhão conforme sua necessidade. Caso o produtor opte pelo tratamento na fazenda, deve procurar um engenheiro agrônomo e seguir suas recomendações, mantendo cuidados com o uso de EPI (equipamentos de proteção individual), atenção na compatibilidade dos produtos, doses corretas de aplicação e regulagem dos maquinários utilizados para não haver danos na qualidade das sementes adquiridas.

Tratamento na fazenda (on farm)

A soja tem uma especificidade a ser levada em consideração na hora de realizar o tratamento da semente para o plantio, que é a inoculação, por isso, é recomendado que a semente seja tratada antes da inoculação.

Há exemplos de misturas de fungicidas de contato e sistêmicos que são utilizados no tratamento, que controlam os principais patógenos que atingem a semente de soja. Além disso, são menos tóxicos ao Bradyrizobium, como: Carboxin + Thiran; Difeconazole + Thiran; Carbendazin + Captan; Thiabendazole + Tolylfluanid; Carbendazin + Thiran.

Os principais inseticidas utilizados são Ciantraniprole, Tiametoxam, Tiodicarbe, entre outros. Há diversos produtos no mercado que contam em sua composição com fungicidas + inseticidas, inseticidas + nematicidas, entre outros.

A escolha de qual defensivo utilizar deve ser baseada na opção mais eficiente para o histórico de pragas e doenças existentes em sua área. A dose desses produtos deve ser feita seguindo suas respectivas bulas, e seu uso deve seguir a orientação de um engenheiro agrônomo.

[rml_read_more]

O tratamento pode ser feito utilizando para a mistura uma máquina de tratar sementes. Além do tratamento com fungicida + inseticida, recomenda-se a aplicação dos micronutrientes cobalto e molibdênio na semente, nas doses de 2,0 a 3,0 g de Co e 12 a 30 g/ha de Mo. Esses micronutrientes aumentam a eficiência da fixação biológica de nitrogênio.

A inoculação é feita após esses procedimentos, para isso as sementes devem ser umedecidas na dosagem de 300 ml de água açucarada a 10% para cada 50 kg de semente. Após o umedecimento, adiciona-se o inoculante na dosagem recomendada pelo fabricante.

Depois de homogeneizar a mistura, as sementes devem secar à sombra e serem semeadas no mesmo dia. Vale ressaltar que a concentração do inoculante deve ser três vezes a dose indicada para áreas de primeiro ano de plantio de soja, duas vezes para áreas de segundo ano e a dose indicada a partir do terceiro ano.

A inoculação em áreas já cultivadas com soja apresenta ganhos menos expressivos, no entanto, estudos mostram um ganho médio de 4,5% na produtividade, justificando o uso de inoculantes.

Agregando à técnica

O uso de bioestimulantes é um exemplo de substâncias empregadas para otimizar o estabelecimento inicial da cultura da soja. Estudos mostram que tais substâncias atuam em diversos processos fisiológicos, promovendo melhor vigor e germinação das sementes.

Os bioestimulantes podem ter diversas origens. São exemplos produtos à base de algas marinhas e hormônios sintéticos, como as auxinas, as citocinina e as giberelinas.

Em estudo realizado por Santini et al. em 2015, os pesquisadores avaliaram a eficiência do uso de três diferentes bioestimulantes nos quesitos produtividade e viabilidade econômica. Dois destes produtos apresentaram efeito significativo nas variáveis quando comparados com a testemunha que não recebeu nenhum bioestimulante.

Enquanto a testemunha apresentou a produtividade de 3.403,00 kg.ha-1, estes dois tratamentos alcançaram 3.687,11 e 3.646,20 kg.ha-1. O estudo ressalta a importância de agregar diferentes técnicas ao tratamento das sementes.


Custo x benefício

Hoje, cerca de 90% das sementes comerciais de soja são tratadas com fungicidas, isso devido às vantagens que a técnica apresenta. Em média, os gastos com o tratamento de sementes de soja, ao longo dos dez últimos anos, representaram apenas 2,2% do custo total investido na produção de lavoura de soja. O custo médio de produção foi de aproximadamente R$ 2 mil por hectare, assim, o valor médio investido no tratamento de sementes foi de apenas R$ 44,00 por hectare de lavoura de soja.

ARTIGOS RELACIONADOS

O que o extrato de algas marinhas da Acadian pode fazer por seu cultivo?

Marcos Bettini Gerente Comercial da Acadian do Brasil Lilian Saldanha Gerente de Pesquisa da Acadian do Brasil   A Acadian Seaplants, empresa líder mundial em pesquisas, cultivo,...

Algas no tratamento de sementes

As algas marinhas são fontes de várias vitaminas como A, B1, B3, B6, B12, C, D, E e outras substâncias, como glicoproteínas, como o alginato e aminoácidos que podem funcionar como bioestimulantes vegetais.

Tomate sem semente já é realidade

Pesquisa identifica molécula que permite frutificação de tomates sem sementes e sem alterações morfológicas O comportamento do consumidor tem pautado decisões nos mais diversos setores...

Sipcam Nichino lança inseticida de ponta para controle de lagartas

Inseticida Takumi® foi alvo de quase 200 trabalhos de Pesquisa & Desenvolvimento; companhia prevê lançar 22 produtos em quatro anos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!