Tropical Estufas: 25 anos de mercado

0
74
Tropical Estufas

A Tropical Estufas completa 25 anos de história e inovação em cultivo protegido. Hoje, conta com 138 colaboradores e atende uma média de 750 clientes ano, no fornecimento de estufas, acessórios e insumos agrícolas.

Hoje, a fábrica está instalada em Bragança Paulista (SP) e conta com duas filiais, uma na mesma cidade da fábrica, e outra em Teresópolis (RJ). A Tropical Estufas comercializa projetos de estufas agrícolas, irrigação e hidroponia, e a filial Tropical Insumos comercializa filmes e telas agrícolas, insumos para cultivos em geral como: vasos, substratos, perfis hidropônicos, embalagens, bandejas, fertilizantes foliares, sementes e o portfólio se estende até a projetos de energia fotovoltaica para os clientes.

Como diferencial, o diretor comercial, Luis Gustavo Rios, destaca a consultoria personalizada ao cliente, entendendo a sua necessidade inicial, como quantidade a ser produzida, fruto, clima, terreno, e a partir disso a equipe consegue apresentar um projeto ideal, como tipo de estufa, irrigação, filmes, telas, insumos necessários para produção e embalagens. “Este trabalho é gratuito para nossos clientes, e chamamos de atendimento “chave na mão”, oferecendo total conceito porteira fechada, cuidando desde a consultoria inicial, cálculos de produção, dicas para o manejo, produtos necessários ou que agregariam ao cultivo do cliente, até a estruturação e finalização do projeto”, pontua.

A estufa agrícola modelo “Euro” também é um grande e exclusivo diferencial da empresa para o mercado brasileiro e sul-americano, isso devido à sua largura de até 12,80 m em vão único, que proporciona maior produtividade em área x m², melhor ventilação interna para o cultivo, possibilidade de um manejo interno com maquinários para facilitar o trabalho do produtor rural, e garantia a ventos de até 100 km/h, assegurado pelo time de engenharia com ART.

Expansão

Quando questionado sobre a diversificação, com a Tropical Insumos, Luis Gustavo responde: “a princípio, a ideia era atender clientes que tinham a necessidade de fazer reposições de filmes e telas que têm a média de durabilidade de três anos. Com a necessidade de outros produtores surgindo, expandimos nosso portfólio de produtos, raio de atuação e envio de insumos para todo Brasil em até 48h, com grande diferencial do corte sob medida dos filmes e telas agrícolas para os clientes, evitando assim eventuais perdas”.

Inovação, sempre

Desde sempre, ressalta Nelson Nardy, presidente e fundador da Tropical Estufas, a empresa tem como meta a inovação, buscar novas tecnologias onde elas estiverem, o que norteia os trabalhos da Tropical até hoje. “Iniciamos com oito funcionários, alguns ainda estão ativos e hoje contamos com 138 colaboradores diretos, mesmo em época de pandemia. Acreditamos no ser humano, valorizamos e respeitamos clientes e colaboradores”, diz.

Tropical Estufas, marca muito conhecida no Brasil e também no exterior. Foi fácil? Claro que não, responde Nelson – “foram muitos tropeços, muitas estradas, muitas noites sem dormir, mas o sucesso veio coroar esse trabalho. Está fácil hoje? Não, os desafios são grandes, a demanda por tecnologia subiu o nível, o trabalho continua como antes, mas agora mais suave, pois é raro encontrar porteiras fechadas”, pontua.

“Estamos em fase final de nosso show room, com uma área de 15.000 m2 para mostrar e testar nossas tecnologias, Projeto Horta do Bem com uma instituição sem fins lucrativos para dar aulas e formar profissionais em cultivo protegido, estando mais bem preparado para o mercado de trabalho, lojas em polos estratégicos no Brasil e fortalecimento do nosso time em toda América do Sul e África”, ressalta Nelson Nardy.

Juntos, eles fecham, em acordo: “Uma palavra para os 25 anos: Simplesmente obrigado, a todos vocês que participaram da construção da nossa história”.

Equipe Tropical Estufas

Um pouco da História da Tropical

A Tropical Estufas teve sua data de fundação em Outubro de 1996, embora tivesse conhecimento do mercado, pois havia herdado todo o know-how da extinta Agroestufa da C.AC.

Nelson Nardy, presidente da Tropical Estufas, lembra que a década de 90 foi bastante insegura quanto ao setor financeiro nacional, “mas em 1996, ano do nosso nascimento, tendia a se estabilizar, já com controle da inflação devido ao Plano Real. Apesar das várias crises externas que impactaram a economia brasileira durante o período, graças à continuidade do Plano Real, a inflação se manteve baixa, na casa de um dígito percentual anual, e assim continuou pelos anos seguintes, o que viabilizou bastante o investimento em novas tecnologias, inclusive no setor de hortifrutigranjeiros, fomentando a busca por ferramentas que de fato proporcionassem segurança e grande oferta de frutos com qualidade, visto que, com a estabilidade da moeda, o poder aquisitivo aumentou em todas as camadas sociais, inclusive o consumo de hortaliças e flores”.

Esse fato foi o propulsor para o crescimento das estufas agrícolas, iniciando a implantação em quase todos os Estados da federação, tais como Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Nordeste, entre outros, quebrando assim o domínio São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Incentivo

Financiado pelos programas de incentivo rural, grandes blocos de estufas foram instalados para suprir a demanda, como exemplo, a região de Planaltina (DF), que se tornou a capital nacional do pimentão.

Grandes cooperativas de produtores de hortaliças surgiram, entregando frutos já embalados em bandejas, a hidroponia teve grande impulso, além do apoio total das grandes redes de distribuição. A estufa agrícola tornou-se viável e necessária para o futuro que já tinha chegado.