23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Uso de fungicidas para controle da ferrugem alaranjada na cana

Uso de fungicidas para controle da ferrugem alaranjada na cana

 

José Otavio Menten

Diretor financeiro do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), vice-presidente da Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior (ABEAS), engenheiro agrônomo, mestre e doutor em Agronomia, pós-doutorados em Manejo de Pragas e Biotecnologia e professor associado da ESALQ/USP

 

Ferrugem alaranjada em cana - Crédito Pery Figueiredo
Ferrugem alaranjada em cana – Crédito Pery Figueiredo

A cana é um cultivo agrícola muito importante para o Brasil e mundo. A área a ser colhida na safra 2014/15, no Brasil, deve ser de nove milhões de hectares, com produção de 642 milhões de toneladas e produtividade de 71. 3 t/ha.

É necessário um choque tecnológico na atividade. Não existe a cultura, tradição ou costume de se utilizar fungicidas foliares em cana-de-açúcar no Brasil. A cana é uma cultura relativamente rústica, sendo as doenças importantes manejadas, principalmente, pela utilização de variedades resistentes. Utiliza-se, também, mudas sadias ou adequadamente tratadas, roguing, cultivo em áreas favoráveis, etc.

Defensivos usados em cana são herbicidas e alguns inseticidas, sendo o controle biológico bastante utilizados no manejo de insetos-pragas.

Melhoramento genético

Os programas de melhoramento de cana priorizam o desenvolvimento de materiais genéticos com resistência satisfatória aos agentes causais de doenças viróticas (mosaico e amarelinho), bacterianas (raquitismo e escaldadura) e fúngicas (carvão e ferrugem marrom).

Em 2009, foi constatado no Brasil o fungo Pucciniakuehnii, agente causal da ferrugem alaranjada. Embora a principal medida de manejo seja a resistência, existem variedades que, apesar de apresentarem boas características agronômicas e industriais (produtividade, bom desenvolvimento em áreas com limitações edafoclimáticas, resistência a outras pragas etc.), permitem o desenvolvimento desta ferrugem. Os danos podem chegar a 25%, de acordo com experimentos e observações preliminares.

MIP

O MIP (manejo integrado de pragas) é um procedimento adotado em todas as culturas. Não é sustentável basear o manejo de doenças em uma ou poucas medidas; o ideal é se utilizar o maior número possível de medidas, simultaneamente ou em sequência. Fungicidas são amplamente empregados em diversos sistemas patógeno-hospedeiro.

Existem fungicidas registrados e com eficiência satisfatória contra o agente causal da ferrugem alaranjada da cana. Diversos experimentos e campos de demonstração estão sendo instalados para avaliar a viabilidade do procedimento.

Observações preliminares têm sido promissoras. A incorporação desta nova tecnologia em cana pode contribuir para o aumento do rendimento, que vem se mantendo estagnado há muito tempo.

A utilização de fungicidas deve ser analisada com muita atenção e sem preconceitos. Se em quase todos os demais cultivos é uma ferramenta importante e, em alguns casos, indispensável, pode ser bastante útil nesta nova fase de cultivo da cana no Brasil.

Certamente, com o surgimento de formulações de fungicidas cada vez mais apropriadas, melhorias na tecnologia de aplicação, posicionamento adequado do produto durante o ciclo da cultura e condições ambientais etc. será possível obter avanços significativos no cultivo da cana-de-açúcar.

 

Essa matéria você encontra na edição de Abril da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira a sua.

Inicio Revistas Grãos Uso de fungicidas para controle da ferrugem alaranjada na cana