Verde Agritech lança aplicativo que oferece até fertilizante K Forte como recompensa para interações

Verdin cria missões aos agricultores como forma de compartilhar conhecimento e gerar maior aproximação.

0
270
Cristiano Veloso, CEO da Verde Agritech
Crédito Divulgação

A Verde Agritech, maior produtora de potássio do Brasil e a primeira no mundo a aditivar microrganismos ao fertilizante, aderiu a gamificação para estimular a interatividade com os agricultores. O aplicativo lançado pela companhia, chamado de Verdin, contém desafios para difundir o conhecimento sobre a produção agrícola e trazer recompensas, como os fertilizantes potássicos K Forte e Baks, produzidos em Matutina e São Gotardo, interior de Minas Gerais.

O aplicativo é exclusivo para os clientes, que já começam a ganhar pontos ao comprar os fertilizantes da Verde Agritech. O agricultor pode baixar a aplicação no celular, sem nenhum custo, ou acessar também pelo computador. O cadastro é simplificado e exige apenas informações básicas, como nome, e-mail e CPF ou CNPJ.

“Assim como estamos investindo em novas plantas para fabricar os fertilizantes potássicos K Forte e Baks, este aplicativo é mais um recurso para devolver aos agricultores o controle sobre a produção de alimentos no campo”, comenta Cristiano Veloso, fundador e CEO da Verde Agritech. “Acreditamos que esse tipo de tecnologia aproxima e permite uma troca de informações entre a Verde Agritech e os nossos agricultores”.

O aplicativo gamificado terá atualizações contantes, com diferentes tipos de desafios para os usuários, sempre com um conteúdo relevante para o universo da agricultura. O Verdin vai oferecer vídeos educativos sobre o cultivo de várias culturas, como café, algodão, milho, soja, entre outros.

“A agricultura é cada vez mais tecnológica, com a tomada de decisão baseada em dados, seja para o agricultor ou para nós, da Verde Agritech, que temos a missão de contribuir para a redução da dependência brasileira pelo cloreto de potássio importado”, destaca Veloso.

Recompensas e níveis

Após a realização de cada missão, o usuário será recompensado com uma quantidade de Verdinhas, moeda digital que servirá para trocas dentro do aplicativo.

“Quanto mais desafios o agricultor cumprir, mais saldo ele terá e poderá trocar por diferentes tipos de recompensas. Além de produtos, o aplicativo também oferecerá consultorias gratuitas com especialistas”, afirma Carlos André, CEO da empresa LoySci, responsável pelo desenvolvimento do aplicativo.

Com a superação dos desafios, o cliente conquista medalhas e o perfil evolui. Serão seis níveis diferentes: bronze, prata, ouro, platina, diamante e verdejante.

“Os níveis servirão para gerar entretenimento. Será mais um estímulo para a conquista de mais objetivos dentro da plataforma, que significará, na maioria dos casos, mais conhecimento para o agricultor”.

Com mais de meio bilhão em investimentos nos últimos anos, o produto da Verde Agritech é nacional e tem qualidade superior ao cloreto de potássio importado, porque não contém cloro, não se perde por lixiviação e favorece a microbiota do solo. Com liberação gradual de nutrientes, o potássio brasileiro não compacta e nem saliniza a lavoura.

A Verde Agritech foi a primeira empresa do mundo a aditivar microrganismos no fertilizante potássico, a partir de uma tecnologia exclusiva, desenvolvida em parceria com universidades federais de Minas Gerais (UFMG), São Carlos (UFSCAR) e Mato Grosso (UFMT).

A companhia, com duas plantas em operação, é a maior produtora de potássio do Brasil e anunciou este ano a construção da terceira unidade, a partir de um investimento de R$ 275 milhões. A nova fábrica terá condições de elevar a produção para até 16,4% da demanda nacional por potássio na agricultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!