13.6 C
Uberlândia
quarta-feira, maio 29, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosAminoácidos na recuperação de estresses da soja

Aminoácidos na recuperação de estresses da soja

Uma variedade de aminoácidos, provenientes de fontes naturais, hidrolisados de proteínas e síntese química, com diferentes formulações, de diferentes empresas, estão disponíveis atualmente no mercado.

Franciely S. Ponce
francielyponce@gmail.com

Thiago Alberto Ortiz
thiago.ortiz@prof.unipar.br

Silvia Graciele Hulse de Souza
silviahulse@prof.unipar.br
Engenheiros agrônomos, doutores em Agronomia/Horticultura e professores – UNIPAR (campus Umuarama-PR)

A soja (Glycine max (L.) Merrill), uma das principais culturas agrícolas do Brasil, enfrenta, ao longo do seu ciclo, períodos de escassez de água, o que afeta o seu crescimento e produtividade.

Foto: Shutterstock

Isso se deve às mudanças climáticas, sendo que os períodos de seca se tornaram cada vez frequentes, limitando continuamente a produção agrícola. A soja apresenta variabilidade quanto à resposta/sensibilidade à seca, mas em todos os casos, o rendimento final reduz significativamente.

Reflexos das mudanças climáticas

A seca afeta vários aspectos do crescimento e desenvolvimento da cultura, incluindo a germinação, o desenvolvimento de brotos e raízes e a fase reprodutiva. Isso está relacionado à redução da germinação; ao declínio da atividade fotossintética, com a diminuição da translocação de assimilados, fixação de carbono; e à redução da floração.

Além disso, o efeito nos órgãos reprodutivos ocasiona a esterilidade do grão de pólen, acarretando em menor número de vagens e conjunto de grãos. Isso não prejudica apenas a quantidade, mas também a qualidade dos grãos, com potencial redução no teor de óleo e proteína.

Além disso, o déficit hídrico torna as plantas mais vulneráveis às pragas e doenças, limitando ainda mais a obtenção de altos rendimentos.

Estratégia

A utilização de aminoácidos nessa cultura pode ser uma estratégia agronômica fundamental para atenuar os efeitos negativos dos estresses. Os aminoácidos são compostos essenciais constituídos por carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio e desempenham um papel vital no crescimento e no desenvolvimento das plantas.

Quando esses aminoácidos se unem por meio de ligações peptídicas, formam proteínas que desempenham um papel crucial em diversos processos vegetais. As plantas têm a capacidade de sintetizar aminoácidos a partir do nitrogênio presente no solo, geralmente na forma de nitrato ou amônio.

No entanto, esse processo de absorção de nitrogênio exige um consumo considerável de energia por parte das plantas.

Para otimizar o crescimento das plantas e conservar energia, torna-se fundamental a aplicação de produtos contendo aminoácidos na agricultura.

Quais são as vantagens dos aminoácidos?

Ao disponibilizar aminoácidos prontamente assimiláveis, reduz-se a necessidade de absorção de nitrogênio, que é uma tarefa intensiva em termos de energia para as plantas. A energia economizada pode, então, ser direcionada para outros processos vitais, como germinação, floração, frutificação e desenvolvimento dos grãos.

Além disso, a aplicação de aminoácidos desempenha um papel importante na mitigação dos efeitos adversos do estresse, como o déficit hídrico. Esses compostos têm a capacidade de estimular o crescimento das plantas, melhorar a resistência ao estresse, aumentar a absorção de nutrientes, reduzir o estresse oxidativo e estimular a síntese de proteínas (Figura 1).

Figura 1. Benefícios do uso de aminoácidos.

Respostas imediatas da soja

Ao aplicar aminoácidos como parte das estratégias de manejo, os agricultores podem ajudar as plantas de soja a se recuperarem mais rapidamente após períodos de estresse hídrico, fortalecer sua capacidade de enfrentar condições adversas e manter um crescimento saudável.

A integração de produtos à base de aminoácidos na agricultura proporciona vantagens significativas, tais como a economia de energia, o aprimoramento da qualidade do grão e o aumento da produtividade.

Na agricultura, uma variedade de aminoácidos é empregada como bioestimulantes para aprimorar o crescimento e a saúde das culturas, incluindo a soja. Esses aminoácidos podem ser provenientes de várias fontes e tipos, como os essenciais (glicina e alanina) e não essenciais (glutamina e prolina), podendo também ser encontrados em formulações com ácido húmico e fúlvico, aminoácidos hidrolisados de proteínas vegetais ou animais, bem como aminoácidos sintéticos.

A eficácia desses aminoácidos no cultivo de soja é influenciada pela composição da formulação, condições de crescimento e outras variáveis, sendo que podem contribuir para melhorar o crescimento, a resistência ao estresse, a absorção de nutrientes e a qualidade da colheita da soja.

Planejamento é fundamental

Nesse sentido, a aplicação de aminoácidos ao longo do ciclo de crescimento da soja deve ser estrategicamente planejada para otimizar o desempenho da cultura em diferentes estágios de desenvolvimento.

Durante a germinação e emergência, os aminoácidos podem promover um início saudável do crescimento das plântulas. No estágio vegetativo inicial, eles podem estimular o desenvolvimento das plantas.

Na figura 2 podemos observar que a aplicação de aminoácidos de diferentes formas (tratamento de sementes ou aplicação foliar) em diferentes estágios fenológicos promoveu uma melhora na arquitetura das raízes da soja.

Isso pode contribuir para que as raízes absorvam mais água e nutrientes, aumentando assim o rendimento dessa cultura.

Figura 2. Efeito dos aminoácidos em diferentes modos de aplicação. No tratamento de sementes de soja: (A) Controle, (B) Glutamato, (C) Cisteina, (D) fenilanina e (E) Glicina. Aplicação via foliar no estágio V6: (F) Controle, (G) Glutamato, (H) Cisteina, (I) fenilanina e (J) Glicina.

Fonte: Teixeira et al. 2019 ( https://pdfs.semanticscholar.org/fd39/c8fef3c2db5d55627e032189d8dc1cf529fc.pdf).

Fases específicas

Durante a floração e a formação de vagens, os aminoácidos podem impulsionar a produção de grãos. Em momentos de estresse hídrico ou ambiental, a aplicação de aminoácidos pode fornecer suporte à planta, ajudando-a a enfrentar condições adversas.

Além disso, durante o enchimento de grãos os aminoácidos podem contribuir para a qualidade dos grãos. Relatos de pesquisa demonstraram, por exemplo, que em plantas de soja com déficit hídrico severo, a melhor resposta foi obtida com glutamato no tratamento de sementes.

Para plantas submetidas a déficit hídrico moderado, o melhor procedimento foi a aplicação de prolina via foliar. No entanto, a escolha do momento ideal para a aplicação deve ser orientada pelas condições de cultivo específicas, as práticas agrícolas locais e as recomendações de especialistas para maximizar a eficácia e os benefícios desejados.

Estudos

A pesquisa e o desenvolvimento desempenham um papel fundamental na melhoria da utilização de aminoácidos na cultura da soja. Uma variedade de aminoácidos, provenientes de fontes naturais, hidrolisados de proteínas e síntese química, com diferentes formulações, de diferentes empresas, estão disponíveis atualmente no mercado.

Estudos estão em curso para identificar as formulações ótimas que atendam às necessidades específicas da cultura, levando em consideração fatores como composição da formulação, métodos de aplicação e estágios de desenvolvimento das plantas.

Além disso, experimentos em campo avaliam os impactos da aplicação de aminoácidos em diversas condições de cultivo, medindo parâmetros como rendimento de grãos, teor de proteína e óleo, e resistência ao estresse.

Esses esforços visam fornecer soluções cada vez mais eficazes e sustentáveis, alinhadas com as práticas de manejo agrícola moderno e contribuindo para uma sojicultura mais produtiva e resiliente.

ARTIGOS RELACIONADOS

Aminoácidos: mais nutrição para a alface

Aminoácidos, o segredo por trás da nutrição excepcional da alface.

Fertilizantes e aminoácidos na alface

A aplicação foliar dos aminoácidos glicina e glutamina em alface var. Romana mostrou que a glicina aumenta a eficiência do uso de fertilizantes, melhora a qualidade e rentabilidade, facilitando a assimilação e translocação do nitrogênio nas plantas.

Perdas por geada podem ser minimizadas

Estresse provocado pela queda nas temperaturas provoca a morte de frutas e hortaliças

Aminoácidos e substâncias húmicas em frutas

As substâncias húmicas, em especial o aporte de ácidos fúlvicos e húmicos, vem sendo empregado cada vez mais em sistemas de fertirrigação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!