27.7 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 22, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesBioinsumos auxiliam plantas danificadas por condições climáticas

Bioinsumos auxiliam plantas danificadas por condições climáticas

Tecnologias atuam na prevenção de estresse oxidativo e recuperação pós-estresses em lavouras e pomares.

Enquanto na metade Norte do planeta as altas temperaturas tornam os dias escaldantes, na América do Sul a má distribuição de frio e umidade também surpreende. No Sul do Brasil, uma verdadeira gangorra térmica coloca os produtores em alerta, especialmente no Rio Grande do Sul, onde os termômetros variaram de zero a 30 graus em poucos dias e três ciclones extratropicais de forte intensidade atingiram áreas urbanas e rurais.

Créditos: Divulgação

Em meio a tantas variações climáticas, lavouras e pomares ficam mais expostos aos estresses abióticos e consequentemente aos danos oxidativos, que podem levar à redução da fotossíntese, da produção natural de hormônios e da capacidade das plantas produzirem antioxidantes, entre outros danos. Esse estresse pode ser entendido como uma reação adversa às condições ambientais e ao pleno crescimento e desenvolvimento das plantas, resultando em perdas de produtividade.

Para enfrentar cenários desfavoráveis e de extremos, a BioAtlantis, multinacional irlandesa de biotecnologia que atua no Brasil desde 2018, disponibiliza em seu portfólio tecnologias de origem natural, apropriadas para favorecerem as plantas em diferentes períodos de condições adversas. SuperFifty®️ é um produto único no gênero, desenvolvido para atuar na redução dos processos oxidativos das plantas, com reconhecimento científico internacional.

Com recomendação de aplicação entre três e sete dias antes do estresse previsto, o concentrado possibilita que a planta tenha tempo para preparar suas próprias defesas contra intempéries, como o frio ou calor extremo, a falta ou excesso de chuvas. Ele atua na produção de antioxidantes, aumentando a tolerância ao estresse climático e vem sendo utilizado com sucesso em culturas como uva, café, hortifrutis e, mais recentemente, em lavouras de soja e milho.

SuperFifty®️ proporciona uma melhor condição para a planta se autodefender, conforme explica Andrés Bascope, engenheiro agrônomo e diretor técnico da BioAtlantis. “Essa tecnologia é usada principalmente para melhorar a condição da planta, auxiliando na redução dos danos e, consequentemente, nas perdas dos produtores”. O especialista ressalta, ainda, que todas as plantas sofrem vários outros tipos de estresses durante o desenvolvimento, além dos abióticos. “A aplicação de um químico, um ataque de praga ou uma doença podem gerar situações de perigo ou ameaça. Além disso, há o maior estresse fisiológico de uma planta, que é o florescimento. A ação dos bioativos vai minimizar esses danos, principalmente o estresse diretamente ligado ao clima”.

Em uma situação onde o estresse já ocorreu e o produtor não conseguiu preparar o cultivo, o portfólio da BioAtlantis inclui também o composto NutriSurge™️, desenvolvido para auxiliar as plantas durante a recuperação pós-estresse. Sua formulação contém bioativos provenientes de algas marinhas, além de ser fonte de L-aminoácidos. “Ao serem absorvidos, eles melhoram a divisão e o crescimento celular, auxiliando a produção em alguns estágios como enchimento dos grãos, tubérculos e frutos. Podemos dizer que ele atua na performance geral da cultura”, detalha Andrés Bascope.

SuperFifty®️ e NutriSurge™️ integram a linha AgriPrime®️, desenvolvida pela BioAtlantis, uma gama de produtos extremamente eficazes no controle do estresse oxidativo em plantações. É composta por tecnologias inovadoras e ricas em bioativos naturais que preparam e protegem as culturas a nível molecular, ativando efeitos positivos em termos de crescimento, produtividade e qualidade, além de auxiliar na expressão de seu máximo potencial genético.

Os bioinsumos produzidos pela BioAtlantis podem ser aplicados via foliar e também por fertirrigação. “Esses produtos são projetados para uma produção mais sustentável na agricultura orgânica e não-orgânica. O conceito chave é o tratamento preventivo em vez do curativo”, ressalta Bascope. “A BioAtlantis fornece compostos naturais, extraídos de recursos marinhos e terrestres renováveis, para reduzir o estresse em plantações, animais e humanos, fortalecendo os sistemas de defesa natural. É um processo de extração em que se isola os bioativos de interesse para a formulação do produto.

A linha AgriPrime®️ está alinhada com a abordagem original e filosofia da BioAtlantis, que tem como lema ’Nature working naturally’ (Natureza trabalhando naturalmente). Seus produtos são indicados para as diferentes fases de desenvolvimento das culturas, desde a saúde do solo, o crescimento vegetativo, o enchimento de frutos e até o acabamento dos frutos. O portfólio brasileiro da empresa em breve vai receber reforços, com o MicroGrow™️, focado na saúde do solo e o SuperFifty Prime®️, que é a evolução do SuperFifty®️.

ARTIGOS RELACIONADOS

Novo sistema de produção de milho

O Antecipe é um sistema inédito de produção de grãos, em que é possível semear mecanicamente a cultura do milho nas entrelinhas da soja antes da colheita desta leguminosa. Para que isso se tornasse possível, 13 anos de pesquisa foram dedicados para geração de conhecimento para permitir que o produtor saiba como e o momento certo de utilizar a tecnologia, além do desenvolvimento de uma semeadora-adubadora que possa trabalhar neste novo modelo sem provocar danos às plantas de soja.

Algas marinhas potencializam nutrição das plantas

Potencializando o crescimento e desenvolvimento das plantas, as algas são uma solução natural e sustentável para a agricultura moderna.

Soja resistente aos nematoides otimiza produtividade

Os fitonematoides se destacam pela sua importância econômica, principalmente em culturas como a soja, o milho e o feijão. As principais espécies-praga são distribuídas em quatro gêneros, que são Heterodera, Meloidogyne, Pratylenchus e Globodera (Davis e Curty, 2011; Moens e Perry, 2009) que acometem várias culturas agrícolas.

O Azospirillum e a germinação das plantas

O gênero Azospirillum possui bactérias gram negativas classificadas como diazotróficas. Em termos gerais, significa que essas bactérias se associam simbioticamente com as raízes, auxiliando na fixação de N2.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!