16.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 13, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioAnimaisBlairo Maggi lança, em Berlim, livro sobre soja e abelhas

Blairo Maggi lança, em Berlim, livro sobre soja e abelhas

Livro de pesquisador da Embrapa trata da importância dos polinizadores na produção agrícola

Abelha - Crédito Net
Abelha – Crédito Net

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) lançou nesta quarta-feira (18), na embaixada do Brasil em Berlim, o livro “Soybean and Bees”, de autoria do pesquisador Décio Gazzoni, da Embrapa Soja. O lançamento é uma das atividades do ministro durante a 9ª Conferência de ministros do Fórum Global para a Alimentação e a Agricultura (GFFA).

O livro Soja e Abelhas (título em português) “é um exemplo da nossa preocupação com a sustentabilidade na agricultura. E fazemos isso por um motivo muito simples: A agricultura é fundamental para a economia do nosso país. E, senão for sustentável, faltará alimento amanhã. O planeta tem limites“, disse Blairo Maggi durante o lançamento.

O livro é uma revisão de informações científicas sobre as relações entre a soja e as espécies de abelhas que visitam a floração dessa cultura. O governo juntamente com o setor privado e alinhado com esforços internacionais, tem realizado estudos e atividades sobre a conservação e uso sustentável de polinizadores, especialmente abelhas.

O ministério (Mapa) incentiva produtores a fazerem uso de boas práticas agrícolas, protegendo, assim, a biodiversidade, incluindo polinizadores. E a Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa está comprometida com a triagem de pesticidas e com o impacto sobre organismos benéficos.

Preservação ambiental

O ministro destacou a produção brasileira de grãos, de 217 milhões de toneladas, sendo 100 milhões de soja. “Fizemos tudo isso mantendo 61% do território brasileiro coberto com vegetação nativa. E aumentaremos esse percentual“, destacou, lembrando a adesão, em dezembro, ao Bonn Challenge, e à Iniciativa 20×20, com o compromisso de recuperar 12 milhões de hectares de floresta e de recuperar 15 milhões de hectares de pastagens degradas, até 2030.

O compromisso compreendeu ainda implementar 5 milhões de hectares de sistema que integra lavoura, pecuária e florestas, até 2025. Blairo Maggi observou que os agricultores brasileiros têm tido importância fundamental na defesa do meio ambiente, utilizando recursos próprios para preservar de 20% a 80% de suas propriedades, sem subsídio de governo. Essas áreas preservadas equivalem a duas vezes o território da Espanha, lembrou.

Semana Verde

O ministro está em missão ao exterior com a finalidade de participar da 9ª Conferência de ministros do Fórum Global para a Alimentação e a Agricultura (GFFA), em Berlim. A conferência é realizada todos os anos, em janeiro, durante a Semana Verde Internacional.

Blairo Maggi, entre outros compromissos, participa também de reunião dos ministros da Agricultura de países integrantes do G-20, na capital alemã e terá reuniões de interesses bilaterais com colegas de outros países.

Mais informação à Imprensa
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Organominerais + ácidos húmicos – Vantagens para a beterraba

A beterraba (Beta vulgaris L.) é uma ótima alternativa de renda para os horticultores. A cultura apresenta três biótipos para cultivo: beterraba açucareira, forrageira e hortícola. Dentre esses, a hortícola, ou beterraba vermelha, é a mais cultivada no Brasil.

Noruegueses conhecem de perto produção sustentável de soja não-transgênica da AMAGGI

Diretoria da Denofa visita áreas de produção sustentável de soja não-transgênica da AMAGGI em Mato Grosso.

No semiárido, uso de fertilizantes sólidos pode reduzir mortalidade de mudas em até 40%

Nova tecnologia, que une minerais e matéria orgânica, facilita absorção de nutrientes pela planta favorecendo o seu desenvolvimento Nas regiões semiáridas brasileiras, os agricultores enfrentam...

Bosch na 26ª edição da Agrishow

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) a população mundial atingirá a marca de 9,6 bilhões pessoas em 2050 e serão necessários 60% a mais de comida, 50% a mais de energia e 40% a mais de água potável. A conectividade e a Internet das Coisas estão entre os elementos-chave que permitirão a transformação do setor nos próximos anos tanto no Brasil quanto no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!