28.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFlorestasCarvão vegetal - Os impactos ambientais das emissões gasosas

Carvão vegetal – Os impactos ambientais das emissões gasosas

Álison Moreira da Silva alison.silva@usp.br

Elias Costa de Souza eliasrem@usp.br

Doutorandos do PPG em Recursos Florestais – Universidade de São Paulo (USP)

Ananias Francisco Dias Júnior Doutor e professor do Depto. Ciências Florestais e da Madeira – Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) ananias.dias@ufes.br

Carvão – Crédito Pixabay

Por milhares de anos, a madeira, usada como lenha, foi a principal fonte de energia. Historicamente, isso contribuiu para o desenvolvimento da humanidade em todos os aspectos, já que a madeira era utilizada para aquecer, iluminar e cozinhar alimentos.

Com o passar do tempo, não só os combustíveis sólidos (lenha, carvão mineral e vegetal), mas também os líquidos (gasolina, diesel, querosene, entre outros) e gasosos (gás natural, gás liquefeito de petróleo) passaram a ser utilizados, principalmente em processos de geração de energia térmica, mecânica e elétrica.

Energia

A produção de energia por meio do uso de combustíveis fósseis culminou em uma matriz insegura e extremamente prejudicial ao meio ambiente. A preocupação com o agravamento do efeito estufa e a consequente emergência climática, associada à volatilidade na oferta e no preço dos combustíveis fósseis, destacam a importância de tornar as fontes renováveis mais representativas na matriz energética mundial.

Assim, discussões acerca do desenvolvimento sustentável e o futuro da vida humana no planeta têm se intensificado, fazendo com que países considerem a necessidade de mudanças, sobretudo a inclusão de fontes de energia renováveis, incluindo madeira.

Recentemente, tem havido uma busca pela retomada da geração de energia a partir da madeira. Diversas indústrias e setores agrícolas estão optando pela biomassa (materiais de origem orgânica direcionados à produção de energia) para produzir energia térmica, ao invés de combustíveis fósseis, por exemplo, a complementação da geração hidrelétrica por termelétricas com a combustão de madeira produzido pelo manejo sustentável de florestas.

As formas de biomassa que merecem destaque em termos de importância no contexto nacional são briquetes, pellets, cavacos e carvão vegetal.

Produção do carvão vegetal

O carvão vegetal é produzido a partir da carbonização da madeira, um processo que ocorre dentro dos fornos de alvenaria, em temperaturas que variam entre 300 e 500 °C, com baixa presença de oxigênio, e libera parte dos materiais voláteis presentes na madeira, concentrando o carbono na fração sólida.

Durante esse processo, diferentes gases são liberados para a atmosfera, o que pode ser considerado um problema ambiental se não houver um direcionamento adequado desses gases. Porém, existem diversos métodos e sistemas que permitem a queima da fumaça, fazendo com que o processo seja sustentável.

A matéria-prima utilizada na produção de carvão vegetal é a madeira, e assim, o balanço do carbono liberado na carbonização e o absorvido pelas árvores durante o crescimento é benéfico, quando comparado a outras fontes de energias não renováveis.

Produção sustentável

Até pouco tempo, no Brasil, boa parte do carvão vegetal era produzido com madeiras oriundas do extrativismo ilegal das florestas nativas, o que gerava outros problemas ambientais. Hoje em dia, o setor de árvores plantadas domina a produção desse insumo, o que garante uma produção sustentável e ambientalmente correta.

Seguindo a mesma tendência de modernização e direcionamento para uma produção mais limpa, já existem tecnologias simples, eficientes e de baixo custo, que são utilizadas para reduzir a liberação direta desses gases para a atmosfera.

Um exemplo é o queimador de fumaça, que queima parte dos gases que saem do forno de carbonização e reduz significativamente a liberação dos efluentes gasosos mais poluentes, resultando em um produto com características ambientais desejáveis.

Realidade

O carvão vegetal está presente no nosso cotidiano, seja no famoso churrasco, no carvão ativado no filtro de água ou no ferro presente nas nossas residências, produzidos a partir da siderurgia à carvão vegetal.

O carvão vegetal utilizado para churrasco representa cerca de 10% de toda a produção nacional de carvão vegetal, onde a maior parte é destinada aos setores de produção de ferro-liga, ferro-gusa e aço.

O churrasco está presente no dia a dia de diferentes povos ao redor do mundo. No Brasil não é diferente, onde quase todas as regiões consomem as carnes e outros aperitivos grelhados no carvão vegetal, com destaque especial para a região sul e sudeste do País.

Apesar de ser amplamente utilizado, poucos são os estudos que alertam sobre a importância da qualidade desse produto sobre o ambiente em função das emissões de gases e elementos tóxicos que podem estar ligados à utilização do carvão para a cocção de alimentos no âmbito doméstico.

Esse é devido, principalmente, ao fato de que existem diversos produtos com qualidade inferior ao recomendado para uso na cocção de alimentos. Por exemplo, segundo a resolução SAA n°. 40 de 2015 (Resolução da Codeagro, São Paulo) e a norma europeia AFNOR NF EM 1860-2 de 2005, o carvão vegetal ou combustível sólido para uso doméstico na cocção deve possuir em média: carbono fixo acima de 75%, cinzas abaixo de 1,5%, umidade abaixo de 5%, densidade a granel acima de 200 kg m-3, geração de finos menor que 5% e pelo menos 80% do carvão deve ser maior que 20 mm, com menos de 10% maior que 80 mm.

Custos relacionados à produção de carvão vegetal

Os custos da produção do carvão vegetal variam de acordo com o tipo de produção, haja vista que existem técnicas antigas de produção de carvão em que o custo é muito baixo, do mesmo modo que existem tecnologias modernas que permitem produzir o carvão vegetal diante de um processo automatizado, com monitoramento informatizado e controle total do sistema.

Geralmente, quanto mais tecnológico e monitorado, maior o rendimento do processo e a qualidade do carvão vegetal produzido. O setor siderúrgico, responsável pelo consumo de 90% da produção de carvão vegetal do Brasil, produz carvão em fornos de alvenaria de elevada capacidade de carga.

Nesses fornos, o carregamento da madeira e o descarregamento do carvão do forno é mecanizado, contribuindo para melhorias do processo, mas aumentando os custos envolvidos na produção.

Preço  

[rml_read_more]

Assim como os custos são variáveis e dependem do tipo de produção, o preço do carvão flutua de acordo com o mercado e está ligado, principalmente, ao consumo de materiais da construção civil, já que o setor de siderurgia a carvão vegetal (responsável pela produção de ferro-gusa e aço, principalmente) tem ligação direta com o consumo de estruturas de ferro e aço nas obras de construção.

Hoje em dia, estima-se que o preço para produção do metro do carvão (MDC) varie entre R$ 210,00 e R$ 250,00, acompanhando o preço dos insumos envolvidos na sua produção. Já o preço da outra parcela de carvão que é produzida, destinada ao consumo doméstico, tem maior ligação com o poder de compra da população.

E o meio ambiente?

A queima do carvão vegetal, decorrente do seu uso na cocção de alimentos, pode emitir óxidos nitrosos (NOx), óxidos de enxofre (SOx), materiais particulados – PM 2,5 (partículas com diâmetro inferior a 2,5 μm), carbono preto (CB) e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs).

Estes elementos são conhecidos poluentes ambientais, que contribuem para o efeito estufa e prejudicam a qualidade do ar, considerados potenciais causadores de problemas à saúde humana.

Os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) têm sido relatados por seu elevado grau carcinogênico e mutagênico, expondo bilhões de pessoas em todo o mundo. A exposição contínua aos HPAs tem sido conhecida como um importante fator de risco ambiental, responsável por muitas doenças respiratórias e cardiovasculares e mortes prematuras.

A liberação de materiais poluentes durante a queima do carvão ocorre principalmente decorrente do uso de churrasqueiras de baixa eficiência e em locais com pouca ventilação. Quando a churrasqueira não é bem dimensionada, a quantidade de oxigênio disponível para a queima pode ser inferior à necessária para a combustão completa do material. Com isso, são formados elementos poluentes como o monóxido de carbono (CO) e grandes quantidades de materiais particulados (MP).

Além disso, a queima do carvão vegetal é menos eficiente, ou seja, menos calor é liberado para a cocção de alimentos. Emissões mais baixas dependem de práticas operacionais das tecnologias de conversão do carvão vegetal, mas também depende das propriedades do combustível.

No entanto, em muitos casos, o carvão vegetal apresenta propriedades inadequadas para o uso como combustível, principalmente dos teores de carbono fixo, dimensões das peças, quantidade de finos e umidade. Deste modo, tecnologias de combustão devem ser aprimoradas, associadas a boas práticas de fabricação de carvão vegetal, para que o “querido” churrasco possa ser um momento de muito sabor, lazer e descanso.

ARTIGOS RELACIONADOS

Uso da madeira na Construção Civil será tema de palestra no 5º Congresso MS Florestal

Os benefícios do uso da madeira plantada e tratada na construção do civil serão alguns dos temas tratados no painel 'Engenharia em Madeira " Soluções para o presente', que integra a programação do '5o Congresso MS Florestal Online', que acontece nos dias 04 e 05 de setembro, com transmissão online gratuita

Casas de madeira, um novo mercado para o eucalipto de MS

A área de florestas plantadas de eucalipto em Mato Grosso do Sul já chegou a 1.000.000 de hectares segundo dados divulgados semana passada pelo...

Brasil terá a maior feira florestal dinâmica do mundo em 2018

  Mais de 220 expositores estão confirmados na Expoforest 2018. A quarta edição da feira acontecerá em abril, em uma área de 200 hectares com...

Plantio direto tem potencial para sequestrar carbono na produção de hortaliças

O plantio direto se mostra uma ferramenta capaz de mitigar os efeitos das mudanças climáticas na produção de hortaliças, favorecendo toda a cadeia ambiental   A...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!