Cenoura: Opções em híbridos

0
78

Elisamara Caldeira do Nascimento elisamara.caldeira@gmail.com

Talita de Santana Matos talitasmatos@gmail.com

Doutoras em Agronomia – Ciência do Solo

Glaucio da Cruz Genuncio Doutor e professor adjunto FAAZ – Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)glauciogenuncio@gmail.com

Cenoura – Crédito Shutterstsock

A cenoura é cultivada em todo território nacional e ocupa área equivalente a cerca de 30 mil hectares, com a produção de 900 mil toneladas de raízes. A média de produtividade da cenoura no Brasil gira em torno de 30 toneladas por hectare, mas em regiões mais tecnificadas e que usam sementes híbridas, este valor muitas vezes pode alcançar 80 toneladas por hectare.

No cultivo de cenoura, a utilização de sementes híbridas associadas à tecnologia de mecanização, como as semeadoras a vácuo de alta precisão, possibilitaram ao produtor uma redução de custos e uma melhor uniformidade na distribuição das sementes e, consequentemente, melhor uniformidade no tamanho das raízes e classificação.

Há diferentes sistemas de produção de cenoura utilizados no Brasil, mas não é incomum encontrar produtores que estão realizando a colheita mecanizada. É possível encontrar colhedoras operando em algumas regiões do Cerrado, agilizando o processo de colheita e reduzindo os custos de produção.

Diante desta realidade, programas de melhoramento de diversas empresas privadas e públicas vêm investindo no desenvolvimento de cenouras tropicais e novos materiais, mais adequados e adaptados às diferentes regiões do Brasil, buscando introduzir no mercado materiais que atendam às exigências tanto dos produtores quanto dos consumidores.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.